IN­TER­CLU­BE VAI ISO­LA­DO NA LI­DE­RAN­ÇA DA PRO­VA

A for­ça com­pe­ti­ti­va do In­ter­clu­be no Girabola Zap 2018, fi­cou de­mons­tra­da no sá­ba­do no dér­bi lu­an­den­se di­an­te do Pro­gres­so.

Jornal dos Desportos - - PORTADA - PE­DRO AU­GUS­TO

Afor­ça com­pe­ti­ti­va do In­ter­clu­be no Girabola Zap 2018, em que li­de­ra iso­la­do com 13 pon­tos, mer­cê de qua­tro vi­tó­ri­as (con­se­cu­ti­vas) e de um em­pa­te, fi­cou de­mons­tra­da no sá­ba­do no dér­bi lu­an­den­se di­an­te do Pro­gres­so do Sam­bi­zan­ga. O triun­fo por 2-0, com go­los do re­for­ço Pe­dro, co­roa a boa exi­bi­ção e determinação de um gru­po que mui­to fez por con­quis­tar os três pon­tos e con­so­li­dar a con­di­ção de lí­der do cam­pe­o­na­to na­ci­o­nal.

O du­e­lo a con­tar pa­ra a quin­ta jor­na­da do cam­pe­o­na­to, que te­ve no 1º de Agos­to - Ka­bus­corp do Pa­lan­ca o "pra­to qu­en­te" da se­ma­na, nem por is­so foi fá­cil pa­ra os po­lí­ci­as de Pau­lo Torres, pois, os sam­bi­las con­tra­ri­a­ram ao má­xi­mo as in­ten­ções do ad­ver­sá­rio, aliás, co­mo re­co­nhe­ceu o trei­na­dor por­tu­guês no fi­nal da par­ti­da.

Ape­sar dis­so, o In­ter­clu­be nun­ca dei­xou de acre­di­tar na sua ca­pa­ci­da­de de cum­prir o ob­jec­ti­vo tra­ça­do: a vi­tó­ria. O su­ces­so dos po­lí­ci­as acon­te­ceu no se­gun­do tem­po, de­pois de Pau­lo Torres al­te­rar a for­ma de jo­gar da equi­pa.

Ou se­ja, com a en­tra­da do avan­ça­do Ka­po­ral (ex -1º de Maio de Ben­gue­la), se­gun­do me­lhor mar­ca­dor do Girabola Zap do ano pas­sa­do, o trei­na­dor deu mais li­ber­da­de ao cri­a­ti­vo mé­dio Ma­no Ca­les­so e a par­tir daí, o lí­der do cam­pe­o­na­to cri­ou si­tu­a­ções de su­pe­ri­o­ri­da­de nu­mé­ri­ca em re­la­ção ao Pro­gres­so.

Com is­so, o In­ter­clu­be foi à pro­cu­ra do que mais ne­ce­si­ta­va no de­sa­fio: go­los. E, con­se­gui-os por in­ter­mé­dio do "me­ni­no" de mo­men­to do cam­pe­o­na­to, o jo­vem Pe­dro que um dos re­for­ços de lu­xo na for­ma­ção do Ro­cha Pinto. O go­le­a­dor que en­ver­gou nas úl­ti­mas épo­cas a ca­mi­so­la do Ben­fi­ca de Lu­an­da, "bi­sou" no jo­go, à se­me­lhan­ça do que acon­te­ceu em ou­tras jor­na­das, e ga­ran­tiu um im­por­tan­te triun­fo pa­ra os po­lí­ci­as.

A vi­tó­ria do In­ter­clu­be, por 2-0, dá a ideia de que o Pro­gres­so do Sam­bi­zan­ga fos­se presa fá­cil. Na­da dis­so. Os ra­pa­zes às or­dens de Hélder Tei­xei­ra, um gru­po for­ma­do por mui­tos jo­vens, fo­ram dig­nos ven­ci­dos. Ba­te­ram-se com va­len­tia du­ran­te o jo­go, po­rém, não fo­ram ca­pa­zes de aguen­tar a pres­são do ad­ver­sá­rio, que uti­li­zou a in­te­li­gên­cia pa­ra ga­ran­tir os três pon­tos.

O gran­de pro­ble­ma dos sam­bi­las, que nos três pri­mei­ros jo­gos (1º de Agos­to, Do­mant FC e Des­por­ti­vo da Huí­la) mos­trou mui­ta con­sis­tên­cia, es­te­ve mais no sec­tor de­fen­si­vo, que de­ve me­re­cer mais tra­ba­lho da par­te da equi­pa téc­ni­ca li­de­ra­da por Hélder Tei­xei­ra.

VIGAS DA PURIFICAÇÃO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Pro­gres­so do Sam­bi­zan­ga foi im­po­ten­te pa­ra tra­var a am­bi­ção do In­ter­clu­be

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.