‘CE­NÁ­RIO PA­RA 2018 FA­VO­RE­CE AL­GUÉM COM MEU PER­FIL’

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Fi­li­a­do ao PSD, o mi­nis­tro da fa­zen­da, hen­ri­que Mei­rel­les, aguar­da nú­me­ros mais fir­mes da re­to­ma­da da eco­no­mia pa­ra decidir se se­rá can­di­da­to a pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca nas elei­ções do pró­xi­mo ano.

Em en­tre­vis­ta à re­vis­ta “Ve­ja” pu­bli­ca­da nes­ta quin­ta (2), Mei­rel­les afir­mou que sa­be ter con­di­ções pa­ra ser “pre­si­den­ciá­vel”, mas que qual­quer can­di­da­to que “to­que as re­for­mas e a mo­der­ni­za­ção da eco­no­mia bra­si­lei­ra” te­rá “cam­po fa­vo­rá­vel”.

“o cam­po é fa­vo­rá­vel, sim. fa­vo­rá­vel pa­ra o que eu cha- mo de um can­di­da­to re­for­mis­ta no sen­ti­do de al­guém que to­que as re­for­mas e a mo­der­ni­za­ção da eco­no­mia bra­si­lei­ra co­mo es­tá ocor­ren­do. Não há dú­vi­da de que ho­je es­sa po­si­ção re­for­mis­ta é im­por­tan­te”, de­cla­rou.

Em en­tre­vis­ta à fo­lha, em agos­to, Mei­rel­les já ha­via di­to que um can­di­da­to a pre­si­den­te com uma pla­ta­for­ma re­for­mis­ta, que pro­me­ta man­ter o es­for­ço do atu­al go­ver­no pa­ra con­tro­lar des­pe­sas e ar­ru­mar as con­tas pú­bli­cas, te­rá bo­as chan­ces nas pró­xi­mas elei­ções.

“Se me per­gun­tar quem vai ga­nhar, acre­di­to que uma men­sa­gem re­for­mis­ta de­ve ga­nhar”, dis­se à fo­lha. “a po­si­ção po­pu­lis­ta já foi su­fi­ci­en­te­men­te tes­ta­da e deu re­sul­ta­do ne­ga­ti­vo. a po­pu­la­ção es­tá aler­ta pa­ra is­so.”

Ele diz que to­ma­rá a de­ci­são de ser ou não de ser can­di­da­to per­to do pra­zo fi­nal de de­sin­com­pa­ti­bi­li­za­ção, no dia 2 de abril.

Em me­a­dos de se­tem­bro, o mi­nis­tro par­ti­ci­pou de uma reu­nião com de­pu­ta­dos do PSD e com o pre­si­den­te do par­ti­do, Gil­ber­to Kas­sab, mi­nis­tro da Ci­ên­cia, Tecnologia, Ino­va­ção e Co­mu­ni­ca­ções.

No en­con­tro, Mei­rel­les agra­de­ceu pe­la in­ten­ção de lan­ça­rem seu no­me à Pre­si­dên­cia, mas dis­se que se­ria pre­ci­pi­ta­do o lan­ça­men­to de uma can­di­da­tu­ra nes­te ano. Na con­ver­sa, o mi­nis­tro não dei­xou cla­ro se ele mes­mo se­ria can­di­da­to.

a si­tu­a­ção não mu­dou. Mei­rel­les se­rá a es­tre­la do pro­gra­ma par­ti­dá­rio do PSD, que irá ao ar a par­tir de 21 de de­zem­bro. lí­de­res do par­ti­do afir­mam que o pro­gra­ma mos­tra­rá as me­di­das que fi­ze­ram a eco­no­mia re­cu­pe­rar a for­ça e o mi­nis­tro apa­re­ce co­mo o su­jei­to des­sa vi­ra­da.

Em ne­nhum mo­men­to o pro­gra­ma si­na­li­za que Mei­rel­les se­rá pre­si- den­ciá­vel. a in­ten­ção é vin­cu­lar o PSD às trans­for­ma­ções da eco­no­mia.

Pa­ra ser can­di­da­to, Mei­rel­les tem ou­tras in­cer­te­zas pe­la fren­te. o des­ti­no de Kas­sab é um dos fa­to­res prin­ci­pais. o pre­si­den­te do PSD pre­fe­re se lan­çar ao go­ver­no de São Pau­lo mas, de­pen­den­do dos con­cor­ren­tes, po­de par­tir pa­ra o Se­na­do.

Nes­te ce­ná­rio, não é pos­sí­vel des­car­tar ain­da uma co­li­ga­ção do PSD com ou­tro par­ti­do –e Mei­rel­les não pre­ten­de ser vi­ce. o mi­nis­tro tem até 31 de mar­ço pa­ra to­mar uma de­ci­são.

Fo­lha

Fo­lha

O mi­nis­tro da Fa­zen­da, Hen­ri­que Mei­rel­les, em even­to em Bra­sí­lia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.