MI­NIS­TRO DO STF AU­TO­RI­ZA INQUÉ­RI­TO PA­RA IN­VES­TI­GAR MI­CHEL TE­MER

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

omi­nis­tro luís ro­ber­to Bar­ro­so, do STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal fe­de­ral), au­to­ri­zou a aber­tu­ra de um inqué­ri­to pa­ra in­ves­ti­gar o pre­si­den­te Mi­chel Te­mer e o ex-de­pu­ta­do ro­dri­go ro­cha lou­res (pmdb-pr), por su­pos­to es­que­ma que te­ria be­ne­fi­ci­a­do a em­pre­sa ro­dri­mar, que atua no por­to de San­tos.

em agos­to, o pro­cu­ra­dor­ge­ral da re­pú­bli­ca, ro­dri­go Ja­not, en­vi­ou ma­ni­fes­ta­ção ao mi­nis­tro ed­son fa­chin, re­la­tor da lava Jato no STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal fe­de­ral), rei­te­ran­do pe­di­do pa­ra abrir o inqué­ri­to. fa­chin en­ten­deu que os fa­tos não têm re­la­ção di­re­ta com pe­tro­bras e pe­diu a re­dis­tri­bui­ção. Bar­ro­so foi sor­te­a­do re­la­tor.

pa­ra Ja­not, há in­dí­ci­os de que eles te­nham co­me­ti­do cri­mes de cor­rup­ção e la­va­gem de di­nhei­ro na edi­ção de um de­cre­to so­bre por­tos em fa­vor da ro­dri­mar as­si­na­do em maio de 2017.

“a nin­guém de­ve ser in­di­fe­ren­te o ônus pes­so­al e po­lí­ti­co de uma au­to­ri­da­de pú­bli­ca, no­ta­da­men­te o pre­si­den­te da re­pú­bli­ca, fi­gu­rar co­mo in­ves­ti­ga­do em pro­ce­di­men­to des­sa na­tu­re­za”, es­cre­veu Bar­ro­so ao au­to­ri­zar o inqué­ri­to.

“Mas es­te é o pre­ço im­pos­to pe­lo prin­cí­pio re­pu­bli­ca­no, um dos fun­da­men­tos da Cons­ti­tui­ção bra­si­lei­ra, ao es­ta­be­le­cer a igual­da­de de to­dos pe­ran­te a lei e exi­gir trans­pa­rên­cia na atu­a­ção dos agen­tes pú­bli­cos. por es­sa ra­zão, há de pre­va­le­cer o le­gí­ti­mo in­te­res­se so­ci­al de se apu­ra­rem, ob­ser­va­do o de­vi­do pro­ces­so le­gal, fa­tos que podem se re­ves­tir de ca­rá­ter cri­mi­no­so.”

ele des­ta­cou que há ele­men­tos in­di­ciá­ri­os mí­ni­mos que de­vem ser apu­ra­dos.

“de­ve-se en­fa­ti­zar, po­rém, que a ins­tau­ra­ção de inqué­ri­to aqui de­fe­ri­da não im­pli­ca qual­quer pre­jul­ga­men­to nem tam­pou­co rom­pe com a pre­sun­ção de ino­cên­cia que a Cons­ti­tui­ção as­se­gu­ra a to­dos os ci­da­dãos bra­si­lei­ros”, dis­se o mi­nis­tro.

a in­ves­ti­ga­ção foi aber­ta por­que as sus­pei­tas tra­tam de cri­mes su­pos­ta­men­te co­me­ti­dos du­ran­te o man­da­to de Te­mer co­mo pre­si­den­te –ele as­si­nou o de­cre­to em maio.

ago­ra, ad­vo­ga­dos e in­ves­ti­ga­do­res pas­sam a co­le­tar pro­vas e ou­vir os de­poi­men­tos de tes­te­mu­nhas e in­ves­ti­ga­dos. a con­du­ção será da no­va pro­cu­ra­do­ra­ge­ral da re­pú­bli­ca, raquel dod­ge, que as­su­me o car­go na pró­xi­ma se­ma­na.

ao fim da in­ves­ti­ga­ção, a pgr vai de­ci­dir se ofe­re­ce de­nún­cia ou se pede o ar­qui­va­men­to.

Se hou­ver de­nún­cia e Te­mer ain­da for pre­si­den­te, será ne­ces­sá­rio que a Câ­ma­ra au­to­ri­ze a aber­tu­ra de ação pe­nal.

PE­DI­DO

Ja­not já ha­via pe­di­do pa­ra fa­chin au­to­ri­zar a aber­tu­ra de uma in­ves­ti­ga- ção pa­ra apu­rar a par­ti­ci­pa­ção de Te­mer e ro­cha lou­res no ca­so.

o mi­nis­tro pe­diu en­tão pa­ra Ja­not ava­li­ar se era o ca­so de abrir no­vo inqué­ri­to ou re­a­brir um an­ti­go, ar­qui­va­do em 2011 e no qual Te- mer já ha­via si­do al­vo.

ago­ra, Ja­not res­pon­deu opi­nan­do pe­la no­va in­ves­ti­ga­ção, sob a jus­ti­fi­ca­ti­va de que sur­gi­ram fa­tos no­vos re­fe­ren­tes ao ca­so.

