ES­TÁ FOFO

O 1º de Agos­to ob­te­ve on­tem a sua pri­mei­ra vi­tó­ria no pre­sen­te Girabola di­an­te do Ka­bus­corp do Pa­lan­ca, a quem su­pe­rou por 3-1, com uma ex­ce­len­te exi­bi­ção de Fo­fó, au­tor de dois go­los e con­si­de­ra­do ho­mem do jo­go.

Jornal dos Desportos - - PORTADA - JOR­GE NE­TO

1º DE AGOS­TO BA­TE KA­BUS­CORP POR 3-1

Ater­cei­ra foi de vez. O cam­peão na­ci­o­nal fes­te­jou on­tem um bom re­sul­ta­do e ex­ce­len­te pa­ra aqui­lo que são os seus ob­jec­ti­vos, mas não con­se­guiu es­con­der al­gu­ma fal­ta de efi­cá­cia na fi­na­li­za­ção.

O 1º de Agos­to foi com­pe­ten­te, mar­cou pri­mei­ro e es­te­ve sem­pre a fren­te no mar­ca­dor. Não te­meu o go­lo do Ka­bus­corp, pre­ce­di­do de uma fal­ta du­vi­do­sa con­tes­ta­da pe­lo ban­co e que cul­mi­nou com a sus­pen­são de Zo­ran Ma­ki.

O dér­bi não de­frau­dou às ex­pec­ta­ti­vas dos es­pec­ta­do­res. As du­as equi­pas jo­ga­ram ao ata­que, ten­do a vi­tó­ria sor­ri­do aos mi­li­ta­res com uma exi­bi­ção con­vin­cen­te al­can­çan­do as­sim a pri­mei­ra vi­tó­ria no cam­pe­o­na­to, mer­cê dos go­los mar­ca­dos por Ibu­kun e um bis de Fo­fó, en­quan­to Arou­na fez o ten­to de hon­ra dos pa­lan­qui­nos.

O pri­mei­ro pe­ri­go do de­sa­fio acon­te­ceu aos 5´, após uma per­ca de bo­la de Isa­ac obri­gan­do Ne­blú a aban­do­nar os pos­tes pa­ra ti­rar a bo­la dos pés de Nary. No res­sal­to Fi­lhão ati­rou pa­ra a ba­li­za, mas já lá es­ta­va Bo­bó pa­ra co­brir o seu co­le­ga da­que­la po­si­ção.

Mi­nu­tos de­pois foi a vez de Él­ber ten­tar ofe­re­cer um pe­ru an­tes do Natal a equi­pa ru­bro e ne­gra, dei­xan­do es­ca­par a bo­la por bai­xo dos pés, de for­ma dis­pli­cen­te, mas con­tou com a sor­te da mes­ma não ter le­va­do a di­rec­ção da ba­li­za.

O jo­go de­cor­ria num bom rit­mo com os dois con­jun­tos a res­pon­de­rem aos ata­ques do ad­ver­sá­rio na mes­ma mo­e­da, ou se­ja, obri­ga­vam os guar­da-re­des a in­ter­vi­rem sob pe­na de so­fre­rem um go­lo ce­do. Mon­go re­en­con­trou os seus an­ti­gos co­le­gas.

Na mar­ca­ção de um li­vre di­rec­to obri­gou Él­ber a uma de­fe­sa aper­ta­da e evi­tar o go­lo com uma de­fe­sa se­gu­ra. Do la­do dos pa­lan­qui­nos Fi­lhão foi quem mais re­ma­tou no pri­mei­ro tem­po, mas sem con­se­guir o efei­to de­se­ja­do.

No pri­mei­ro re­ma­te que fez a ba­li­za Jac­ques qua­se fes­te­jou. O avan­ça­do re­ma­tou a meia vol­ta e com o guar­da-re­des já ba­ti­do, a bo­la saiu ao la­do do pos­te. Com o si­nal mais pa­ra os ru­bro ne­gro, nu­ma jo­ga­da de be­lo efei­to pro­ta­go­ni­za­da por Fo­fó, es­te ser­viu Ibu­kun, que iso­la­do ati­rou a con­tar, aos 27´, co­lo­can­do os mi­li­ta­res em van­ta­gem no mar­ca­dor.

Mi­nu­tos des­pois, os cam­peões na­ci­o­nais so­fre­ram uma con­tra­ri­e­da­de com a saí­da de Ne­blú, por le­são, res­sen­tin­do do cho­que com Nary nos mi­nu­tos ini­ci­ais e ce­deu o lu­gar a Tony Ca­ba­ça que es­tre­ou-se nes­te cam­pe­o­na­to.

Na eta­pa com­ple­men­tar os dois téc­ni­cos apos­ta­ram no mes­mo on­ze, dan­do um vo­to de con­fi­an­ça aos seus pu­pi­los. Mas, fo­ram os pa­lan­qui­nos os pri­mei­ros a me­xe­ram no xa­drez, com a en­tra­da do ar­gen­ti­no Ca­le­ro pa­ra a saí­da de Dá­rio.

Ape­sar das al­te­ra­ções ope­ra­das por Sér­gio Tra­guil o go­lo sur­giu do la­do con­trá­rio. Fo­fó aos 56´, apro­vei­tou a ofer­ta de um de­fe­sa con­trá­rio pa­ra ba­ter Él­ber. Os mi­li­ta­res pro­cu­ra­ram ti­rar pro­vei­to da su­bi­da no ter­re­no do ad­ver­sá­rio e ex­plo­ra­ram o con­tra-ata­que.

Em dia de ins­pi­ra­ção Fo­fó aos 73´, fez es­tre­me­cer o tra­ves­são de Él­ber com um re­ma­te for­te. Na res­pos­ta, Arou­na aos 75´, acer­tou no al­vo e re­du­ziu a des­van­ta­gem da sua equi­pa. O ca­so do jo­go acon­te­ceu pre­ci­sa­men­te nes­ta al­tu­ra, pois, o téc­ni­co Zo­ran Ma­ki re­cla­mou um em­pur­rão um de­fe­sa seu, an­tes de Arou­na ca­be­ce­ar pa­ra o go­lo, um fac­to que ori­gi­nou a sua ex­pul­são do ban­co.

Es­sa si­tu­a­ção não des­mo­ti­vou o con­jun­to mi­li­tar, pe­lo con­trá­rio, ser­viu co­mo um tó­ni­co, re­sul­tan­do no bis de Fo­fó aos 83´, nu­ma jo­ga­da on­de o mé­ri­to é to­do seu, pois, acre­di­tou que era pos­sí­vel, de­pois de ga­nhar a bo­la a um ad­ver­sá­rio.

Ca­le­ro ain­da viu mal anu­la­do um go­lo seu já no pe­río­do de com­pen­sa­ção que po­dia ser­vir de alen­to pa­ra os pa­lan­qui­nos.

Ru­bro ne­gros ven­cem com gran­de exi­bi­ção de Fo­fó e con­quis­tam pri­mei­ra vi­tó­ria no Cam­pe­o­na­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.