Spor­ting tro­pe­ça e apa­ga re­gis­tos do pas­sa­do

Jornal dos Desportos - - FUTEBOL - BF

O Spor­ting de Cabinda é o lanterna vermelha do cam­pe­o­na­to, as du­as der­ro­tas em tan­tos jo­gos são mui­to mais do que um mau co­me­ço, afi­nal os leões fo­ram das sen­sa­ções da épo­ca pas­sa­da, que ter­mi­nou há pou­co tem­po.

Num abrir e fe­char de olhos, a equi­pa le­o­ni­na tro­cou o bom com o mau, os seus adep­tos têm to­dos os mo­ti­vos pa­ra se mos­trar pre­o­cu­pa­dos, ain­da é ce­do pa­ra fa­zer con­jec­tu­ras, é ver­da­de, mas as lem­bran­ças do pas­sa­do au­men­tam a ima­gi­na­ção de quem há pou­co tem­po, viu o Spor­ting em cons­tan­tes su­bi­das e des­ci­das de di­vi­são.

Os leões fo­ram com­pe­ti­ti­vos de­mais no Girabola Zap pas­sa­do, su­pe­ra­ram to­das as ex­pec­ta­ti­vas e quan­do re­la­xa­ram já es­ta­vam na sua zo­na de con­for­to, por is­so per­ma­ne­ce­ram pa­ra es­tar no cam­pe­o­na­to (2018/2019), mas até ago­ra ain­da não mos­tra­ram na­da das coi­sas bo­as do pas­sa­do.

A pe­sa­da der­ro­ta ca­sei­ra de 3-0, di­an­te do Pro­gres­so Sam­bi­zan­ga, te­ve os mes­mos nú­me­ros do de­sai­re na es­treia con­tra o Aca­dé­mi­ca do Lo­bi­to, as­sim é fá­cil con­cluir que na­da mu­dou de um jo­go pa­ra ou­tro, a re­ac­ção es­pe­ra­da não che­gou, pe­lo que as pró­xi­mas jor­na­das vão ser de­ter­mi­nan­tes, pa­ra jul­gar o ver­da­dei­ro po­der com­pe­ti­ti­vo do Spor­ting de Cabinda.

Em­bo­ra nun­ca en­tre no cam­pe­o­na­to a pen­sar nos lu­ga­res ci­mei­ros, o Spor­ting de Cabinda é das equi­pas que, quan­do es­tá bem no cam­pe­o­na­to, ale­gra a to­dos. Ou se­ja, quan­do os leões es­tão a ru­gir, ata­re­fam em de­ma­sia a quem en­con­tram pe­la fren­te, mas o con­trá­rio tam­bém cos­tu­ma acon­te­cer, é is­so o que de­ve es­tar a fa­zer mos­sa aos adep­tos.

Até ago­ra, os leões pro­va­ram que es­tão mal em tu­do, de­fen­dem tão mal quan­to ata­cam, ten­tar achar que há um sec­tor que es­tá me­lhor do que o ou­tro não cor­res­pon­de com a ver­da­de, quem olhar de trás pa­ra fren­te ou vi­ce-ver­sa vai ver sem­pre a mes­ma coi­sa, uma equi­pa que dei­xa os ad­ver­sá­ri­os mar­car e que é in­ca­paz de acer­tar com as ba­li­zas con­trá­ri­as, con­sen­tiu 6 go­los e ain­da não mar­cou ne­nhum, co­mo o Li­bo­lo.

Com o ri­val FC de Cabinda im­pe­di­do de dis­pu­tar pro­vas na­ci­o­nais, por cau­sas do cas­ti­go da FI­FA, o Spor­ting as­su­miu o pa­pel de úni­co re­pre­sen­tan­te do en­cla­ve no cam­pe­o­na­to, o co­me­ço em fal­so dá to­dos os mo­ti­vos de quei­xa aos adep­tos da equi­pa e tam­bém aos apoi­an­tes dos ou­tros com­pe­ti­do­res que re­si­dem no cam­pe­o­na­to.

Fi­ca cla­ro que to­dos aguar­dam pe­la re­cu­pe­ra­ção do leão, se is­so acon­te­cer, o Spor­ting vai vol­tar a ser o or­gu­lho de to­dos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.