Ar­se­nal su­pe­ra pro­tes­tos e re­gres­sa às vi­tó­ri­as

Jornal dos Desportos - - INTERNACIONAL -

Nu­ma fa­se de mai­or ten­são da re­la­ção en­tre o téc­ni­co Ar­se­ne Wen­ger e a cla­que do Ar­se­nal em ra­zão de três der­ro­tas con­se­cu­ti­vas no Cam­pe­o­na­to In­glês, eis que on­tem sur­giu o alí­vio: o Ar­se­nal vol­tou a ven­cer e evi­tou a apro­xi­ma­ção de Burn­ley e Lei­ces­ter à zo­na de qua­li­fi­ca­ção pa­ra a Li­ga Eu­ro­pa 2018/2019. Ac­tu­al sex­to clas­si­fi­cadp, o Ar­se­nal ven­ceu o Wat­ford por 3-0, com go­los mar­ca­dos por Mus­ta­fi, Au­ba­meyang e Mkhi­taryan.

An­tes da par­ti­da, adep­tos do clu­be pro­tes­ta­ram con­tra o téc­ni­co que ori­en­ta a equi­pa des­de 1996 com fai­xas es­cri­tas "Wen­ger out" (Fo­ra Wen­ger) e "Ar­se­nal not Ar­se­ne" (Ar­se­nal, não Ar­se­ne). Com o iní­cio do jo­go, no en­tan­to, os pro­tes­tos fo­ram lo­go apla­ca­dos pe­la boa ac­tu­a­ção da equi­pa: aos oi­to mi­nu­tos do pri­mei­ro tem­po, Mus­ta­fi mar­cou de ca­be­ça após uma fal­ta co­bra­da por Ozil. O go­lo de Mus­ta­fi foi o mi­lé­si­mo do Ar­se­nal, nú­me­ro que ti­nha si­do al­can­ça­do ape­nas pe­lo Man­ches­ter Uni­ted até o mo­men­to.

No se­gun­do tem­po, Au­ba­meyang au­men­tou o pla­car aos 14 mi­nu­tos, após boa jo­ga­da de Mkhi­taryan. O pró­prio au­tor da as­sis­tên­cia pa­ra o se­gun­do go­lo é quem mar­cou o ter­cei­ro aos 32 mi­nu­tos, com pas­se de Au­ba­meyang após con­fu­são na de­fe­sa do Wat­ford. Mi­nu­tos an­tes, os vi­si­tan­tes ti­nham des­per­di­ça­do uma opor­tu­ni­da­de de fac­tu­rar na mar­ca­ção de um pe­nál­ti de De­e­ney de­fen­di­do por Ce­ch.

A vi­tó­ria man­tém o Ar­se­nal em sex­to e me­lho­ra as pers­pec­ti­vas por ser a se­gun­da se­gui­da na tem­po­ra­da - a an­te­ri­or ha­via si­do por 2-0, con­tra o Mi­lan, pa­ra a Li­ga Eu­ro­pa. O jo­go da se­gun­da mão com os ita­li­a­nos é na quin­ta-fei­ra.

RE­VOL­TA NO BALNEÁRIO

A re­vol­ta no balneário do Ar­se­nal foi pro­vo­ca­da pe­la di­fe­ren­ça de or­de­na­dos que re­ce­bem os jo­ga­do­res e es­tá a cri­ar vá­ri­os con­tor­nos. O pro­ble­ma ga­nhou mais re­le­vo, com a che­ga­da ao plan­tel de es­tre­las co­mo Au­ba­meyang e Mkhi­ta­ri­an, que ga­nham mais do que al­guns dos jo­ga­do­res de re­fe­rên­cia no clu­be.

Por ou­tro la­do, a re­no­va­ção de Ozil que pas­sou a ga­nhar qua­se 400 mil eu­ros por se­ma­na, cau­sou des­con­for­to no seio de al­guns co­le­gas, além dos pro­ble­mas e dú­vi­das ao re­dor da con­ti­nui­da­de de Wen­ger no co­man­do téc­ni­co do Ar­se­nal, se­gun­do o jor­nal es­pa­nhol "Sport".

A dis­cus­são do te­ma foi in­ten­sa. A mes­ma fon­te re­ve­la que al­guns jo­ga­do­res es­tão mui­to in­sa­tis­fei­tos e con­si­de­ram, in­clu­si­ve, que o ren­di­men­to em cam­po de al­guns co­le­gas não jus­ti­fi­ca o va­lor que ga­nham.

Pa­ra com­pli­car a si­tu­a­ção, jo­ga­dor co­mo Jack Wilshe­re es­tá em fa­se de re­no­va­ção, e já de­ve ter in­for­ma­do que ou acei­tam o ofe­re­ci­do pe­lo Ar­se­nal ou a res­ci­são é o ca­mi­nho.

REVIRAVOLTA DO ES­PA­NHOL

O Es­pa­nhol ven­ceu on­tem a Re­al So­ci­e­dad por 2-1, em Bar­ce­lo­na, num jo­go que te­ve reviravolta no mar­ca­dor e agu­di­zou a cri­se de re­sul­ta­dos da for­ma­ção bas­ca fo­ra do es­tá­dio de San Se­bas­ti­an.

O bra­si­lei­ro Wil­li­an Jo­sé, que apro­vei­tou um er­ro do cen­tral Oscar Du­ar­te, inau­gu­rou o mar­ca­dor pa­ra a Re­al So­ci­e­dad, aos 41 mi­nu­tos.

Na se­gun­da par­te, po­rém, veio a cam­ba­lho­ta no re­sul­ta­do. Léo Bap­tis­tão em­pa­tou aos 51 mi­nu­tos e Ge­rard Mo­re­no sen­ten­ci­ou o jo­go aos 72 mi­nu­tos, ele que mar­cou pe­la 11ª vez na li­ga es­pa­nho­la, o que sig­ni­fi­ca que tem pou­co me­nos do que me­ta­de dos go­los da equi­pa (26). Ge­rard Mo­re­no, de res­to, ain­da fa­lhou um pe­nál­ti.

Com es­te re­sul­ta­do, o Es­pa­nhol su­biu ao 12º lu­gar, ul­tra­pas­san­do pre­ci­sa­men­te a Re­al So­ci­e­dad.

CH­RIS­TOPHE ARCHAMBAULT / AFP

Equi­pa vi­nha de três de­sa­fi­os sem ven­cer mas on­tem foi di­fe­ren­te

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.