EUA e Qa­tar fe­cham acor­do con­tra o ter­ro­ris­mo

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Qa­tar e os USA anun­ci­a­ram um acor­do no qual o país ára­be se com­pro­me­te a in­ten­si­fi­car os seus es­for­ços no com­ba­te ao ter­ro­ris­mo.

OQa­tar e os Es­ta­dos Uni­dos anun­ci­a­ram nes­ta ter­ça-feira (11) um acor­do no qual o país ára­be se com­pro­me­te a in­ten­si­fi­car os seus es­for­ços no com­ba­te ao ter­ro­ris­mo e ao seu fi­nan­ci­a­men­to. O acer­to foi fir­ma­do du­ran­te vi­si­ta ao go­ver­no qa­ta­ri­a­no do secretário de Es­ta­do dos Es­ta­dos Uni­dos, Rex Til­ler­son, que tenta me­di­ar a cri­se di­plo­má­ti­ca no gol­fo Pér­si­co.

“Hoje, o Qa­tar é o pri­mei­ro país a fir­mar com os EUA um pro­gra­ma de com­ba­te ao fi­nan­ci­a­men­to do ter­ror”, afir­mou o chan­ce­ler do Qa­tar, Moham­med bin Ab­dul­rah­man al-tha­ni. “Con­vi­da­mos to­dos os paí­ses que nos impõem um blo­queio a se so­ma­rem ao acor­do.”

Em ju­nho, a Ará­bia Sau­di­ta, os Emi­ra­dos Ára­bes, o Egito e o Bah­rein rom­pe­ram re­la­ções di­plo­má­ti­cas com o Qa­tar, acu­san­do o país de fi­nan­ci­ar o ter­ro­ris­mo.

Pa­ra nor­ma­li­zar a si­tu­a­ção, os qua­tro paí­ses apre­sen­ta­ram uma lis­ta de exi­gên­ci­as, que in­clu­em o fim das re­la­ções com o Irã, o fe­cha­men­to da re­de de TV Al Ja­ze­e­ra e uma base mi­li­tar que a Turquia man­tém no país. O Qa­tar, que ne­ga as acu­sa­ções, re­jei­tou as im­po­si­ções.

“Es­pe­ro que pos­sa­mos fa­zer pro­gres­sos”, dis­se Til­ler­son após reu­nião des­ta ter­ça com o emir do Qa­tar, Ta­mim bin Ha- mad Al Tha­ni. Se­gun­do o secretário dos EUA, o com­pro­mis­so “co­me­ça­rá ime­di­a­ta­men­te em vá­ri­as fren­tes.”

A Ará­bia Sau­di­ta, os Emi­ra­dos Ára­bes, o Egito e o Bah­rein, po­rém, con­si­de­ra­ram o acor­do in­su­fi­ci­en­te. Em um co­mu­ni­ca­do con­jun­to, os qua­tro paí­ses afir­ma­ram que “vi­gi­a­rão de per­to a se­ri­e­da­de das au­to­ri­da­des qa­ta­ri­a­nas pa­ra com­ba­ter qual­quer for­ma de fi­nan­ci­a­men­to e apoio ao ter­ro­ris­mo”.

Nes­ta segunda (10), Til­ler­son ini­ci­ou pe­lo Ku­ait uma viagem na re­gião com o ob­je­ti­vo de en­con­trar uma saí­da pa­ra a cri­se. Já nes­ta quar­ta (12), o secretário de­ve se reu­nir com re­pre­sen­tan­tes da Ará­bia Sau­di­ta, Emi­ra­dos Ára­bes Uni­dos, Bah­rein e Egito em Ji­dá, ci­da­de do oes­te sau­di­ta.

“Es­se en­con­tro re­fle­te a von­ta­de dos qua­tro paí­ses de re­for­çar a co­or­de­na­ção e mos­trar sua uni­da­de so­bre as fu­tu­ras re­la­ções com o Qa­tar”, dis­se o chan­ce­ler do Egito.

CON­TRA­DI­ÇÃO

A ten­ta­ti­va de re­con­ci­li­a­ção de Til­ler­son vai na con­tra­mão de de­cla­ra­ções re­cen­tes de Donald Trump. Em ju­nho, o pre­si­den­te dos Es­ta­dos Uni­dos chegou a afir­mar que o Qa­tar fi­nan­cia o ter­ro­ris­mo em um ní­vel “mui­to al­to”.

An­tes da de­cla­ra­ção de Trump, Til­ler­son pe­di­ra alí­vio aos paí­ses do Gol­fo so­bre o blo­queio im­pos­to ao Qa­tar.

Pa­ra Til­ler­son, o blo­queio pre­ju­di­ca o com­ba­te à fac­ção ter­ro­ris­ta Es­ta­do Is­lâ­mi­co (EI). Os EUA man­têm no Qa­tar a sua mai­or base aé­rea no Ori­en­te Mé­dio, usa­da nos bom­bar­dei­os con­tra o EI na Sí­ria e no Ira­que.

Ana­lis­tas ex­ter­nos ve­em o boi­co­te ao Qa­tar co­mo uma ten­ta­ti­va de bar­rar a cres­cen­te au­to­no­mia do país e rein­se­ri-lo na es­fe­ra de in­fluên­cia sau­di­ta.

O pe­que­no país do Gol­fo é o mai­or pro­du­tor de gás na­tu­ral do mun­do e se­rá se­de da Co­pa de 2022.

AS­SO­CI­A­TED PRESS

O secretário de Es­ta­do dos EUA, Rex Til­ler­son, cum­pri­men­ta o chan­ce­ler do Qa­tar, Moham­med al-tha­ni

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.