Jus­ti­ça ne­ga que Go­o­gle coí­ba pu­bli­ci­da­de in­fan­til

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

OGo­o­gle ob­te­ve de­ci­são fa­vo­rá­vel da Jus­ti­ça em pro­ces­so que pe­dia en­du­re­ci­men­to de su­as po­lí­ti­cas pa­ra coi­bir a pu­bli­ci­da­de in­fan­til no Youtu­be. Em ação ci­vil pú­bli­ca na Jus­ti­ça Fe­de­ral de Mi­nas Ge­rais, o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral pe­dia que o Go­o­gle in­cluís­se, na pá­gi­na ini­ci­al do Youtu­be e em sua área de de­nún­cia de con­teú­do abu­si­vo, avi­sos des­ta­can­do a proi­bi­ção de pu­bli­ci­da­de di­re­ci­o­na­da a cri­an­ças e de ví­de­os pro­mo­ci­o­nais pro­ta­go­ni­za­dos por elas.

O MPF tam­bém afir­mou na ação ter re­co­men­da­do ao Go­o­gle a re­mo­ção de ví­de­os com con­teú­do di­re­ci­o­na­do a cri­an­ças, sem que o pe­di­do fos­se aca­ta­do.

O juiz fe­de­ral da 10ª Va­ra de Be­lo Ho­ri­zon­te Mi­guel Ân­ge­lo de Al­va­ren­ga ne­gou os pe­di­dos da Pro­cu­ra­do­ria e afir­mou que o pro­ve­dor de ser­vi­ços só po­de ser res­pon­sa­bi­li­za­do ci­vil­men­te se des­cum­prir me­di­da ju­di­ci­al que de­ter­mi­ne a re­mo­ção de con­teú­do. Es­se pro­ce­di­men­to im­pe­de o cer­ce­a­men­to da li­ber­da­de de ex­pres­são e es­tá em­ba­sa­do no Mar­co Ci­vil da In­ter­net, se­gun­do o ma­gis­tra­do. Al­va­ren­ga tam­bém afir­mou que a pá­gi­na de de­nún­cia de con­du­tas im­pró­pri­as ou ile­gais é sa­lu­tar, po­rém não é fer­ra­men­ta obri­ga­tó­ria.

“A em­pre­sa pro­ve­do­ra de apli­ca­ções de in­ter­net não tem a obri­ga­ção le­gal de re­a­li­zar o con­tro­le pré­vio so­bre os ví­de­os pos­ta­dos por seus usuá­ri­os e, con­se­quen­te­men­te, não tem o de­ver le­gal de adi­ci­o­nar avi­sos e fer­ra­men- tas de de­nún­cia além da­que­las que, den­tro da sua dis­cri­ci­o­na­ri­e­da­de co­mo em­pre­sa pri­va­da, re­sol­ver es­ta­be­le­cer co­mo po­lí­ti­ca de atu­a­ção”, es­cre­veu. Por ou­tro la­do, ca­so al­gum con­teú­do se­ja re­ti­ra­do por de­ci­são ju­di­ci­al, ele de­ve­rá ser subs­ti­tuí­do por avi­so ex­pli­can­do o mo­ti­vo de sua re­mo­ção.

A de­ci­são é de 1ª ins­tân­cia. O Mi­nis­té­rio Pú­bli­co in­for­mou que irá en­trar com re­cur­so jun­to ao Tri­bu­nal Re­gi­o­nal Fe­de­ral da 1ª Re­gião pa­ra que ela se­ja re­vis­ta.

Fer­nan­do de Al­mei­da Mar­tins, pro­cu­ra­dor res­pon­sá­vel pe­lo ca­so, diz ser im­pos­sí­vel que se en­tre com uma ação ca­da vez que um ví­deo vi­o­lar as res­tri­ções a par­ti­ci­pa­ção de cri­an­ças em aões de mer­chan­di- sing, de­vi­do ao gran­de vo­lu­me des­sas in­fra­ções. Já a co­lo­ca­ção de avi­sos so­bre a ile­ga­li­da­de da prá­ti­ca no si­te do Youtu­be per­mi­ti­ria mo­ni­to­ra­men­to e pres­são pe­la re­ti­ra­da de con­teú­dos ina­de­qua­dos fei­tos pe­los pró­pri­os usuá­ri­os do si­te.

Se­gun­do Mar­tins, o Có­di­go de De­fe­sa do Con­su­mi­dor, que tra­ta dos di­rei­tos à in­for­ma­ção, per­mi­te o en­ten­di­men­to de que a fi­xa­ção dos avi­sos é obri­ga­tó­ria.

Pro­cu­ra­do, o Go­o­gle afir­mou que não co­men­ta ca­sos es­pe­cí­fi­cos.

UNIÃO

A União tam­bém é ré no pro­ces­so. Na ação, o MPF pe­de que ela al­te­re re­so­lu­ção do Co­nan­da (Con­se­lho Na­ci­o­nal dos Di­rei­tos da Cri­an­ça e do Ado­les­cen­te ) so­bre a abu­si­vi­da­de de co­mu­ni­ca­ção mer­ca­do­ló­gi­ca pa­ra cri­an­ças e ado­les­cen­tes, pa­ra que pas­se a in­cluir san­ções ad­mi­nis­tra­ti­vas em ca­so de des­cum­pri­men­to dos seus dis­po­si­ti­vos. A re­so­lu­ção en­ten­de co­mo abu­si­va a pu­bli­ci­da­de pa­ra cri­an­ças que te­nham co­mo fim per­su­a­di-la pa­ra o con­su­mo de bens ou ser­vi­ços.

Ve­da, por exem­plo, o uso de lin­gua­gem in­fan­til, ex­ces­so de co­res, tri­lhas so­no­ras in­fan­tis ou can­ta­das por cri­an­ças, pro­mo­ções com brin­des co­le­ci­o­ná­veis ou jo­gos com ape­lo a cri­an­ças.

O pe­di­do foi ne­ga­do, sob o en­ten­di­men­to de que não ha­ve­ria dis­po­si­ções pa­ra que o con­se­lho cri­as­se san­ções, o que ca­be­ria so­men­te a lei.

USA

Pes­so­as po­sam com ce­lu­la­res em fren­te a uma pro­je­ção de lo­go do Youtu­be

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.