Dis­cur­so do no­vo PR

Jornal dos Desportos - - ABERTURA -

OP­re­si­den­te da Re­pú­bli­ca, João Ma­nu­el Gonçalves Lou­ren­ço, fez na úl­ti­ma ter­ça-fei­ra, em Lu­an­da, na ce­ri­mó­nia de in­ves­ti­du­ra ao car­go de mais al­to ma­gis­tra­do da na­ção, um dis­cur­so de Es­ta­do, com re­fe­rên­cia a to­dos os as­pec­tos da vi­da po­lí­ti­ca, eco­nó­mi­ca e so­ci­al do país.

Exaus­ti­vo, o no­vo Che­fe de Es­ta­do pers­pec­ti­vou o país de nor­te a sul e do mar ao les­te, ou se­ja, to­cou em ca­da um dos sec­to­res da vi­da da na­ção e que es­tão li­ga­dos aos mais pu­ros an­sei­os de to­dos e de ca­da um dos an­go­la­nos. João Lou­ren­ço sa­be dos vá­ri­os de­sa­fi­os que se lhe es­pe­ram nos pró­xi­mos cin­co anos.

Co­mo dis­se na oca­sião o juiz con­se­lhei­ro pre­si­den­te do Tri­bu­nal Cons­ti­tu­ci­o­nal, Rui Fer­rei­ra, a ta­re­fa de João Lou­ren­ço “não se­rá fá­cil”, pois “o mo­men­to e o con­tex­to são di­fí­ceis; os de­sa­fi­os que tem são mui­tos”. Re­co­nhe­cen­do-lhe “a de­ter­mi­na­ção, a dis­ci­pli­na, a le­al­da­de a va­lo­res, a fi­de­li­da­de a prin­cí­pi­os, o prag­ma­tis­mo, a co­ra­gem e o va­lor que dá a pa­la­vra da­da”, Rui Fer­rei­ra pe­diu ao no­vo Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca que cum­pra as pro­mes­sas que fez du­ran­te a cam­pa­nha elei­to­ral.

Mas já an­tes João Lou­ren­ço ti­nha chan­ce­la­do de que o seu con­su­la­do se­rá pau­ta­do pe­lo com­pro­mis­so de exe­cu­tar as pro­mes­sas fei­tas du­ran­te a cam­pa­nha, ten­do co­mo pres­su­pos­tos des­ta exe­cu­ção a Cons­ti­tui­ção e as leis.

“As­su­mo des­de já o com­pro­mis­so de exe­cu­tar as mi­nhas pro­mes­sas elei­to­rais, com po­lí­ti­cas pú­bli­cas que vão ao en­con­tro dos an­sei­os dos ci­da­dãos e com uma go­ver­na­ção in­clu­si­va, que ape­le à par­ti­ci­pa­ção de to­dos os an­go­la­nos, in­de­pen­den­te­men­te do seu lo­cal de nas­ci­men­to, se­xo, lín­gua ma­ter­na, re­li­gião,

O Che­fe de Es­ta­do afir­mou no seu pri­mei­ro dis­cur­so que o des­por­to vai as­su­mir, no seu con­su­la­do, “uma di­men­são ins­pi­ra­do­ra e for­ma­ti­va”.

con­di­ção eco­nó­mi­ca ou po­si­ção so­ci­al”, dis­se. Por aqui se po­de in­fe­rir que em re­la­ção ao des­por­to, o Exe­cu­ti­vo de João Lou­ren­ço vai tu­do fa­zer pa­ra não dei­xar cair em letra mor­ta as pro­mes­sas que vi­sam re­vi­ta­li­zar es­ta re­a­li­da­de so­ci­al com dig­ni­da­de cons­ti­tu­ci­o­nal. O Che­fe de Es­ta­do afir­mou no seu pri­mei­ro dis­cur­so que o des­por­to vai as­su­mir, no seu con­su­la­do, “uma di­men­são ins­pi­ra­do­ra e for­ma­ti­va”.

“O des­por­to de­ve tam­bém as­su­mir uma di­men­são ins­pi­ra­do­ra e for­ma­ti­va, de mo­do a per­mi­tir cons­truir uma Angola fra­ter­na, mais in­clu­si­va e em que as bar­rei­ras do pre­con­cei­to e da in­to­le­rân­cia vão sen­do der­ru­ba­das. Re­co­nhe­ce­mos que as nos­sas e os nos­sos des­por­tis­tas têm sa­bi­do hon­rar, além-fron­tei­ras, o Hi­no e a Ban­dei­ra na­ci­o­nais, unin­do ain­da mais o po­vo an­go­la­no.”, co­me­çou por di­zer.

Olhan­do pa­ra a for­ma co­mo pen­sa sus­ten­tar as con­quis­tas até aqui al­can­ça­das e pro­jec­tar no­vos ga­nhos pa­ra man­ter o or­gu­lho da na­ção e dos seus fi­lhos, o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca fo­cou a aten­ção pa­ra a ne­ces­si­da­de do in­cen­ti­vo ao des­por­to es­co­lar e nu­ma mai­or res­pon­sa­bi­li­da­de na con­ser­va­ção e ges­tão das in­fra-es­tru­tu­ras.

“Nes­te man­da­to, va­mos in­cen­ti­var o des­por­to es­co­lar, re­gres­sar aos cam­pe­o­na­tos es­co­la­res e aos cam­pe­o­na­tos uni­ver­si­tá­ri­os e exi­gir aos di­ri­gen­te das in­fra-es­tru­tu­ras des­por­ti­vas mai­or res­pon­sa­bi­li­da­de na sua con­ser­va­ção e ges­tão” afir­mou.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.