Mis­sões co­mer­ci­ais ga­ran­tem cres­ci­men­to

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

as mis­sões co­mer­ci­ais re­a­li­za­das pe­lo go­ver­na­dor Mar­co­ni pe­ril­lo pa­ra pro­mo­ver o re­la­ci­o­na­men­to do se­tor pro­du­ti­vo de Goiás no ex­te­ri­or vêm ga­ran­tin­do o cres­ci­men­to econô­mi­co e a ge­ra­ção de em­pre­gos no es­ta­do. da­dos das fe­de­ra­ções e as­so­ci­a­ções em­pre­sa­ri­ais e das Se­cre­ta­ri­as de es­ta­do de de­sen­vol­vi­men­to econô­mi­co (Sed) e Ges­tão e pla­ne­ja­men­to (Seg­plan) mos­tram que os in­ves­ti­men­tos es­tran­gei­ros con­fir­ma­dos no es­ta­do ul­tra­pas­sam os r$ 4 bi­lhões nos úl­ti­mos 22 me­ses ter­mi­na­dos em ju­lho, com pro­je­ção de ge­ra­ção de 34 mil em­pre­gos di­re­tos e in­di­re­tos lon­go dos pró­xi­mos anos.

as Mis­sões Co­mer­ci­ais re­a­li­za­das pe­lo Go­ver­no de Goiás são par­te da po­lí­ti­ca es­ta­du­al de es­tí­mu­lo ao de­sen­vol­vi­men­to econô­mi­co e acu­mu­lam re­sul­ta­dos ex­pres­si­vos pa­ra o cres­ci­men­to do es­ta­do nas du­as úl­ti­mas dé­ca­das. es­ses re­sul­ta­dos são de­mons­tra­dos pe­la evo­lu­ção dos nú­me­ros do pro­du­to In­ter­no Bru­to (PIB), da ba­lan­ça co­mer­ci­al, da ge­ra­ção de em­pre­gos e da ex­pan­são do to­tal de paí­ses com os quais Goiás man­tém flu­xo de co­mér­cio.

Nes­se pe­río­do, o PIB cres­ceu dez ve­zes, de r$ 17,4 bi­lhões em 1998 pa­ra r$ 178 bi­lhões em 2016. a ba­lan­ça co­mer­ci­al, por sua vez, cres­ceu 2,3 ve­zes en­tre 2005 e 2015, de us$ 1,093 bi­lhão pa­ra us$ 2,515 bi­lhões. o nú­me­ro de paí­ses pa­ra os quais Goiás ex­por­ta seus pro­du­tos cres­ceu du­as ve­zes e meia, de cer­ca de 50 em 1998 pa­ra 145 na­ções em 2015. Chi­na, ho­lan­da, Ín­dia, rús­sia, Co­reia do Sul, Irã, es­ta­dos uni­dos, hong Kong, Vi­et­nã e Itá­lia são os prin­ci­pais des­ti­nos das mer­ca­do­ri­as de Goiás, exa­ta­men­te os paí­ses pri­o­ri­za­dos pe­las prin­ci­pais mis­sões co­mer­ci­ais em­pre­en­di­das. o sal­do da ba­lan­ça co­mer­ci­al é po­si­ti­vo pa­ra Goiás, com os va­lo­res ex­por­ta­dos su­pe­ran­do o to­tal de im­por­ta­ções, evi­den­ci­an­do a for­ça da eco­no­mia do es­ta­do e o re­sul­ta­do do es­tí­mu­lo do Go­ver­no de Goiás à pro­mo­ção do co­mér­cio ex­te­ri­or. en­tre os mai­o­res in­ves­ti­men­tos es­tran­gei­ros anun­ci­a­dos pa­ra o es­ta­do nos úl­ti­mos me­ses es­tão hei­ne­ken, Ca­ra­cal, Ger­reshei­mer, ori­co Gold, an­glo e heinz, to­dos re­sul­ta­dos das mis­sões co­mer­ci­ais re­a­li­za­das pe­lo Go­ver­no de Goiás. É o ca­so tam­bém de hyun­dai, Su­zu­ki e da am­pli­a­ção da Mit­su­bishi.

