Ala po­lí­ti­ca quer re­for­ma da Pre­vi­dên­cia pa­ra 2018

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Ape­sar dos es­for­ços do Pla­nal­to pa­ra apro­var uma re­for­ma da Pre­vi­dên­cia mais en­xu­ta, o go­ver­no de Mi­chel Te­mer vê um am­bi­en­te con­ta­mi­na­do no Con­gres­so e já ad­mi­te que a vo­ta­ção po­de não ser con­cluí­da nes­te ano.

Os prin­ci­pais ar­ti­cu­la­do­res po­lí­ti­cos do pre­si­den­te ava­li­am, em ca­rá­ter re­ser­va­do, que a im­po­pu­la­ri­da­de da pro­pos­ta, a de­sor­ga­ni­za­ção da ba­se ali­a­da e o pra­zo aper­ta­do até o re­ces­so do fim de ano po­dem in­vi­a­bi­li­zar o su­ces­so de uma das prin­ci­pais ban­dei­ras do ajus­te de Te­mer.

Pa­ra es­ses ali­a­dos, a úni­ca ma­nei­ra de re­du­zir as ten­sões com os par­la­men­ta­res que sus­ten­tam o go­ver­no é an­te­ci­par uma re­for­ma mi­nis­te­ri­al com a con­tra­par­ti­da de que os par­ti­dos en­tre­guem os vo­tos pa­ra apro­var o pro­je­to. O ce­ná­rio pes­si­mis­ta con­tras­ta com os pla­nos de­se­nha­dos há cer­ca de três se­ma­nas pe­la equi­pe econô­mi­ca, que acei­tou re­du­zir o pa­co­te de mu­dan­ças em uma úl­ti­ma ten­ta­ti­va de ga­nhar apoio e apro­vá-la na Câ­ma­ra e no Se­na­do até de­zem­bro.

Des­de en­tão, o go­ver­no não fez ne­nhu­ma mo­vi­men­ta­ção con­cre­ta pa­ra re­to­mar o de­ba­te no Con­gres­so. O re­la­tor da pro­pos­ta, Arthur Oli­vei­ra Maia (PPS-BA), foi es­ca­la­do pa­ra son­dar seus co­le­gas so­bre a dis­po­si­ção de en­ca­rar o te­ma, mas os pri­mei­ros re­tor­nos fo­ram ne­ga­ti­vos. Na ava­li­a­ção de au­xi­li­a­res, o pre­si­den­te es­tá lon­ge de ter os vo­tos de 308 de­pu­ta­dos, ne­ces­sá­ri­os pa­ra apro­var a Pro­pos­ta de Emen­da à Cons­ti­tui­ção que mu­da as re­gras de apo­sen­ta­do­ria.

Os mais oti­mis­tas pro­je­tam que a re­to­ma­da das ar­ti­cu­la­ções e a con­quis­ta de apoio se­rão mais len­tas do que o pre­vis­to. Por­tan­to, só ha­ve­ria tem­po há­bil em 2017 pa­ra que a vo­ta­ção fos­se con­cluí­da na Câ­ma­ra, dei­xan­do o te­ma pen­den­te no Se­na­do no iní­cio de um ano elei­to­ral.

Des­cren­ça

Ou­tros ar­ti­cu­la­do­res acre­di­tam que nem os de­pu­ta­dos te­rão dis­po­si­ção pa­ra apre­ci­ar o as­sun­to em ple­ná­rio até de­zem­bro. Par­te des­ses ali­a­dos apos­ta em um es­for­ço até abril de 2018 –an­tes do iní­cio das pré-cam­pa­nhas–, en­quan­to al­guns já su­ge­rem que a re­for­ma se­ja aban­do­na­da por es­se go­ver­no.

Es­se grupo é o que tem in­ter­lo­cu­ção mais pró­xi­ma com as ban­ca­das da Câ­ma­ra, on­de es­tão os prin­ci­pais fo­cos de in­sa­tis­fa­ção com o Pla­nal­to. Pa­ra es­ses as­ses­so­res, se Te­mer não fi­zer uma re­dis­tri­bui­ção de car­gos no go­ver­no nas pró­xi- mas se­ma­nas, se­rá im­pos­sí­vel re­to­mar as dis­cus­sões so­bre o te­ma. Te­mer de­ve se reu­nir com mi­nis­tros, lí­de­res e os pre­si­den­tes da Câ­ma­ra e do Se­na­do na se­ma­na que vem pa­ra sa­ber se exis­te um ca­mi­nho que per­mi­ta vo­tar uma no­va ver­são da re­for­ma.

O Pla­nal­to e a Fa­zen­da con­cor­da­ram em abrir mão de par­te do tex­to, des­de que se­jam pre­ser­va­dos três pi­la­res: ida­de mí­ni­ma (65 anos pa­ra ho­mens e 62 pa­ra mu­lhe­res), o tem­po de con­tri­bui­ção de pe­lo me­nos 25 anos e uma re­gra de tran­si­ção.

O go­ver­no ad­mi­te dei­xar de fo­ra o au­men­to da ida­de pa­ra ido­sos receberem o Be­ne­fí­cio de Pres­ta­ção Con­ti­nu­a­da, além das exi­gên­ci­as pa­ra o tra­ba­lha­dor ru­ral se apo­sen­tar –60 anos (ho­mens) e 57 anos (mu­lhe­res), com 15 de con- tri­bui­ção. A di­fi­cul­da­de de ade­são de ali­a­dos a es­sa pro­pos­ta de­si­dra­ta­da se de­ve ao im­pac­to ne­ga­ti­vo que es­se te­ma de­ve ter nas ba­ses elei­to­rais. Par­la­men­ta­res ar­gu­men­tam que já ar­ca­ram com o des­gas­te de apoi­ar o go­ver­no nas de­nún­ci­as con­tra Te­mer e em di­ver­sas me­di­das de aus­te­ri­da­de. O Pla­nal­to tam­bém en­fren­ta um en­tra­ve prá­ti­co: só há seis se­ma­nas de vo­ta­ção no Con­gres­so an­tes do iní­cio do re­ces­so, em 23 de de­zem­bro. Até lá, a pau­ta do go­ver­no es­ta­rá ocu­pa­da pe­la vo­ta­ção do Or­ça­men­to de 2018 e de 11 me­di­das pro­vi­só­ri­as que vão ca­du­car se não fo­rem apro­va­das. En­tre elas, es­tão te­mas ti­dos co­mo pri­o­ri­tá­ri­os, co­mo a mu­dan­ça de re­gras no se­tor mi­ne­ral, o pla­no de de­mis­sões vo­lun­tá­ri­as do ser­vi­ço pú­bli­co e a no­va tri­bu­ta­ção do se­tor de pe­tró­leo.

FO­LHA

Pre­si­den­te do Bra­sil, Mi­chel Te­mer, em uma apre­sen­ta­ção aos in­ves­ti­do­res do ban­co San­tan­der em São Pau­lo, Bra­sil

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.