Téc­ni­cos di­ver­gem na ava­li­a­ção

Jornal dos Desportos - - FUTEBOL -

O em­pa­tou foi um mal me­nor pa­ra as du­as equi­pas, em­bo­ra, o téc­ni­co do 1º de Agosto, Zo­ran Ma­ki, ad­mi­ta que me­re­cia re­sul­ta­do me­lhor, pois, os mi­li­ta­res fi­ze­ram por ven­cer, en­quan­to o ad­ver­sá­rio se li­mi­tou a de­fen­der.

“Vi­mos um gran­de jo­go, em que ape­nas uma equi­pa ten­tou ga­nhar, que foi o 1º de Agosto. Ti­ve­mos o do­mí­nio na pri­mei­ra e na se­gun­da par­te. Cri­a­mos opor­tu­ni­da­des, mas não mar­ca­mos e o úl­ti­mo lan­ce foi du­vi­do­so, em mi­nha opi­nião foi pé­nal­ti”, ava­li­ou. Afir­mou com con­vic­ção que “o jo­ga­dor do Petro jo­gou a bo­la com a mão den­tro da gran­de área. Vi­mos no jo­go do Re­al Ma­drid -Ju­ven­tus que mar­cou-se pé­nal­ti aos 94 mi­nu­tos. Dou os pa­ra­béns aos meus jo­ga­do­res, pra­ti­ca­mos bom fu­te­bol, não ti­ve­mos a es­tre­li­nha da sor­te, va­mos le­van­tar a ca­be­ça e tra­ba­lhar”, dis­se.

Do la­do do Petro de Lu­an­da, o téc­ni­co - ad­jun­to, Maurício Mar­ques, con­si­de­rou o em­pa­te um re­sul­ta­do acei­tá­vel. “O em­pa­te foi uma con­sequên­cia do jo­go e sa­be­mos que exis­tia a pos­si­bi­li­da­de de vi­tó­ria, der­ro­ta ou em­pa­te”, pre­ci­sou. Su­bli­nhou mais adi­an­te, que “acon­te­ceu mais uma vez o em­pa­te, foi um gran­de jo­go, não foi tão tác­ti­co co­mo o de­sa­fio pas­sa­do com o Re­cre­a­ti­vo do Li­bo­lo. Foi uma par­ti­da mui­to dis­pu­ta­da, hou­ve lan­ces de jo­ga­das in­di­vi­du­ais e aca­bou por acon­te­cer o em­pa­te mais uma vez. Pa­ra nós, não é de to­do mau, es­se em­pa­te. So­mos a úni­ca equi­pa que ain­da não per­deu, te­mos a me­lhor de­fe­sa do cam­pe­o­na­to e pra­ti­ca­mos um bom fu­te­bol”, enal­te­ceu.

SAN­TOS PE­DRO | EDIÇÕES NOVEMBRO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.