ALANIS MORISSETTE

ALMANAQUE DO ROCK - EDIÇÃO DE COLECIONADOR - - Sexta Era -

Aos no­ve anos de ida­de, Alanis se apre­sen­ta­va em um pro­gra­ma in­fan­til. Do meio dos anos 80 até 1992, ela fa­zia mui­to su­ces­so no Ca­na­dá, sua ter­ra na­tal, com dois ál­buns de can­ções dan­çan­tes e pop. Re­sol­veu dar uma gui­na­da em sua car­rei­ra. Mu­dou-se pa­ra Los An­ge­les e, com a aju­da de Glen Bal­lard, gra­vou al­gu­mas de­mos, com letras au­to­bi­o­grá­fi­cas, pro­vo­ca­ti­vas e re­ple­tas de sen­ti­men­tos (bons e ruins). Ma­ve­rick, se­lo de nin­guém me­nos do que Ma­don­na, re­sol­veu apos­tar na me­ni­na ca­na­den­se e, em 1995, nas­ceu Jag­ged Lit­tle Pill, que já ven­deu per­to de 30 mi­lhões de có­pia no mun­do to­do. E Alanis de­ve sig­ni­fi­car “mu­dan­ça” em al­gu­ma lín­gua (nem que se­ja a dos an­jos): os ál­buns se­guin­tes da can­to­ra não se­gui­ram a fór­mu­la de su­ces­so do pri­mei­ro, al­guns sen­do mais in­tros­pec­ti­vos ain­da ( Sup­po­sed For­mer In­fa­tu­a­ti­on Jun­kie, em 98), ou­tros mais ma­du­ros mu­si­cal­men­te ( Un­der Rug Swept, em 2002). Nes­se meio tem­po, ela ain­da brin­cou de ser Deus (seu pa­pel no filme Dog­ma). Em 2012, após um hi­a­to de qua­tro anos, a mu­sa re­tor­nou com Ha­voc and Bright Lights, seu pri­mei­ro dis­co após dei­xar a Ma­ve­rick Re­cords, com a qual tra­ba­lha­va des­de os tem­pos de Jag­ged... A mu­dan­ça de ares fez bem!

Ál­buns es­sen­ci­ais

• Jag­ged Lit­tle Pill (1995)

• Sup­po­sed For­mer In­fa­tu­a­ti­on Jun­kie (1998)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.