reportagem pu­bli­ca­da em mar­ço pe­lo jor­nal o po­pu­lar mos­trou que, 2016, Goiás fi­cou na 5.ª po­si­ção en­tre os es­ta­dos que mais am­pli­a­ram o nú­me­ro de em­pre­sas que pas­sa­ram a ex­por­tar seus pro­du­tos pa­ra o ex­te­ri­or: “353 em­pre­sas de Goiás, de to­dos os ta­ma­nhos e se­to­res, ven­de­ram pa­ra to­dos os can­tos do mundo, 70 a mais que em 2015”, afir­mou a reportagem. “os nú­me­ros co­lo­ca­ram Goiás no quin­to lu­gar no ma­pa de no­vas em­pre­sas ex­por­ta­do­ras do país, fi­can­do atrás ape­nas de rio Gran­de do Sul e San­ta Catarina (58), São paulo (52) e Mi­nas Ge­rais (48)”, afir­mou a reportagem, que re­la­ta ain­da que “por es­tas ra­zões, as mis­sões internacionais são con­si­de­ra­das vi­tri­nes pe­los em­pre­en­de­do­res”.

a reportagem in­di­ca que as mis­sões co­mer­ci­ais cri­am opor­tu­ni­da­des de ne­gó­ci­os não ape­nas pa­ra aque­les em­pre­sá­ri­os que in­te­gram as de­le­ga­ções, mas tam­bém pa­ra ou­tras em­pre­sas ins­ta­la­das em Goiás, que aca­bam por se tor­nar co­nhe­ci­das co­mo re­sul­ta­do da apre­sen­ta­ção das po­ten­ci­a­li­da­des do es­ta­do pe­lo go­ver­no no ex­te­ri­or.

em 2015, no au­ge da cri­se, o co­mér­cio ex­te­ri­or ga­ran- tiu que a ba­lan­ça co­mer­ci­al goi­a­na fe­chas­se o ano com o se­gun­do mai­or sal­do da dé­ca­da. as ex­por­ta­ções so­ma­ram us$ 5,8 bi­lhões e as im­por­ta­ções us$ 3,3 bi­lhões de dó­la­res no ano pas­sa­do. o sal­do de 2,51 bi­lhões de dó­la­res (di­fe­ren­ça en­tre ex­por­ta­ções e im­por­ta­ções) só fi­cou atrás do de 2014, quan­do fo­ram re­gis­tra­dos 2,56 bi­lhões de dó­la­res (va­ri­a­ção de ape­nas 1,7% ou us$ 500 mil). Com is­so, Goiás re­pre­sen­tou 12,7% do sal­do na­ci­o­nal, de quase us$ 20 bi­lhões. o re­sul­ta­do da ba­lan­ça co­mer­ci­al é re­fle­xo do avan­ço da eco­no­mia goi­a­na. ava­li­a­ção so­bre o es­ta­do di­vul­ga­da no bo­le­tim re­gi­o­nal do Ban­co Cen­tral in­di­ca que o pro­du­to In­ter­no Bru­to (PIB) goi­a­no cres­ceu, em mé­dia, 4,8% ao ano de 2005 a 2014, di­an­te do au­men­to mé­dio de 3,4% do na­ci­o­nal. o de­sem­pe­nho foi atri­buí­do ao co­mér­cio, in­dús­tria de trans­for­ma­ção (bi­o­com­bus­tí­veis, ali­men­tos e ves­tuá­rio) e se­tor de ser­vi­ços (trans­por­te e pres­ta­do­ras de ser­vi­ços a em­pre­sas).

em 2015, a aná­li­se mos­tra que o PIB goi­a­no cres­ceu 0,5% no pe­río­do de 12 me­ses en­cer­ra­do em ju­nho, en­quan­to o país re­gis­tra­va re­tra­ção de 1,2%. a par­ti­ci­pa­ção goi­a­na no PIB do Brasil tam­bém foi des­ta­ca­da pe­lo BC.

Ar­qui­vo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.