PF pren­de Al­de­mir Ben­di­ne, ex-pre­si­den­te do BB

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

A Po­lí­cia Fe­de­ral (PF) pren­deu no in­te­ri­or de São Pau­lo, Al­de­mir Ben­di­ne, ex-pre­si­den­te do Ban­co do Bra­sil e da Pe­tro­bras.

APo­lí­cia Fe­de­ral (PF) pren­deu na ma­nhã des­ta quin­ta-fei­ra em So­ro­ca­ba, in­te­ri­or de São Pau­lo, Al­de­mir Ben­di­ne, ex-pre­si­den­te do Ban­co do Bra­sil e da Pe­tro­bras. Ben­di­ne é sus­pei­to de prá­ti­ca dos cri­mes de cor­rup­ção e la­va­gem de di­nhei­ro e foi pre­so du­ran­te a 42 ª fa­se da Ope­ra­ção La­va Ja­to. Antô­nio Car­los Vi­ei­ra da Sil­va Jú­ni­or e o pu­bli­ci­tá­rio An­dré Gus­ta­vo Vi­ei­ra da Sil­va tam­bém fo­ram de­ti­dos no Re­ci­fe ( PE). Ao to­do, fo­ram cum­pri­dos 11 man­da­dos de bus­ca e apre­en­são e três man­da­dos de pri­são tem­po­rá­ria no Dis­tri­to Fe­de­ral e nos Es­ta­dos de Per­nam­bu­co, Rio de Ja­nei­ro e São Pau­lo.

Es­ta fa­se da La­va Ja­to foi ba­ti­za­da de Co­bra em uma re­fe­rên­cia ao co­di­no­me da­do a Ben­di­ne nas ta­be­las de pa­ga­men­tos de pro­pi­nas apre­en­di­das no cha­ma­do Se­tor de Ope­ra­ções Es­tru­tu­ra­das do Gru­po Ode­bre­cht, des­co­ber­tas du­ran­te a 23ª fa­se da Ope­ra­ção La­va Ja­to. A ope­ra­ção foi re­a­li­za­da um dia an­tes de uma vi­a­gem, apa­ren­te­men­te só de ida, de Ben­di­ne pa­ra Por­tu­gal. “Co­mo ele tem ci­da­da­nia ita­li­a­na, con­si­de­ra­mos que ha­via ris­co de­le se re­fu­gi­ar no país”, afir­mou Athay­de Ri­bei­ro Cos­ta, pro­cu­ra­dor da Re­pú­bli­ca, do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral (MPF). An­dré Gus­ta­vo foi pre­so no por­tão de em­bar­que com des­ti­no a Por­tu­gal. A PF afir­ma que ele ti­nha ne­gó­ci­os no país, ten­do atu­a­do in­clu­si­ve em cam­pa­nhas pre­si­den­ci­ais.

Des­de que co­me­ça­ram as de­la­ções de exe­cu­ti­vos da Ode­bre­cht, Ben­di­ne es­tá no ra­dar da PF. O de­la­tor Fer­nan­do Reis, ex-pre­si­den­te da Ode­bre­cht Am­bi­en­tal, con­tou que a em­pre­sa vi­nha sen­do acha­ca­da por Ben­di­ne, des­de a épo­ca em que ele era pre­si­den­te do Ban­co do Bra­sil. O exe­cu­ti­vo es­ta­ria con­tra­ri­a­do por­que Mar­ce­lo Ode­bre­cht tra­ta­va ape­nas com Gui­do Man­te­ga (ex-mi­nis­tro da Fa­zen­da) du­ran­te o Go­ver­no Dil­ma Rous­seff, pois que­ria ter aces­so às be­nes­ses do cai­xa da em­prei­tei­ra.

Se­gun­do o em­pre­sá­rio Mar­ce­lo Ode­bre­cht e Fer­nan­do Reis, pa­ra fa­ci­li­tar alon­gar uma dí­vi­da da Ode­bre­cht Agroin­dus­tri­al com o ban­co, Ben­di­ne te­ria pe­di­do 17 mi­lhões de re­ais em “pé­dá­gio”. Mas a em­pre­sa con­si­de­rou que ele não ti­nha po­der pa­ra de­ci­dir de for­ma ati­va no con­tra­to de fi­nan­ci­a­men­to do Ban­co do Bra­sil e ne­gou o pe­di­do.

