Go­lo de Le­o­nel “afas­ta” maus re­sul­ta­dos

Jornal dos Desportos - - FUTEBOL - BENIGNO NARCITO, NO LUBANGO

Um go­lo so­li­tá­rio, on­tem, apon­ta­do pe­lo avan­ça­do ca­ma­ro­nês Le­o­nel, aos 49´ do jo­go, per­mi­tiu ao Des­por­ti­vo da Huí­la que­brar a sequên­cia de seis jor­na­das sem triun­far, ven­cen­do, as­sim, por 1-0, o Re­cre­a­ti­vo da Caá­la, no es­tá­dio do Fer­ro­viá­rio, no Lubango, em de­sa­fio pon­tuá­vel pa­ra a 15ª jor­na­da da pro­va.

De­ter­mi­na­dos em pôr pon­to fi­nal a on­da de cin­co em­pa­tes e uma der­ro­ta, os Mi­li­ta­res da Re­gião Sul en­tra­ram ci­en­tes de que es­ta­vam proi­bi­dos de vol­tar a per­der em ca­sa, di­an­te dos seus adep­tos. O pe­so des­ta res­pon­sa­bi­li­da­de in­ter­fe­riu na pos­tu­ra da equi­pa nos mi­nu­tos ini­ci­ais do jo­go.

Sur­pre­en­di­da, mas não aba­la­da, a equi­pa de ca­sa su­por­tou a en­tra­da ac­ti­va e es­cla­re­ci­da dos vi­si­tan­tes e, a par­tir dos 15 mi­nu­tos, en­trou no jo­go. Co­me­çou a equi­li­brar, pas­sou a di­vi­dir as in­ves­ti­das e a su­pe­ri­o­ri­zar-se so­bre o ad­ver­sá­rio.

O ca­be­ce­a­men­to de Ca­re­ca aos 7 mi­nu­tos, avan­ça­do dos fo­ras­tei­ros, ser­viu de des­per­ta­dor pa­ra a equi­pa hui­la­na. Na res­pos­ta, aos 17´ a re­pre­sen­tan­te da Huí­la na pro­va, re­pos­tou e deu o pri­mei­ro si­nal de vi­da, quan­do Cris­ti­an, na gran­de área ple­no de opor­tu­ni­da­de e em po­si­ção pri­vi­le­gi­a­da, ati­rou ao la­do pa­ra o es­pan­to dos adep­tos, pois, o gu­ar­da-re­des con­trá­rio já se en­con­tra­va sem pos­si­bi­li­da­des de de­fe­sa.

Ape­sar des­se des­per­tar, os co­man­da­dos de Má­rio So­a­res vol­ta­ram a re­ve­lar fal­ta de pon­ta­ria, si­tu­a­ção que vol­tou a me­re­cer o de­sa­ba­fo do pró­prio téc­ni­co. Kêm­bua, aos 24 mi­nu­tos, Ma­nu­cho Di­niz aos 34 e aos 89, Le­o­nel aos 79, re­ve­la­ram, uma vez mais, a fra­ca ca­pa­ci­da­de de fi­na­li­za­ção que afec­ta a equi­pa.

De do­ma­dor a do­ma­do, a equi­pa do Hu­am­bo ce­do re­ve­lou re­den­ção à su­pe­ri­o­ri­da­de dos Mi­li­ta­res da Re­gião Sul. Por is­so, fo­ram ape­nas três as oca­siões que, sem su­ces­so, ten­tou in­co­mo­dar pa­ra vi­o­lar a ba­li­za de­fen­di­da por Kis­si.

Na mais fla­gran­te, aos 75, o gu­ar­da-re­des do con­jun­to de ca­sa viu-se obri­ga­do a uma de­fe­sa a dois tem­pos e, de­pois, sem pos­si­bi­li­da­des de con­tro­lar a bo­la, ati­rou pa­ra a li­nha do fun­do, an­te a pres­são dos avan­ça­dos con­trá­ri­os.

As al­te­ra­ções efec­tu­a­das pe­los dois téc­ni­cos im­pri­mi­ram ve­lo­ci­da­de e vi­va­ci­da­de ao jo­go. Des­ta­ca-se a ma­gia de Nan­di­nho, pe­lo Des­por­ti­vo que, com re­cor­tes téc­ni­cos de re­gis­to e fin­tas es- ton­te­an­tes, ani­mou e aju­dou a sua equi­pa a con­ser­var a van­ta­gem e re­mar con­tra a ma­ré na ten­ta­ti­va de am­pli­ar o re­sul­ta­do.

Con­tu­do, o 1-0, al­can­ça­do aos 49 mi­nu­tos pe­lo Des­por­ti­vo pre­va­le­ceu até ao api­to fi­nal do ár­bi­tro Ben­ja­mim An­dra­de, que te­ve uma ac­tu­a­ção acei­tá­vel.

SAN­TOS PE­DRO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

A equi­pa de ca­sa su­por­tou a en­tra­da ac­ti­va e es­cla­re­ci­da dos vi­si­tan­tes e a par­tir dos 15 mi­nu­tos en­trou no jo­go

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.