Com es­pí­ri­to de au­to­pro­te­ção, Se­na­do er­gue mu­ro contra STF

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Com um cla­ro es­pí­ri­to cor­po­ra­ti­vis­ta, qua­se to­das as ban­ca­das do se­na­do con­cor­dam em pres­si­o­nar o su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral pa­ra que ele re­vi­se a de­ci­são de afas­tar aé­cio Ne­ves (Psdb-mg) da Ca­sa. Mas, por en­quan­to, os se­na­do­res pre­fe­ri­ram não apro­fun­dar a cri­se institucional aber­ta com o Ju­di­ciá­rio e de­ci­di­ram, nes­ta quin­ta­fei­ra, de­vol­ver ao su­pre­mo a res­pon­sa­bi­li­da­de so­bre o fu­tu­ro do lí­der tu­ca­no. Por 43 vo­tos a 8, os se­na­do­res de­ci­di­ram que vo­ta­rão na pró­xi­ma se­ma­na a re­jei­ção da de­ci­são ju­di­ci­al que de­ter­mi­nou o afas­ta­men­to de aé­cio das su­as fun­ções par­la­men­ta­res e a obri­ga­ção de re­co­lhi­men­to no­tur­no. an­tes des­sa vo­ta­ção, emis­sá­ri­os do se­na­do ten­ta­rão con­ven­cer a pre­si­den­ta do STF, Cár­men lú­cia, a co­lo­car o as­sun­to na pau­ta do ple­ná­rio da Cor­te. Eles que­rem que os on­ze mi­nis­tros do Tri­bu­nal ana­li­sem a or­dem emi­ti­da pe­la Pri­mei­ra Tur­ma, o co­le­gi­a­do for­ma­do por cin­co ma­gis­tra­dos, que re­sul­tou na pu­ni­ção ao se­na­dor tu­ca­no.

a ideia ini­ci­al dos par­la­men­ta­res era re­jei­tar já nes­ta quin­ta-fei­ra a or­dem ju­di­ci­al. Não se che­gou a um con­sen­so. Eles, en­tão, bus­ca­ram uma so­lu­ção in­ter­me­diá­ria. O se­na­dor Pau­lo bau­er (Psdb-sc) apre­sen­tou um re­que­ri­men­to de ur­gên­cia pa­ra ana­li­sar a de­ci­são ape­nas na pró­xi­ma se­ma­na. O pe- di­do con­tou com o apoio de qua­se to­das as ban­ca­das, in­clu­si­ve com a do PT, opo­si­tor do Psdb e de aé­cio. O discurso nos cor­re­do­res da Ca­sa é que, se aé­cio foi o al­vo des­ta vez, os de­mais po­de­rão ser em ou­tras oca­siões. só na ope­ra­ção la­va Ja­to há in­ves­ti­ga­ções aber­tas contra 24 dos 81 se­na­do­res, dos mais di­ver­sos par­ti­dos.

“Não es­ta­mos aqui fa­zen- do ne­nhum ti­po de de­fe­sa do se­na­dor aé­cio Ne­ves”, afir­mou o se­na­dor Jor­ge Vi­a­na (PT-AC). “Nós o te­mos co­mo um al­goz da de­mo­cra­cia do nos­so go­ver­no, par­te de um es­que­ma que fra­gi­li­zou as ins­ti­tui­ções quan­do o Po­der le­gis­la­ti­vo in­ter­veio in­de­vi­da­men­te no Exe­cu­ti­vo”, acres­cen­tou, em re­fe­rên­cia ao im­pe­a­ch­ment de Dil­ma rous­seff (PT). No en­tan­to, ele en­ten­deu que a de­ci­são

foi um “as­sun­to mal re­sol­vi­do” pe­lo STF.

Jor­ge Vi­a­na foi um dos res­pon­sá­veis pe­la “so­lu­ção re­nan”, no fim do ano pas­sa­do. Na­que­le mo­men­to, o en­tão pre­si­den­te do se­na- do re­nan Ca­lhei­ros (PMDBal), foi afas­ta­do pe­lo mi­nis­tro do su­pre­mo Mar­co au­ré­lio Mel­lo das fun­ções ad­mi­nis­tra­ti­vas após ele vi­rar réu por um su­pos­to cri­me de pe­cu­la­to. O le­gis- la­ti­vo se re­cu­sou a cum­prir a de­ter­mi­na­ção, ale­gan­do que era ne­ces­sá­ria uma de­ci­são do ple­ná­rio do STF. No fim, ela veio e foi fa­vo­rá­vel ao pe­e­me­de­bis­ta.

Em no­ta, o PT dis­se que a atu­al de­ci­são contra aé­cio é uma “con­de­na­ção es­drú­xu­la”. “Não exis­te a fi­gu­ra do afas­ta­men­to do man­da­to por de­ter­mi­na­ção ju­di­ci­al. a de­ci­são de on­tem é mais um sin­to­ma da hi­per­tro­fia do Ju­di­ciá­rio, que vem se es­ta­be­le­cen­do co­mo um po­der aci­ma dos de­mais e, em al­guns ca­sos, até mes­mo aci­ma da Cons­ti­tui­ção”. Pa­ra ame­ni­zar crí­ti­cas de seus mi­li­tan­tes, o par­ti­do tam­bém de­ci­diu apre­sen­tar mais uma de­nún­cia contra aé­cio no Con­se­lho de Éti­ca do se­na­do.

ape­sar da cons­ta­ta­ção nos bas­ti­do­res, ofi­ci­al­men­te o discurso dos par­la­men­ta­res é que qual­quer de­ci­são do su­pre­mo en­vol­ven­do a res­tri­ção de li­ber­da­de de se­na­do­res tem de ser re­fe­ren­da­da pe­lo ple­ná­rio do se­na­do. Eles ci­tam o ar­ti­go 53 da Cons­ti­tui­ção Fe­de­ral, no qu­al tra­ta es­pe­ci­fi­ca­men­te da pri­são de par­la­men­ta­res. Por ou­tro la­do, os que en­ten­dem que o re­co­lhi­men­to no­tur­no é pos­sí­vel, ci­tam o ar­ti­go 319 do Có­di­go de Pro­ces­so Pe­nal.

O se­na­dor Cris­to­vam bu­ar­que (PPS-DF), um dos que vo­tou a fa­vor do re­que­ri­men­to de ur­gên­cia, dis­se que es­pe­ra um po­si­ci­o­na­men­to do su­pre­mo an­tes do ple­ná­rio do se­na­do se ma­ni­fes­tar. “Uma de­ci­são ago­ra só in­te­res­sa­va a dois gru­pos de pes­so­as: as que são contra a de­mo­cra­cia e as que têm me­do da Jus­ti­ça”, afir­mou.

Nos pró­xi­mos di­as, os ad­vo­ga­dos de aé­cio ten­ta­rão apre­sen­tar um re­cur­so pa­ra o STF ana­li­sar o ca­so. só de­pois que is­so ocor­rer, o as­sun­to po­de­rá ser le­va­do ao ple­ná­rio. até lá, o se­na­dor tu­ca­no se­gue afas­ta­do de su­as fun­ções e proi­bi­do de sair de ca­sa à noi­te.

Me­sa Di­re­to­ra do Se­na­a­do, nes­ta quin­ta-fei­ra.

GRE­EN­PE­A­CE

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.