JE­SUS FO­RA DA BÍ­BLIA

BBC History Brasil - - Capa -

Mais re­cen­te­men­te, a par­tir das dé­ca­das de 1960 e 1970, es­pe­ci­al­men­te após a di­vul­ga­ção e dis­po­ni­bi­li­za­ção de inú­me­ros ma­nus­cri­tos e do­cu­men­tos mi­le­na­res que fa­zem re­fe­rên­ci­as a Je­sus ou aos pri­mei­ros cris­tãos, sur­giu uma no­va ten­dên­cia nos es­tu­dos so­bre Je­sus. Ca­da­vid ci­ta três ele­men­tos sig­ni­fi­ca­ti­vos des­sa no­va li­nha de in­ves­ti­ga­ção: o pri­mei­ro é a dis­so­ci­a­ção da te­o­lo­gia ale­mã, que nos sé­cu­los an­te­ri­o­res ori­en­tou a bus­ca pe­lo Je­sus his­tó­ri­co; o se­gun­do, é a re­a­li­za­ção de pes­qui­sas fo­ra das ins­ti­tui­ções re­li­gi­o­sas e de ca­rá­ter in­ter­dis­ci­pli­nar, nas quais par­ti­ci­pam não ape­nas exe­ge­tas e teó­lo­gos, mas tam­bém his­to­ri­a­do­res, so­ció­lo­gos, ar­queó­lo­gos e an­tro­pó­lo­gos; e, por fim, a gran­de quan­ti­da­de de tra­ba­lhos pro­du­zi­dos – nun­ca, em ne­nhu­ma ou­tra épo­ca se pu­bli­cou tan­to so­bre Je­sus co­mo a que vi­ve­mos.

A li­te­ra­tu­ra apó­cri­fa (tex­tos tão ou mais an­ti­gos quan­to os que es­tão na Bí­blia), tan­to ju­dia co­mo cris­tã, pas­sa a ter gran­de im­por­tân­cia. Com is­so, ma­nus­cri­tos co­mo os encontrados em Qum­ran (na Jor­dâ­nia, pró­xi­mo ao mar Mor­to) e Nag Ham­ma­di (no Egi­to) são va­lo­ri­za­dos e tra­zem à luz no­vas ver­sões so­bre a tra­je­tó­ria de Je­sus. Vá­ri­os des­ses acha­dos ha­vi­am si­do ba­ni­dos pe­la Igre­ja ro­ma­na, en­tre os quais se des­ta­cam:

Evan­ge­lho de To­mé –

é um dos 52 tex­tos encontrados em Nag Ham­ma­di, em 1947. Foi es­cri­to em cop­ta, mas se­ria a tra­du­ção de um ori­gi­nal gre­go, que pos­si­vel­men­te foi es­cri­to em me­a­dos do pri­mei­ro sé­cu­lo. O ma­nus­cri­to reú­ne 114 di­ta­dos e fra­ses atri­buí­das a Je­sus e pos­sui mui­tas se­me­lhan­ças com os evan­ge­lhos si­nó­ti­cos (Ma­teus, Mar­cos e Lu­cas), mas tam­bém pas­sa­gens per­tur­ba­do­ras so­bre a per­so­na­li­da­de de Cris­to, co­mo es­sa: “Je­sus dis­se: ‘Tal­vez os ho­mens pen­sem que vim lan­çar a paz so­bre o mun­do. Não sa­bem que é a dis­cór­dia que vim es­pa­lhar so­bre a Ter­ra: fo­go, es­pa­da e dis­pu­ta. Com efei­to, ha­ven­do cin­co nu­ma ca­sa, três es­ta­rão con­tra dois e dois con­tra três: o pai con­tra o fi­lho e o fi­lho con­tra o pai. E eles per­ma­ne­ce­rão so­li­tá­ri­os”. Pa­la­vras bem dis­tan­tes da­que­las que nos acos­tu­ma­mos a as­so­ci­ar ao Cris­to.

Evan­ge­lho de Maria Ma­da­le­na –

um dos mais po­lê­mi­cos tex­tos apó­cri­fos, apre­sen­ta a dis­cí­pu­la co­mo a fa­vo­ri­ta en­tre os se­gui­do­res de Je­sus, além de apre­sen­tar uma mu­lher que re­al­men­te com­pre­en­deu as pa­la­vras do mes­tre e te­ve o pri­vi­lé­gio de re­ce­ber en­si­na­men­tos que os de­mais após­to­los não re­ce­be­ram.

Evan­ge­lho de Filipe –

pos­si­vel­men­te com­pos­to no sé­cu­lo 3, con­tém uma pas­sa­gem na qual se afir­ma que Je­sus bei­ja­va Maria Ma­da­le­na com frequên­cia e re­a­fir­ma a pre­di­le­ção de Je­sus pe­la dis­cí­pu­la.

Evan­ge­lho de Ju­das –

re­cu­pe­ra­do re­cen­te­men­te, o tex­to res­ga­ta o amal­di­ço­a­do Ju­das, que sem­pre se acre­di­tou ter traí­do Je­sus. Re­tra­ta o dis­cí­pu­lo co­mo mais pró­xi­mo do mes­tre e o úni­co que com­pre­en­deu sua men­sa­gem. A “trai­ção” te­ria acon­te­ci­do a pe­di­do do pró­prio Cris­to, pa­ra que se con­su­mas­se a pro­fe­cia.

Evan­ge­lho da In­fân­cia Se­gun­do To­mé –

traz re­la­tos so­bre a in­fân­cia de

Je­sus, mas o re­tra­ta co­mo um me­ni­no que não con­tro­la bem seus po­de­res e cau­sa até a mor­te de ou­tros de sua ida­de.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.