Win­doWs 10 Uma mão cheia de fun­ções

Super Fashion - - Homens - TO­MÁS SAN­TOS

In­cluí­do des­de iní­cio com o Win­dows 10 co­mo subs­ti­tu­to do In­ter­net Ex­plo­rer, es­te é um no­vo brow­ser que pro­me­te uma fan­tás­ti­ca ex­pe­ri­ên­cia de na­ve­ga­ção na in­ter­net. Em al­guns tes­tes de­sen­vol­vi­dos, no­tou-se uma per­for­man­ce mais rá­pi­da que em brow­sers co­mo o Go­o­gle Ch­ro­me eo Mo­zil­la Fi­re­fox. Ofe­re­ce uma assistente pes­so­al virtual ao es­ti­lo de Si­ri (da Ap­ple), que fun­ci­o­na atra­vés de co­man­dos de voz. O uti­li­za­dor po­de con­tar com Cor­ta­na pa­ra uma va­ri­e­da­de de fun­ções, co­mo por exem­plo, re­co­nhe­cer que mú­si­ca es­tá a to­car, li­gar fun­ci­o­na­li­da­des co­mo o Blu­e­to­oth, de­fi­nir lem­bre­tes, ob­ter in­for­ma­ções co­mo a me­te­o­ro­lo­gia ou re­sul­ta­dos de jo­gos, pe­dir re­co­men­da­ções de res­tau­ran­tes e efe­tu­ar re­ser­vas (atra­vés do Mi­cro­soft Ed­ge). Em cer­tos ca­sos de in­de­ci­são, o uti­li­za­dor po­de até pe­dir pa­ra Cor­ta­na ati­rar uma mo­e­da ao ar. Gi­ro, não é? O uti­li­za­dor po­de ou não de­fi­nir uma pa­la­vra-pas­se que se­rá re­que­ri­da an­tes de ser ini­ci­a­da a ses­são no com­pu­ta­dor/ smartpho­ne/ta­blet. No en­tan­to, a no­vi­da­de é que es­ta me­di­da de se­gu­ran­ça po­de ser to­ma­da na for­ma de re­qui­si­ção de im­pres­são di­gi­tal ou re­co­nhe­ci­men­to fa­ci­al em vez de uma pa­la­vra-pas­se. Apre­sen­ta to­das as apli­ca­ções e ta­re­fas aber­tas num úni­co pla­no e per­mi­te que o uti­li­za­dor al­ter­ne en­tre elas, ou até que as agru­pe por pro­je­to. Lo­ja virtual on­de é pos­sí­vel des­car­re­gar e/ ou com­prar apli­ca­ções, jo­gos, mú­si­ca, fil­mes...

Win­dows 10 é o mais re­cen­te sis­te­ma ope­ra­ti­vo da Mi­cro­soft na fa­mí­lia Win­dows NT. Con­tém uma va­ri­e­da­de de no­vas fun­ci­o­na­li­da­des. E me­lhor ain­da: qu­em pos­sui uma ver­são le­gal do Win­dows 7 ou do Win­dows 8 po­de fa­zer a atu­a­li­za­ção pa­ra o Win­dows 10 sem pa­gar na­da.

O lan­ça­men­to mun­di­al acon­te­ceu a 29 de ju­lho.

Andy Gre­en­berg par­ti­ci­pou pa­ra a Wi­red nu­ma de­mons­tra­ção por par­te de Char­lie Mil­ler e Ch­ris Va­la­sek em que es­tes “hac­ke­a­ram” o seu car­ro e o fi­ze­ram per­der con­tro­lo da vi­a­tu­ra. Pri­mei­ro, fi­ze­ram o ar con­di­ci­o­na­do re­fres­car o am­bi­en­te, de­pois pu­se­ram a mú­si­ca do rá­dio no má­xi­mo, mu­da­ram de es­ta­ção e de­sa­ti­va­ram os con­tro­los, mes­mo an­tes de ati­va­rem os lim­pa pa­ra-bri­sas. A se­guir, os hac­kers cor­ta­ram a trans­mis­são do car­ro e o pe­dal da ace­le­ra­ção dei­xou de fun­ci­o­nar. O tru­que de Mil­ler e Va­la­sek é a Ucon­nect, uma fun­ci­o­na­li­da­de de vá­ri­os car­ros da Chrys­ler que ba­si­ca­men­te tor­na o car­ro num smartpho­ne. A Ucon­nect tem uma vul­ne­ra­bi­li­da­de que per­mi­tiu aos hac­kers atin­gir o con­tro­lo do car­ro atra­vés da in­ter­net, es­te­jam on­de es­ti­ve­rem. Di­fí­cil, mas pe­ri­go­so. A Chrys­ler já lan­çou uma atu­a­li­za­ção que cor­ri­ge es­ta fa­lha, mas co­mo es­ta tem de ser ins­ta­la­da atra­vés de uma pen USB, mui­tos car­ros man­ter-se-ão, pro­va­vel­men­te, vul­ne­rá­veis.

Té­nis Ni­ke Bas­ket­ball Té­nis Ni­ke Le Bron 18000 Akz Té­nis Ni­ke Hy­per­dunk 14000 Akz Té­nis Ni­ke Air Mag, sob con­sul­ta

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.