Ni­on Al­ber­naz mor­re aos 87 anos

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

aos 87 anos, mor­reu on­tem o ex-pre­fei­to de Goi­â­nia Ni­on al­ber­naz, em sua ca­sa, por fa­lên­cia múl­ti­pla de ór­gãos. Ni­on, que co­man­dou a ca­pi­tal por três man­da­tos, ha­via pas­sa­do por du­as in­ter­na­ções des­de o fim de 2016 e, na úl­ti­ma, che­gou a fi­car qua­se um mês na uni­da­de de te­ra­pia in­ten­si­va (uti) do Hos­pi­tal Neu­ro­ló­gi­co de Goi­â­nia.

De acor­do com oli­er al­ves, ami­go mui­to pró­xi­mo e ex­se­cre­tá­rio nas ges­tões do ex­pre­fei­to, ele es­ta­va em ca­sa há mais de 40 di­as sen­do acom­pa­nha­do 24 ho­ras por uma en­fer­mei­ra, mas sem pro­gres­são do seu qua­dro. “an­te­on­tem, ele te­ve um qua­dro de ali­men­ta­ção nor­mal e es­ta­va re­la­ti­va­men­te bem, mas on­tem pe­la ma­nhã pas­sou mal e não vol­tou mais”, diz.

“Do­na Ge­ral­da es­ta­va cui­dan­do de­le, as­sim co­mo fa­mi­li­a­res e pou­cos ami­gos. o aces­so es­ta­va mais res­tri­to”, re­la­ta oli­er. De acor­do com ele, Ni­on es­ta­va se­re­no “co­mo sem­pre e con­se­guia se co­mu­ni­car, mes­mo que en­ten­dês­se­mos pou­co.” “Tí­nha­mos es­se con­ta­to, que foi aca­ban­do aos pou­cos”, con­ta. Do­na Ge­ral­da, es­po­sa do ex-pre­fei­to, fi­cou ao la­do de­le até o fi­nal.

Ni­on, se­gun­do oli­er, pas­sa­va por uma si­tu­a­ção de saú­de que se com­pli­cou em ju­lho, quan­do o ex-pre­fei­to pas­sou mal em sua fa­zen­da em Mor­ri­nhos. So­cor­ri­do por um he­li­cóp­te­ro do Gru­po de ra­di­o­pa­tru­lha aé­rea da Po­lí­cia Mi­li­tar (Gra­er), na oca­sião o ex-pre­fei­to so­freu que­das de pres­são e, por ter pro­ble­mas car­día­cos, foi le­va­do às pres­sas pa­ra a uti do Hos­pi­tal Neu­ro­ló­gi­co, on­de fi­cou in­ter­na­do por apro­xi­ma­da­men­te 30 di­as.

Nas­ci­do em 15 de abril de 1930 na ci­da­de de Goiás, an­ti­ga ca­pi­tal do Es­ta­do, Ni­on co­nhe­ceu Goi­â­nia co­mo pou­cos. o ex-pre­fei­to ven­ceu as elei­ções mu­ni­ci­pais por du­as ve­zes, vis­to que sua pri­mei­ra ges­tão, de 1983 a 1985, foi por in­di­ca­ção - Ni­on foi o úl­ti­mo pre­fei­to in­di­ca­do no pe­río­do da di­ta­du­ra mi­li­tar. De­pois dis­so, es­te­ve à fren­te da Pre­fei­tu­ra de 1989 a 1992 e de 1997 a 2001.

Po­rém, ele já ha­via par­ti­ci­pa­do di­re­ta­men­te da ad­mi­nis­tra­ção qua­se 20 anos an- tes da in­di­ca­ção, quan­do foi se­cre­tá­rio da Fa­zen­da, en­tre 1966 e 1968, na ges­tão do en­tão pre­fei­to iris re­zen­de. For­ma­do em Eco­no­mia ain­da no fim da dé­ca­da de 1950, Ni­on ha­via de­mons­tra­do tam­bém gran­de ap­ti­dão po­lí­ti­ca e foi elei­to ve­re­a­dor em 1957, as­su­min­do lo­go a pre­si­dên­cia da Câ­ma­ra Mu­ni­ci­pal.

En­tre 1963 e 1966, Ni­on foi di­re­tor-ge­ral da en­tão re­cém-cri­a­da uni­ver­si­da­de Fe­de­ral de Goiás (UFG) e ga­nhou o ape­li­do de “Pro­fes­sor Ni­on” jus­ta­men­te pe­la car­rei­ra no ma­gis­té­rio. Es­te­ve pre­sen­te em sa­la de au­la an­tes e de­pois do pe­río­do de di­ta­du­ra mi­li­tar, só dei­xan­do a car­rei­ra em me­a­dos da dé­ca­da de 1990 com a aber­tu­ra po­lí­ti­ca. Ele fez opo­si­ção à di­ta­du­ra mi­li­tar pe­lo MDB e, com a re­or­ga­ni­za­ção par­ti­dá­ria em 1979, foi pa­ra o PMDB. Fi­li­ou-se ao PSDB em 1994, par­ti­do no qual per­ma­ne­ceu até sua mor­te e do qual era pre­si­den­te de hon­ra em Goiás, ten­do in­ter­fe­ri­do em vá­ri­os dos de­ba­tes elei­to­rais da si­gla. Foi Ni­on, por exem­plo, o res­pon­sá­vel por ar­ti­cu­lar o gru­po da opo­si­ção que ele­geu Mar­co­ni Pe­ril­lo ao go­ver­no de Goiás em 1998 (leia mais na pá­gi­na 9).

Ni­on, po­rém, não te­ve sua par­ti­ci­pa­ção po­lí­ti­ca vin­cu­la­da ape­nas ao ce­ná­rio mu­ni­ci­pal. Elei­to de­pu­ta­do fe­de­ral em 1986, com mais de 100 mil vo­tos, ele foi um dos 21 goi­a­nos a par­ti­ci­par da as­sem­bleia Na­ci­o­nal Cons­ti­tuin­te, sen­do ti­tu­lar de Tri­bu­tos, uma das sub­co­mis­sões que for­ma­vam a Co­mis­são do Sis­te­ma Tri­bu­tá­rio, or­ça­men­to e Fi­nan­ças. Pas­sa­dos os de­ba­tes so­bre a Car­ta Mag­na e elei­to pre­fei­to de Goi­â­nia, dei­xou a Câ­ma­ra em 1989 pa­ra ad­mi­nis­trar a ci­da­de pe­la se­gun­da vez.

Ar­qui­vo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.