“re­gis­tre-se que en­tre os fa­tos [...] há um lap­so tem­po­ral de mais de 15 anos. além dis­so, ve­ri­fi­ca­se que o con­tex­to fá­ti­co a ser in­ves­ti­ga­do é dis­tin­to”, diz Ja­not no do­cu­men­to.o pro­cu­ra­dor-ge­ral tam­bém se ma­ni­fes­tou a fa­vor de que se­ja sor­te­a­do um no­vo

re­la­tor pa­ra o ca­so. “es­tá­se aqui di­an­te de pe­di­do de aber­tu­ra de inqué­ri­to. Bas­ta, pa­ra tan­to, a pre­sen­ça de in­dí­ci­os plau­sí­veis de ma­te­ri­a­li­da­de e au­to­ria, sem o ri­gor apli­cá­vel qu­an­do es­te­ja em ques­tão o re­ce­bi­men­to de uma de­nún­cia, ato de­fla­gra­dor da ação pe­nal. No ca­so pre­sen­te, há ele­men­tos su­fi­ci­en­tes pa­ra de­fe­rir o pe­di­do do pro­cu­ra­dor-ge­ral da re­pú­bli­ca”, es­cre­veu Bar­ro­so na de­ci­são.

Sus­pei­tas

o pe­di­do de no­va in­ves­ti­ga­ção tem co­mo ba­se do­cu­men­tos apre­en­di­dos na ope­ra­ção pat­mos e in­ter­cep­ta­ções te­lefô­ni­cas de ro­dri­go ro­cha lou­res.

em um dos te­le­fo­ne­mas, lou­res con­ver­sa com Gustavo do Va­le ro­cha, sub­che­fe pa­ra as­sun­tos Ju­rí­di­cos da Ca­sa Ci­vil da pre­si­dên­cia, e pede pa­ra que se­ja acres­cen­ta­da ao de­cre­to uma nor­ma pa­ra be­ne­fi­ci­ar em­pre­sas que ob­ti­ve­ram con­ces­são pa­ra atu­ar em por­tos an­tes de 1993 –ca­so da ro­dri­mar em uma das áre­as que ex­plo­ra em San­tos.

em ou­tro gram­po fei­to pe­la pf com au­to­ri­za­ção ju­di­ci­al, o ex-as­ses­sor do pre­si­den­te con­ver­sa com um exe­cu­ti­vo da ro­dri­mar, ri­car­do Mes­qui­ta, e dá in­for­ma­ções so­bre as ar­ti­cu­la­ções pa­ra a edi­ção do de­cre­to.

IN­VES­TI­GA­ÇÃO an­ti­ga

a ro­dri­mar já foi ci­ta­da em inqué­ri­to so­bre Te­mer no STF. o pre­si­den­te foi in­ves­ti­ga­do sob sus­pei­ta de par­ti­ci­par de um es­que­ma de co­bran­ça de pro­pi­na de con­ces­si­o­ná­ri­as do por­to de San­tos.

uma pla­ni­lha en­tre­gue à pf atri­buía o pa­ga­men­to de r$ 1,28 mi­lhão em pro­pi­nas, sen­do me­ta­de pa­ra uma pes­soa iden­ti­fi­ca­da co­mo “MT”. a po­lí­cia en­ten­deu que as ini­ci­ais se re­fe­ri­am a Te­mer, en­tão de­pu­ta­do fe­de­ral, que já de­ti­nha foro privilegiado. a in­ves­ti­ga­ção foi re­me­ti­da ao Su­pre­mo.

em maio de 2011, o mi­nis­tro Marco aurélio Mel­lo de­ter­mi­nou que o en­tão vi­ce- pre­si­den­te fos­se ex­cluí­do do inqué­ri­to. ele aten­deu a pe­di- do da pro­cu­ra­do­ria- Ge­ral da re­pú­bli­ca, que dis­se não ter en­con­tra­do pro­vas su­fi­ci­en­tes con­tra o pe­e­me­de­bis­ta.

ro­dri­mar

a as­ses­so­ria da ro­dri­mar di­vul­gou no­ta em que diz que “a ro­dri­mar re­ce­beu se­re­na­men­te a no­tí­cia de au­to­ri­za­ção do Su­pre­mo Tri­bu­nal fe­de­ral pa­ra a aber­tu­ra de um inqué­ri­to de­ter­mi­na­do a apu­rar se o se­tor por­tuá­rio foi be­ne­fi­ci­a­do pe­lo re­cen­te “de­cre­to dos por­tos”. em seus 74 anos de his­tó­ria, a ro­dri­mar nun­ca re­ce­beu qual­quer pri­vi­lé­gio do po­der pú­bli­co. pro­va dis­so é que to­dos os seus con­tra­tos es­tão atu­al­men­te sen­do dis­cu­ti­dos ju­di­ci­al­men­te”.

a no­ta traz ain­da que “o “de­cre­to dos por­tos” aten­deu, sim, a uma rei­vin­di­ca­ção de to­do o se­tor de ter­mi­nais por­tuá­ri­os do país. res­sal­te- se que não foi uma rei­vin­di­ca­ção da ro­dri­mar, mas de to­do o se­tor. os plei­tos, no en­tan­to, não fo­ram to­tal­men­te con­tem­pla­dos no de­cre­to, que abriu a pos­si­bi­li­da­de de re­gu­la­ri­zar a situação de cer­ca de uma cen­te­na de con­ces­sões em to­do o país. a ro­dri­mar, as­sim co­mo seus exe­cu­ti­vos, es­tão, co­mo sem­pre es­ti­ve­ram, à dis­po­si­ção das au­to­ri­da­des pa­ra qual­quer es­cla­re­ci­men­to que se fi­zer ne­ces­sá­rio.”

Re­pro­du­ção fo­lha

Mi­nis­tro do STF Luís Ro­ber­to Bar­ro­so du

Ag. Bra­sil

uran­te pa­les­tra no Ins­per, em São Pau­lo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.