O mais gra­ve aten­ta­do ter­ro­ris­ta em NY des­de o 11 de se­tem­bro

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Azo­na bai­xa de Ma­nhat­tan mer­gu­lhou no ca­os em ple­na fes­ta de Hal­lowe­en, de­pois de uma ca­mi­nho­ne­te atro­pe­lar vá­ri­as pes­so­as que cir­cu­la­vam em uma mo­vi­men­ta­da ci­clo­via no bair­ro de Tri­be­ca. Por en­quan­to, há oi­to mor­tos e 15 fe­ri­dos. o pre­fei­to de no­va York, Bill de Bla­sio, afir­mou que se tra­ta­va de “um ato de ter­ror co­var­de” e pe­diu aos no­va-ior­qui­nos que per­ma­ne­ces­sem aler­tas, em­bo­ra até o mo­men­to o ata­que es­te­ja sen­do con­si­de­ra­do co­mo ini­ci­a­ti­va de um lo­bo so­li­tá­rio e não co­mo par­te de uma ope­ra­ção ter­ro­ris­ta mais am­pla. de acor­do com nu­me­ro­sos veí­cu­los de co­mu­ni­ca­ção nor­te-ame­ri­ca­nos, o sus­pei­to é say­ful­lo sai­pov, um ho­mem de 29 anos, nas­ci­do no Uz­be­quis­tão e re­si­den­te des­de 2010 em Tam­pa, na Fló­ri­da. Au­to­ri­da­des já con­si­de­ram es­se o aten­ta­do mais mor­tí­fe­ro des­de o 11 de se­tem­bro.

o in­ci­den­te acon­te­ceu no cru­za­men­to das ru­as West e Cham­bers de­pois das 15h (17h em Bra­sí­lia). o nú­me­ro de mor­tos po­de au­men­tar, ten­do em con­ta o nú­me­ro de fe­ri­dos. A po­lí­cia da no­va York pren­deu o mo­to­ris­ta, que es­tá sen­do aten­di­do em um hos­pi­tal pró­xi­mo.

“Um veí­cu­lo en­trou na fai­xa pa­ra bi­ci­cle­tas e pe­des­tres e atro­pe­lou vá­ri­as pes­so­as no ca­mi­nho. Há vá­ri­as ví­ti­mas mor­tais e mui­tas pes­so­as fe­ri­das. o veí­cu­lo con­ti­nu­ou pe­lo ca­mi­nho na di­re­ção sul até ba­ter em outro veí­cu­lo. o sus­pei­to saiu da ca­mi­nho- ne­te com ar­mas fal­sas e foi ba­le­a­do pe­la po­lí­cia”, ex­pli­cou o de­par­ta­men­to em vá­ri­os tuí­tes. Fon­tes das for­ças de se­gu­ran­ça ci­ta­das pe­lo The new York Ti­mes in­di­ca­ram que o in­di­ví­duo dei­xou o veí­cu­lo gri­tan­do “Al­lhu Ak­bar” (deus é gran­de, em ára­be).

As tes­te­mu­nhas di­zem que vá­ri­os ti­ros fo­ram ou­vi- dos. As cir­cuns­tân­ci­as do in­ci­den­te não es­ta­vam cla­ras. Co­mo me­di­da de pre­cau­ção, o trân­si­to foi in­ter­rom­pi­do na área e as es­co­las fo­ram fe­cha­das com os es­tu­dan­tes den­tro. o in­ci­den­te acon­te­ceu a pou­cas qua­dras da pre­fei­tu­ra de no­va York e do World Tra­de Cen­ter.

