Su­pe­re o bad hair day

Sai­ba co­mo evi­tar o ca­be­lo re­bel­de e in­vis­ta em su­ges­tões prá­ti­cas pa­ra dei­xar a ca­be­lei­ra des­lum­bran­te!

200 Cortes de Cabelo - - Inspiração - Tex­to: CA­ROL FER­REI­RA/CO­LA­BO­RA­DO­RA | De­sign: RA­FA­EL­LA BORTOLAN/CO­LA­BO­RA­DO­RA

To­da mu­lher já de­ve ter vi­vi­do um bad hair day: os ca­be­los acor­dam re­bel­des e de mau hu­mor e vo­cê não tem tem­po pa­ra pro­du­ções de­mo­ra­das, a úni­ca saí­da pa­re­ce ser en­trar em pâ­ni­co. Mas não há mo­ti­vo pa­ra de­ses­pe­ro! Com truques sim­ples e cui­da­dos diá­ri­os é pos­sí­vel dri­blar o pro­ble­ma e até evi­tá-lo.

Cau­sas

Nor­mal­men­te, o cli­ma é o prin­ci­pal cau­sa­dor da re­bel­dia dos ca­be­los. Em di­as mais úmi­dos, os fi­os res­se­ca­dos ab­sor­vem a umi­da­de do ar e aca­bam fi­can­do com frizz e sem bri­lho. Dor­mir com os ca­be­los mo­lha­dos tam­bém pre­ju­di­ca a apa­rên­cia, dei­xan­do-os vo­lu­mo­sos no dia se­guin­te. Ou­tro er­ro bas­tan­te co­mum é man­ter os ca­be­los pre­sos en­quan­to dor­me com mui­ta tra­ção. O re­sul­ta­do são fi­os mar­ca­dos, que­bra­di­ços e, al­gu­mas ve­zes, sem vo­lu­me.

Co­mo evi­tar

Ago­ra que vo­cê já sa­be as cau­sas prin­ci­pais do bad hair day, fi­cou mais fá­cil evi­tá-lo! An­tes de dor­mir, qu­em tem ca­be­los li­sos de­ve pen­teá-los com es­co­vas de cer­das na­tu­rais. Se qui­ser pren­der as ma­dei­xas, pre­fi­ra uma tran­ça frou­xa. Do­nas de ca­be­los ca­che­a­dos ou cres­pos po­dem lan­çar mão de cre­mes de tra­ta­men­to no­tur­no, que vão aju­dar a man­ter os fi­os con­tro­la­dos ao ama­nhe­cer. Além dis­so, não des­cui­de da hi­dra­ta­ção: se­ma­nal­men­te em ca­sa e a ca­da quin­ze di­as no sa­lão.

S.O.S.

Mas se o bad hair day já che­gou e os seus ca­be­los pe­dem so­cor­ro, uma al­ter­na­ti­va é par­tir pa­ra a la­va­gem. “Após la­var e hi­dra­tar, use sé­rum, le­a­ve-in ou mous­se”, ori­en­ta a hairsty­list Pa­trí­cia Shatz, ins­tru­to­ra da Wer­ner Aca­de­mia. Apli­car so­men­te o fi­na­li­za­dor nos fi­os re­bel­des es­tá proi­bi­do, pois po­de dei­xá-los ole­o­sos. Se vo­cê não tem tem­po pa­ra a la­va­gem, apos­te em umi­di­fi­ca­do­res – prin­ci­pal­men­te as do­nas de ma­dei­xas en­ca­ra­co­la­das. “Na pres­sa, um pou­co de hi­dra­tan­te com água po­de ser bor­ri­fa­do tam­bém”, en­si­na Pa­trí­cia. Vo­cê po­de apli­car o pro­du­to nos ca­be­los, pen­te­ar com pen­te ou mo­de­lar com as mãos. Não é por­que os seus ca­be­los acor­da­ram re­bel­des que vo­cê pre­ci­sa per­der o gla­mour. Se ti­ver al­guns mi­nu­ti­nhos, in­vis­ta em pen­te­a­dos cu­rin­gas, que dis­far­çam bem o efei­to juba e, de que­bra, dei­xam vo­cê lin­da. Vá de ra­bo de ca­va­lo, tran­ça la­te­ral ou co­que bai­xo de­ses­tru­tu­ra­do. Pren­der a fran­ja com gram­pos tam­bém é uma al­ter­na­ti­va, as­sim co­mo fa­zer uso de ou­tros aces­só­ri­os, co­mo pre­si­lhas, len­ços e fai­xas, trans­for­man­do o pro­ble­ma em so­lu­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.