Abs­ten­ção de 30% dos ins­cri­tos no Enem

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Omi­nis­tro da Edu­ca­ção, Men­don­ça Fi­lho, clas­si­fi­cou o pri­mei­ro dia de apli­ca­ção das pro­vas do Exa­me Na­ci­o­nal do En­si­no Mé­dio (Enem) on­tem co­mo “tran­qui­lo”, di­an­te do bai­xo nú­me­ro de ocor­rên­ci­as po­li­ci­ais e de uma que­da ex­pres­si­va na quan­ti­da­de de can­di­da­tos eli­mi­na­dos por des­cum­pri­men­to de re­gras, em re­la­ção ao ano pas­sa­do. Ape­sar da tran­qui­li­da­de du­ran­te a apli­ca­ção das pro­vas, o ní­vel de abs­ten­ção con­ti­nua al­to. Três em ca­da 10 ins­cri­tos não com­pa­re­ce­ram aos lo­cais de pro­va. O ín­di­ce de abs­ten­ção no pri­mei­ro dia foi de 30,2%, a mais al­ta des­de 2009, se­gun­do ba­lan­ço di­vul­ga­do on­tem pe­lo Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Es­tu­dos e Pes­qui­sas Edu­ca­ci­o­nais Aní­sio Tei­xei­ra (Inep), ór­gão res­pon­sá­vel pe­la or­ga­ni­za­ção da pro­va.

No to­tal, 4,6 mi­lhões de pes­so­as par­ti­ci­pa­ram da pri­mei­ra eta­pa do exa­me. Is­so sig­ni­fi­ca que, es­te ano, 2 mi­lhões das 6,7 mi­lhões de pes­so­as que se ins­cre­ve­ram fal­ta­ram à pro­va. A abs­ten­ção em 2017 foi mai­or que a con­ta­bi­li­za­da no ano pas­sa­do, de 29,19%, que con­si­de­ra a mé­dia dos dois di­as de apli­ca­ção da pro­va, e de­ve fi­car ain­da mai­or. A ex­pec­ta­ti­va é que, no pró­xi­mo do­min­go, quan­do se­rão apli­ca­das as pro­vas de ci­ên­ci­as exa­tas, mais pes­so- as fal­tem, o que de­ve ele­var a mé­dia de abs­ten­ção nes­ta edi­ção do Enem.

O mai­or nú­me­ro de au­sen­tes foi re­gis­tra­do em 2009, quan­do 37,7% dos ins­cri­tos dei­xa­ram de fa­zer a pro­va. A di­re­to­ra do Inep, Eunice San­tos, lem­brou que os nú­me­ros de 2017 ain­da são pre­li­mi­na­res e es­tão den­tro da mé­dia dos úl­ti­mos anos, de 30%, mas ad­mi­tiu que “é uma mé­dia al­ta”, que “pre­o­cu­pa” o ins­ti­tu­to.

A prin­ci­pal pre­o­cu­pa­ção do Inep se jus­ti­fi­ca pe­lo pre­juí­zo que as fal­tas ge- ram aos co­fres pú­bli­cos. No ano pas­sa­do, me­ta­de dos ins­cri­tos que so­li­ci­ta­ram isen­ção de ta­xa não com­pa­re­ce­ram no dia da pro­va. No to­tal, o go­ver­no per­deu mais de R$ 226 mi­lhões com as fal­tas, só em 2016. Pa­ra o Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção, o al­to ní­vel de abs­ten­ção re­for­ça a im­por­tân­cia das no­vas re­gras de isen­ção lan­ça­das es­te ano: ago­ra, os can­di­da­tos isen­tos de ta­xas que fal­ta­rem à pro­va per­de­rão o be­ne­fí­cio no ano se­guin­te ca­so não apre­sen­tem jus­ti­fi­ca­ti­va pa­ra a au­sên­cia, “que de­ve ser em­ba­sa­da em do­cu­men­tos”, res­sal­tou Eunice.

Ape­sar do al­to ín­di­ce de abs­ten­ção, o mi­nis­tro con­si­de­rou que “tu­do ocor­reu bem, ten­do em vis­ta a mag­ni­tu­de do exa­me”. Men­don­ça Fi­lho res­sal­tou que dois de­le­ga­dos da Po­lí­cia Fe­de­ral acom­pa­nha­ram a apli­ca­ção dos exa­mes, que te­ve “pou­cas ocor­rên­ci­as”, ne­nhu­ma con­si­de­ra­da gra­ve. No to­tal, 273 can­di­da­tos fo­ram eli­mi­na­dos por des­cum­pri­men­to de re­gras ge­rais do edi­tal, co­mo o uso de ca­ne­ta es­fe­ro­grá­fi­ca pre­ta de ma­te­ri­al trans­pa­ren­te ou atra­so. De­les, no­ve se ne­ga­ram a pas­sar pe­lo de­tec­tor de me­tal. O nú­me­ro é bem me­nor que o re­gis­tra­do ao fim do pri­mei­ro dia de pro­va, em 2016, que con­tou com 3.942 eli­mi­na­ções.

RAI­VA

Hou­ve ain­da du­as si­tu­a­ções em que can­di­da­tos saí­ram com as pro­vas an­tes do ho­rá­rio pro­gra­ma­do. Se­gun­do a pre­si­den­te do Inep, Ma­ria Inês Fi­ni, um de­les foi em­bo­ra após fi­car “com rai­va de uma ques­tão”, e o ou­tro “saiu cor­ren­do e ti­rou fo­to” da pro­va, por vol­ta das 17h, du­as ho­ras an­tes do per­mi­ti­do. Até o fe­cha­men­to da edi­ção, um de­les ha­via si­do iden­ti­fi­ca­do e eli­mi­na­do por ter de­so­be­de­ci­do a um dos itens do edi­tal. O mi­nis­té­rio não in­for­mou on­de fo­ram as ocor­rên­ci­as, pa­ra não atra­pa­lhar a in­ves­ti­ga­ção po­li­ci­al.

Além de­les, um can­di­da­to foi iden­ti­fi­ca­do com um ci­gar­ro de ma­co­nha no bol­so, em Bra­sí­lia. Ele não foi eli­mi­na­do nem cons­ta nas ocor­rên­ci­as de des­cum­pri­men­to de re­gras por­que “o uso da dro­ga não é mais con­si­de­ra­do cri­me, só o trá­fi­co”, ex­pli­cou a di­re­to­ra do Inep. A Po­lí­cia Mi­li­tar en­ten­deu, por­tan­to, que não se con­fi­gu­ra­va cri­me e ori­en­tou o jo­vem a con­ti­nu­ar a pro­va. Ain­da as­sim, “o sis­te­ma de se­gu­ran­ça fun­ci­o­nou mui­to bem”, con­cluiu Men­don­ça Fi­lho.

COR­REIO WEB

Au­sên­ci­as pre­o­cu­pam INEP por­que geram pre­juí­zo aos co­fres pú­bli­cos fe­de­rais.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.