So­bre si...

Super Fashion - - Mais Bem Vestidos -

Nas­ci... Al­cân­ta­ra, Lis­boa , a 12 de ju­nho de 1972 A mi­nha prin­ci­pal vir­tu­de... de­ter­mi­na­ção O meu prin­ci­pal de­fei­to... tei­mo­sia O que mais apre­cio nu­ma pes­soa... le­al­da­de O que mais de­tes­to... fal­si­da­de Com quem vi­ve­ria nu­ma ilha de­ser­ta... com a fa­mí­lia e os ami­gos Por amor era ca­paz de... apren­der a gos­tar de coi­sas que fa­zem fe­liz o meu com­pa­nhei­ro pa­ra par­ti­lhar­mos mais mo­men­tos jun­tos A fe­li­ci­da­de... é ter saú­de e paz de es­pí­ri­to Deus... es­tá lá pa­ra mim A mi­nha fa­mí­lia... “É o meu tu­do”, co­mo can­tou a Bru­na ta­ti­a­na

va qua­se sem­pre por ser o mes­mo gru­po de pes­so­as. Di­ver­tía­mos-nos mui­to nos bas­ti­do­res e éra­mos ami­gos dos es­ti­lis­tas, dos pro­du­to­res, dos co­reó­gra­fos.... Eu fa­zia des­fi­les qua­se to­das as se­ma­nas, e a moda deu-me in­de­pen­dên­cia fi­nan­cei­ra. Ain­da fiz al­guns des­fi­les em Ma­drid, Bar­ce­lo­na e na Ale­ma­nha… Mas eu não gos­ta­va por­que eram mer­ca­dos mui­to com­pe­ti­ti­vos e agres­si­vos e sen­tia-me so­zi­nha, en­tão pre­fe­ria fi­car em Por­tu­gal per­to da mi­nha fa­mí­lia e ami­gos, e on­de era cha­ma­da de “A Na­o­mi por­tu­gue­sa” (ri­sos). As fashi­on we­eks de Ma­drid e Bar­ce­lo­na, por­que na­que­la al­tu­ra, há 23 anos, não ha­via a co­mu­ni­ca­ção e a fa­ci­li­da­de que ho­je há de se in­ter­na­ci­o­na­li­zar ma­ne­quins es­ta­be­le­cen­do par­ce­ri­as com ou­tros mer­ca­dos, prin­ci­pal­men­te ma­ne­quins saí­das de Por­tu­gal… A pri­mei­ra edi­ção do Por­tu­gal Fashi­on on­de des­fi­lei ao la­do de al­gu­mas das gran­des top mo­dels in­ter­na­ci­o­nais, que na al­tu­ra eram cha­ma­das de su­per­mo­dels: Cláu­dia Schif­fer, Lin­da Evan­ge­lis­ta, Carla Bru­ni, El­le Mcpher­son e He­le­na Ch­ris­ti­an­sen. E um des­fi­le do João Rô­lo no Ho­tel Ritz que eu con­se­gui fa­zer de­vi­do à mi­nha tei­mo­sia e de­ter­mi­na­ção, as­sim que saí do hos­pi­tal on­de ti­nha si­do ope­ra­da há cer­ca de 10 di­as, e ain­da es­ta­va com pon­tos! Mas eu era a “ma­ne­quim de ca­sa” de­le, que sig­ni­fi­ca a ma­ne­quim cu­jas me­di­das o cri­a­dor de moda usa pa­ra ba­se da co­lec­ção… Es­ta­va tu­do fei­to com ba­se em mim e o fe­cho era com um ves­ti­do de noi­va ver­me­lho, que eu nem ti­nha con­se­gui­do fa­zer pro­va ne­nhu­ma por­que es­ta­va no hos­pi­tal, mas que me acen­tou que nem uma lu­va! O des­fi­le foi um su­ces­so, mas eu vol­tei pa­ra a ca­ma no dia se­guin­te…

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.