DI­REC­ÇÃO QUER RES­GA­TE DO PRES­TÍ­GIO IN­TER­NA­CI­O­NAL

Jornal dos Desportos - - PORTADA - HÉLDER JEREMIAS

A re­gu­la­ri­za­ção da si­tu­a­ção an­go­la­na jun­to das ins­ti­tui­ções in­ter­na­ci­o­nais pa­ra de­vol­ver a dig­ni­da­de e pres­tí­gio do des­por­to na­ci­o­nal, cons­ti­tui a pri­ma­zia nos pri­mei­ros di­as de fun­ci­o­na­men­to da no­va es­tru­tu­ra or­gâ­ni­ca da Fe­de­ra­ção An­go­la­na de Ténis, elei­ta a 24 de Fe­ve­rei­ro pa­ra o qua­drié­nio 2017/2020.

Li­de­ra­do pe­lo pre­si­den­te Ma­ti­as Cas­tro da Sil­va, o no­vo elen­co ges­tor do ténis no ter­ri­tó­rio na­ci­o­nal con­ta com o apoio da Fe­de­ra­ção In­ter­na­ci­o­nal de Ténis (ITF) e da Con­fe­de­ra­ção Afri­ca­na de Ténis (CAT) na sua in­ten­sa ta­re­fa de re­ti­rar a mo­da­li­da­de das ra­que­tes do ma­ras­mo em que se en­con­tra, de­vi­do à ino­pe­rân­cia do ór­gão rei­tor, em con­sequên­cia da fal­ta de en­ten­di­men­to en­tre agen­tes des­por­ti­vos.

Du­ran­te a ce­ri­mó­nia de to­ma­da de pos­se, os cor­pos ge­ren­tes da Fe­de­ra­ção em apre­ço, ju­ra­ram fi­de­li­da­de no de­sem­pe­nho das fun­ções di­an­te de as­so­ci­a­dos e aman­tes da mo­da­li­da­de, num even­to pres­ti­gi­a­do com a pre­sen­ça do se­cre­tá­rio-ge­ral da Zo­na V, Vi­li­ge Tau­a­bo, acom­pa­nha­do da re­pre­sen­tan­te da zo­na jun­to da CAT, dra. Ka­pi­ra.

Ao to­mar a pa­la­vra, Ma­ti­as Cas­tro da Sil­va de­fen­deu a ne­ces­si­da­de de uma ges­tão par­ci­mo­ni­o­sa de re­cur­sos fi­nan­cei­ros alo­ca­dos à ins­ti­tui­ção, a apos­ta na for­ma­ção do pes­so­al e ao apro­vei­ta­men­to ra­ci­o­nal do tem­po que res­ta, pa­ra com­pen­sar o des­per­dí­cio a que a mo­da­li­da­de fi­cou vo­ta­da, por im­pe­ra­ti­vos pou­co abo­na­tó­ri­os.

Pa­ra Ma­ti­as Cas­tro da Sil­va “os con­fli­tu­o­sos e de­tra­to­res não têm es­pa­ços de ma­no­bra, uma vez que os as­so­ci­a­dos de­mons­tra­ram que es­tão in­te­res­sa­dos no res­ga­te da ima­gem que o país já te­ve num pas­sa­do re­cen­te, o pres­tí­gio da ins­ti­tui­ção que ve­la pe­la mas­si­fi­ca­ção e de­sen­vol­vi­men­to do ténis de­gra­dou-se de mo­do acen­tu­a­do, em vir­tu­de do in­te­res­se de pes­so­as que mi­na­ram o bom no­me com o fo­men­to de in­tri­gas no seio da fa­mí­lia”, de mo­dos que é a al­tu­ra de pôr mãos à obra e tra­ba­lhar pa­ra al­te­rar o qua­dro.

O ho­mem for­te do ténis sen­te-se en­co­ra­ja­do qu­an­to à ce­le­ri­da­de do de­sen­vol­vi­men­to do ténis, não só pe­lo for­te com­pro­me­ti­men­to dos as­so­ci­a­dos co­mo tam­bém com al­gu­mas van­ta­gens que o país con­ta, no­me­a­da­men­te, a fun­ci­o­na­li­da­de dos Ca­mi­nhos de Fer­ro de Ben­gue­la, do Lo­bi­to ao Lu­au.

A re­a­li­za­ção pa­ra bre­ve da As­sem­bleia-ge­ral or­di­ná­rio, Ma­ti­as Cas­tro da Sil­va fri­sou que vai ser­vir pa­ra se fa­zer uma in­cur­são de­ta­lha­da so­bre as li­nhas que vão re­for­ças os pa­ra­dig­mas da ins­ti­tui­ção, con­tu­do, con­si­de­ra im­pe­ri­o­sa a cri­a­ção de vá­ri­os tor­nei­os pa­ra man­ter os atle­tas em cons­tan­te ac­ti­vi­da­de des­por­ti­va.

“A re­a­li­za­ção anu­al do tor­neio “João Nguei­ra” em ho­me­na­gem a uma per­so­na­li­da­de de des­ta­que na mas­si­fi­ca­ção do ténis na­ci­o­nal, de­ve an­te­ce­der às de­mais com­pe­ti­ções. O tem­po per­di­do de­ve ser re­com­pen­sa­do com tra­ba­lho, sem per­der de vis­ta à ne­ces­si­da­de da con­ten­ção de des­pe­sas e de mais apos­ta na for­ma­ção de qua­dros”, avan­çou Ma­ti­as Cas­tro da Sil­va.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.