A si­tu­a­ção mu­dou quan­do Ben­di­ne foi al­ça­do por Dil­ma à pre­si­dên­cia da Pe­tro­bras, após a re­nún­cia de Gra­ça Fos­ter, no iní­cio de 2015, uma vez que o gru­po ti­nha re­la­ções pro­fun­das com a pe­tro­lei­ra. De acor­do com a PF, Ben­di­ne uti­li­za­va o no­me da ex-pre­si­den­te Dil­ma pa­ra ten­tar se apro­xi­mar dos em­prei­tei­ros. No en­tan­to, não há in­dí­ci­os de que ela es­te­ja en­vol­vi­da com os cri­mes do exe­cu­ti­vo. Os de­la­to­res afir­ma­ram que Ben­di­ne e seus ope­ra­do­res fi­nan­cei­ros pe­di­ram 3 mi­lhões de re­ais pra não pre­ju­di­car as re­la­ções en­tre a Pe­tro­bras e a Ode­bre­cht. Os va­lo­res se­ri­am pa­gos em três par­ce­las. Mar­ce­lo Ode­bre­cht as­su­miu em de­la­ção que ce­deu ao “acha­que de Ben­di­ne” por­que a coi­sa mu­dou de fi­gu­ra. “O ca­ra é no­me­a­do por ela [Dil­ma Rous­seff], re­cém-elei­to pre­si­den­te na Pe­tro­bras, e a gen­te cheio de pro­ble­mas na Pe­tro­bras, La­va Ja­to (...). A gen­te não vai pa­gar 17 [mi­lhões],

mas va­mos ad­mi­nis­tran­do”, afir­mou o em­pre­sá­rio.

De acor­do com a PF, apa­ren­te­men­te, es­tes pa­ga­men­tos so­men­te fo­ram in­ter­rom­pi­dos com a pri­são de Mar­ce­lo Ode­bre­cht, quan­do a La­va Ja­to já es­ta­va em ope­ra­ção. Ben­di­ne re­nun­ci­ou a pre­si­dên­cia da es­ta­tal em maio de 2016, após uma su­ces­são de es­cân­da­los que en­vol­via a Pe­tro­bras e em meio a um ce­ná­rio em que a em­pre­sa apre­sen­ta­va um dos mai­o­res pre­juí­zos da em­pre­sa na his­tó­ria.

His­tó­ri­co de Pro­ble­mas

Po­lê­mi­cas en­vol­ven­do Ben­di­ne co­me­ça­ram an­tes mes­mo de­le as­su­mir o Ban­co do Bra­sil. Em 2010, a mí­dia di­vul­gou que o exe­cu­ti­vo ha­via com­pra­do um apar­ta­men­to no in­te­ri­or de São Pau­lo pa­gan­do cer­ca de 130.000 re­ais em di­nhei­ro vi­vo. O fa­to ge­rou es­tra­nhe­za à épo­ca por ele ser um exe­cu­ti­vo que in­cen­ti­va os de­mais a de­po­si­tar su­as eco­no­mi­as em ban­co. Em 2015, o MPF co­me­çou a in­ves­ti­gar em­prés­ti­mos sus­pei­tos con­ce­di­dos pe­lo BB, com a au­to­ri­za­ção de Ben­di­ne, à so­ci­a­li­te Val Mar­chi­o­re – que fi­cou fa­mo­sa no pro­gra­ma Mu­lhe­res Ri­cas –, e a seus pa­ren­tes. A pro­cu­ra­do­ria re­gi­o­nal so­li­ci­tou do­cu­men­tos ao ban­co pa­ra sa­ber se a con­ces­são de um cré­di­to de 2,7 mi­lhões de re­ais, a ju­ros sub­si­di­a­dos do BNDES, te­ri­am si­do fei­tos de for­ma ir­re­gu­lar. Na épo­ca, Mar­chi­o­re era de­ve­do­ra do BB, o que, em te­se, de­ve­ria li­mi­tar o aces­so ao cré­di­to. Ben­di­ne ne­gou qual­quer ir­re­gu­la­ri­da­de.

Mais re­cen­te­men­te, o ex-pre­si­den­te da Pe­tro­bras tam­bém foi ci­ta­do na de­la­ção do di­re­tor de re­la­ções ins­ti­tu­ci­o­nais da JBS, Ri­car­do Saud. Se­gun­do ele, Ben­di­ne ten­ta­va ne­go­ci­ar uma po­si­ção na Va­le. Saud afir­mou ain­da que uti­li­za­va os ser­vi­ços de An­dré Gus­ta­vo Sil­va pa­ra re­pas­se de pro­pi­nas a agen­tes po­lí­ti­cos. Ben­di­ne e os de­mais de­ti­dos se­rão le­va­dos pa­ra a Su­pe­rin­ten­dên­cia da Po­lí­cia Fe­de­ral em Cu­ri­ti­ba on­de per­ma­ne­ce­rão à dis­po­si­ção do juí­zo da 13ª Va­ra Fe­de­ral de Cu­ri­ti­ba. A re­por­ta­gem ain­da não con­se­guiu con­ta­to com os ad­vo­ga­dos do exe­cu­ti­vo pa­ra co­men­tar sua pri­são.

Al­de­mir Ben­di­ne du­ran­te con­fe­rên­cia quan­do era pre­si­den­te da Pe­tro­bras em 2016

AG.BRA­SIL

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.