ro­ber­to Cri­vel­lo es­ta­va no lo­cal, es­pe­ran­do ha­via du­as ho­ras a fi­lha de se­te anos, que es­tá den­tro da es­co­la pú­bli­ca in­de­pen­den­ce, uma das mais co­nhe­ci­das da ci­da­de. “É as­sus­ta­dor que is­so acon­te­ça tão per­to da es­co­la da mi­nha fi­lha”, dis­se ao EL PAÍS. o es­tu­dan­te Tawhid Ka­bir es­ta­va so­bre a pon­te que cru­za a West si­de Highway no mo­men­to do in­ci­den­te e diz ter vis­to o mo­to­ris­ta na rua co­mo se es­ti­ves­se per­di­do e ti­nha na mão du­as coi­sas que pa­re­ci­am ar­mas. de­pois os ti­ros fo­ram ou­vi­dos. o re­la­to dos tran­seun­tes mos­tra o pâ­ni­co que vi­ve­ram. ou­tra tes­te­mu­nha dis­se ao ca­nal lo­cal ny1 que viu o sus­pei­to cor­ren­do por um cru­za­men­to, ou­viu cin­co ou seis ti­ros e viu “100 po­li­ci­ais” ocu­pa­rem os ar­re­do­res. “Vi que ele ti­nha

al­go na mão, mas ele não sa­bia o que era. dis­se­ram que era uma pis­to­la. A po­lí­cia dis­pa­rou con­tra ele, to­do mun­do co­me­çou a cor­rer e aqui­lo se tor­nou uma lou­cu­ra. olhei de no­vo e o ca­ra já es­ta­va no chão”, ex­pli­cou.

o pre­fei­to Bill de Bla­sio foi pa­ra o lo­cal do in­ci­den­te e deu uma en­tre­vis­ta co­le­ti­va. o pre­si­den­te dos Es­ta­dos Uni­dos, do­nald Trump, es­tá re­ce­ben­do in­for­ma­ções atu­a­li­za­das so­bre os fa­tos, de acor­do com a Ca­sa Bran­ca. “Pa­re­ce que hou­ve outro ata­que por par­te de uma pes­soa mui­to do­en­te e per­tur­ba­da. As for­ças de se­gu­ran­ça es­tão acom­pa­nhan­do is­so de per­to. não nos Es­ta­dos Uni­dos!”, es­cre­veu no Twit­ter.

o epi­só­dio é se­me­lhan­te ao que acon­te­ceu em maio, quan­do um mo­to­ris­ta atro­pe­lou na Ti­mes squa­re, o epi­cen­tro tu­rís­ti­co de no­va York, um to­tal de 23 pes­so­as –uma de­las mor­reu–, mas não foi um ato ter­ro­ris­ta. o ato de no­va York é o mais re­cen­te de um pa­drão pro­mo­vi­do pe­lo gru­po ter­ro­ris­ta Es­ta­do is­lâ­mi­co (Ei) de dois anos pa­ra cá e que con­sis­te em usar veí­cu­los co­mo ar­mas mor­tais, em­bo­ra ain­da se des­co­nhe­ça se o mo­to­ris­ta des­ta ter­ça­fei­ra te­nha al­gu­ma li­ga­ção com o gru­po. Em agos­to, um jo­vem ter­ro­ris­ta fez um atro­pe­la­men­to se­me­lhan­te, cau­san­do 13 mor­tos e mais de 100 fe­ri­dos na ram­bla de Bar­ce­lo­na (Es­pa­nha). Em de­zem­bro de 2016, ou- tro ter­ro­ris­ta tu­ni­si­a­no usou um ca­mi­nhão pa­ra in­ves­tir con­tra um mer­ca­do de na­tal em Ber­lim (Ale­ma­nha), ma­tan­do 12 pes­so­as e fe­rin­do 56. Em ju­lho da­que­le ano, outro tu­ni­si­a­no fi­li­a­do ao Ei ma­tou 86 pes­so­as na avenida à bei­ra-mar de ni­ce (Fran­ça) ao atin­gir cen­te­nas de pes­so­as com um ca­mi­nhão re­bo­que.

Ca­mi­nho­ne­te in­va­de ci­clo­via e ma­ta oi­to em No­va York; FBI tra­ta ca­so co­mo ter­ro­ris­mo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.