JAM­BA CON­FI­AN­TE NA PERMANÊNCIA DO ASA

Jornal dos Desportos - - PORTADA -

Di­ri­gen­te do clu­be avi­a­dor, João Pereira "Jam­ba", re­co­nhe­ce que a for­ma­ção vi­ve momentos di­fí­ceis no Gi­ra­bo­la Zap

O an­ti­go de­fe­sa cen­tral do Atlé­ti­co Sport Avi­a­ção (ASA), ho­je di­ri­gen­te do clu­be avi­a­dor, João Pereira "Jam­ba", re­co­nhe­ce que a for­ma­ção do ae­ro­por­to vi­ve momentos di­fí­ceis no Gi­ra­bo­la Zap, de­ri­va­dos da fal­ta de alo­ca­ção de verbas que o clu­be tem di­rei­to, por par­te de po­ten­ci­ais pa­tro­ci­na­do­res.

O di­ri­gen­te re­ve­lou, que ape­sar da fa­se crí­ti­ca que o clu­be en­fren­ta, acre­di­ta na ma­nu­ten­ção. Su­bli­nhou que ao lon­go da sua car­rei­ra co­mo atle­ta, vi­veu si­tu­a­ções do gé­ne­ro, a equi­pa sem­pre dar à vol­ta por ci­ma.

"Ape­sar de crí­ti­ca, a si­tu­a­ção que o ASA vi­ve, acre­di­to que não des­ce de di­vi­são, porque mes­mo quan­do jo­ga­va, par­ti­ci­pei em mui­tos jo­gos, que em prin­cí­pio eram qu­a­se im­pos­sí­veis in­ver­ter o qua­dro, mas que aca­ba­va por se tor­nar re­a­li­da­de", re­ve­lou con­fi­an­te. Jam­ba man­tém a fé, e diz que os avi­a­do­res vão con­tro­lar a atri­bu­la­ção, pa­ra es­ta­bi­li­za­rem a ae­ro­na­ve. "Por es­ta ex­pe­ri­ên­cia que car­re­go, acre­di­to que o ASA con­si­ga sair des­sa si­tu­a­ção", sa­li­en­tou.O an­ti­go in­ter­na­ci­o­nal an­go­la­no enal­te­ceu a co­ra­gem, que o pre­si­den­te de di­rec­ção tem ao co­brir mui­tas das ve­zes às ne­ces­si­da­des do clu­be, com o seu dinheiro.

"É du­ra a si­tu­a­ção, e qu­e­ro enal­te­cer aqui a pos­tu­ra do pre­si­den­te Eli­as José , que por ve­zes faz das tri­pas co­ra­ção, pa­ra co­brir cer­tas des­pe­sas do clu­be com o dinheiro pró­prio. Es­pe­ro, que lhe se­jam de­vol­vi­dos, de­pois dos pa­tro­ci­na­do­res alo­ca­rem as verbas", acon­se­lhou.

Jam­ba afir­ma ter no­ção da cri­se que as­so­la o clu­be há qua­tro anos, ain­da as­sim, tem fé de que se os pa­tro­ci­na­do­res hon­ra­rem os com­pro­mis­sos que têm com o clu­be, a ac­tu­al si­tu­a­ção po­de ser ul­tra­pas­sa­da.

"Sei que a equi­pa vi­ve uma si­tu­a­ção com­pli­ca­da, que se ar­ras­ta há qua­tro anos, quan­do co­me­çou o "mergulho" eu ain­da estava a tra­ba­lhar na área da for­ma­ção", re­cor­da-se con­fi­an­te em di­as me­lho­res.

"Sa­be­mos que o país, está há três anos em cri­se, mas se por aca­so os pa­tro­ci­na­do­res alo­ca­rem pelo menos 40 por cen­to dos va­lo­res que têm de dar, acre­di­to que os jo­ga­do­res vão lu­tar, e o ASA vai sa­far-se des­sa", re­fe­riu.

Pa­ra re­for­çar ain­da mais a cren­ça, o ex-ca­pi­tão dos avi­a­do­res promete lu­tar com to­das as forças pos­sí­veis ao seu al­can­ce, pa­ra aju­dar a equi­pa a sal­var-se da des­pro­mo­ção, que afi­gu­ra-se iminente.

"Ain­da que os pa­tro­ci­na­do­res dêem pelo menos 40 ou 50 por cen­to dos di­nhei­ros em fal­ta, va­mos lu­tar com as 'ar­mas' dis­po­ní­veis pa­ra sair­mos da si­tu­a­ção. O ASA não vai des­cer pa­ra a Se­gun­da Di­vi­são", as­se­gu­rou.

VIGAS DA PURIFICAÇÃO/ EDI­ÇÕES NOVEMBRBO

O an­ti­go in­ter­na­ci­o­nal an­go­la­no (à di­rei­ta) enal­te­ceu a co­ra­gem o pre­si­den­te de di­rec­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.