Car­los Luís la­men­ta gi­ná­sio fe­cha­do

Jornal dos Desportos - - MODALIDADES - PE­DRO FUTA

O pre­si­den­te da Fe­de­ra­ção An­go­la­na de Boxe, Car­los Luís, re­ce­beu de bom gra­do as ori­en­ta­ções do Mi­nis­té­rio da Ju­ven­tu­de e Des­por­tos, no en­con­tro que se re­a­li­zou na ter­ça-fei­ra na Galeria do Des­por­tos. O di­ri­gen­te mos­trou-se pre­o­cu­pa­do com as in­fra­es­tru­tu­ras sub-apro­vei­ta­das.

"Exis­tem gi­ná­si­os inu­ti­li­za­dos. Fa­lo, por exem­plo, do lo­ca­li­za­do no Es­tá­dio Na­ci­o­nal 11 de No­vem­bro. Não dei­xam o boxe trei­nar e tam­bém nin­guém faz uso", de­sa­ba­fou.

O pre­si­den­te fi­cou pre­o­cu­pa­do com os trei­nos de to­das as se­lec­ções na­ci­o­nais.

"O as­sun­to to­ca-nos nes­te mo­men­to, pois, é a pre­pa­ra­ção de to­das as se­lec­ções. A se­lec­ção não po­de fi­car pre­ju­di­ca­da, em de­tri­men­to de qu­em quer que se­ja. As in­fra-es­tru­tu­ras são do Es­ta­do e as se­lec­ções re­pre­sen­tam-no. A mi­nis­tra foi pe­remp­tó­ria em afir­mar que as se­lec­ções es­tão em pri­mei­ro lu­gar. Gos­ta­mos de sa­ber que vai ha­ver um con­tra­to-pro­gra­ma, on­de tu­do vai ser da­do, em fun­ção do pla­no de de­sen­vol­vi­men­to e dos re­sul­ta­dos", dis­se.

O di­ri­gen­te re­fe­riu que foi um pri­vi­lé­gio abor­dar-se to­dos os pon­tos agen­da­dos.

"Ti­ve­mos o pri­vi­lé­gio de abor­dar to­dos os pon­tos nes­sa reu­nião. Fi­ze­mos par­te do pro­ble­ma e qu­e­re­mos ser par­te da so­lu­ção", afir­mou.

Car­los Luís elo­gi­ou o Min­jud quan­to à exi­gên­cia da pres­ta­ção de con­tas.

"A pres­ta­ção de con­ta é uma ex­ce­len­te me­di­da, por­que vai me­lho­rar o de­sem­pe­nho das Fe­de­ra­ções", res­sal­tou.

O ho­mem for­te do boxe sa­li­en­tou a re­vi­são con­cer­nen­te às ques­tões administrativas.

"As ques­tões administrativas de clu­bes e de As­so­ci­a­ções, so­bre­tu­do a do­cu­men­ta­ção, de­ve ser re­vis­ta. Te­mos cha­ma­do a aten­ção por cau­sa da má uti­li­za­ção de pas­sa­por­tes de ser­vi­ço. Es­tou de acor­do que tem de ser acau­te­la­do, por­que o pró­prio atleta po­de ser o fa­ci­li­ta­dor e mui­tas ve­zes es­ca­pa à Fe­de­ra­ção", dis­se.

Res­sal­tou as ques­tões de di­vi­sas e cor­res­pon­dên­ci­as.

"As ques­tões das cor­res­pon­dên­ci­as en­tre o Mi­nis­té­rio e as Fe­de­ra­ções e tam­bém as di­vi­sas fo­ram as­sun­tos que de­ba­te­mos. Foi uma reu­nião mo­ro­sa, mas com re­sul­ta­dos po­si­ti­vos", dis­se.

O di­ri­gen­te afir­mou que a mai­o­ria dos paí­ses do mun­do apos­tam no des­por­to es­co­lar.

"Na mai­o­ria dos paí­ses, o boxe faz par­te do des­por­to es­co­lar, me­nos em An­go­la. Os clu­bes, que têm fa­tia no Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do, de­vem apos­tar nas mo­da­li­da­des olím­pi­cas. Re­fi­ro-me ao 1º de Agos­to, In­ter­clu­be e Pe­tro de Lu­an­da", la­men­tou.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.