Go­o­gle põe nas ru­as car­ro autô­no­mo sem mo­to­ris­ta

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Os pri­mei­ros car­ros ver­da­dei­ra­men­te au­to­gui­a­dos —veí­cu­los que cir­cu­lam pe­las ru­as sem que nin­guém es­te­ja presente pa­ra as­su­mir o con­tro­le do veí­cu­lo em ca­so de emer­gên­cia— fi­nal­men­te che­ga­ram. A Way­mo, que co­me­çou co­mo um pro­je­to de veí­cu­los au­to­gui­a­dos do Go­o­gle, anun­ci­ou nes­ta ter­ça-fei­ra (7) que ti­nha car­ros au­to­gui­a­dos cir­cu­lan­do em cer­tas áre­as da ci­da­de de Pho­e­nix, Ari­zo­na, sem a pre­sen­ça de ope­ra­do­res no ban­co da fren­te.

As pes­so­as que to­ma­rão par­te do tes­te da Way­mo em Pho­e­nix, lo­ca­li­za­da em uma re­gião de­sér­ti­ca do su­do­es­te dos EUA, po­de­rão cha­mar os car­ros por meio de um app “já nos pró­xi­mos me­ses”, anun­ci­ou a com­pa­nhia.

Te­ma de mui­ta es­pe­cu­la­ção nos úl­ti­mos anos, os car­ros gui­a­dos têm o po­ten­ci­al de se tor­nar uma das no­vas tec­no­lo­gi­as mais de­sor­de­na­do­ras e ocu­pam po­si­ção cen­tral em uma cor­ri­da en­tre gran­des mon­ta­do­ras de au­to­mó­veis e gru­pos de tec­no­lo­gia nos Es­ta­dos Uni­dos, Chi­na e Eu­ro­pa.

Mas, em­bo­ra di­ver­sos gru­pos já es­te­jam tes­tan­do pro­tó­ti­pos nas ru­as com mo­to­ris­tas por trás do vo­lan­te pa­ra as­su­mir o con­tro­le em ca­so de emer­gên­cia, a mai­o­ria dos ob­ser­va­do­res acre­di­ta que veí­cu­los ple­na­men­te au­to­gui­a­dos só es­ta­rão no mer­ca­do den­tro de dois anos.

John Kraf­cik, o pre­si­den­te­e­xe­cu­ti­vo da Way­mo, anun­ci­ou o avan­ço em uma con­fe­rên­cia de tec­no­lo­gia em Lis­boa, nes­ta ter­ça-fei­ra. Fun­ci­o­ná­ri­os da em­pre­sa es­tão tes­tan­do o sis- te­ma; eles se aco­mo­dam nos as­sen­tos tra­sei­ros dos car­ros, es­co­lhem uma de três ro­tas e de­pois per­mi­tem que o veí­cu­lo cui­de de to­do o res­to.

O tes­te, em­bo­ra li­mi­ta­do a uma área não es­pe­ci­fi­ca­da da ci­da­de, “não é uma de­mons­tra­ção ou even­to ex­tra­or­di­ná­rio”, mas o iní­cio de “uma no­va fa­se pa­ra a Way­mo e pa­ra a his­tó­ria des­sa tec­no­lo­gia”, dis­se Kraf­cik. A em­pre­sa pla­ne­ja ex­pan­dir o tes­te pa­ra to­da a área de Pho­e­nix, com 1.500 quilô­me­tros qua­dra­dos, mas não men­ci­o­nou um cro­no­gra­ma es­pe­cí­fi­co.

Van­ta­gem TEC­NO­LÓ­GI­CA

O Go­o­gle cau­sou cho­que ao se­tor au­to­mo­bi­lís­ti­co ao re­ve­lar a pri­mei­ra ver­são de sua tec­no­lo­gia en­tão ru­di­men­tar pa­ra veí­cu­los au­to­gui­a­dos, se­te anos atrás, e sub­se­quen­te­men­te in­ves­tiu mais de US$ 1 bi­lhão em su­as pes­qui­sas so­bre veí­cu­los.

Os ri­vais re­co­nhe­cem que o gru­po con­ti­nua a ter van­ta­gem tec­no­ló­gi­ca, em­bo­ra os cé­ti­cos ques­ti­o­nem se a in­te­li­gên­cia ar­ti­fi­ci­al dos car­ros é boa o su­fi­ci­en­te pa­ra res­pon­der aos mui­tos even­tos im­pre­vis­tos que po­dem acon­te­cer nas ru­as, ou pa­ra in­te­ra­gir com se­res hu­ma­nos.

O medo de que o con­tro­le do Go­o­gle so­bre a tec­no­lo­gia dos veí­cu­los au­to­gui­a­dos ve­nha a con­fe­rir à em­pre­sa um po­der se­me­lhan­te ao que a Mi­cro­soft exer­cia so­bre os com­pu­ta­do­res no pas­sa­do tam­bém cau­sou di­fi­cul­da­de pa­ra que o gru­po de in­ter­net en­con­tre ali­a­dos no se­tor au­to­mo­bi­lís­ti­co.

Ape­sar de uma lon­ga cam­pa­nha di­plo­má­ti­ca, o úni­co su­ces­so do gru­po até ago­ra foi jun­to à Fi­at Chrys­ler, e um dos mo­de­los de mi­ni­vans da mon­ta­do­ra foi adap­ta­do pa­ra o tes­te em Pho­e­nix. Is­so for­ça­ria o Go­o­gle a fi­nan­ci­ar e a cui­dar da ma­nu­ten­ção de uma fro­ta de car­ros au­to­gui­a­dos gran­de o bas­tan­te pa­ra sus­ten­tar um ser­vi­ço de trans­por­te de passageiros, uma pro­po­si­ção po­ten­ci­al­men­te dis­pen­di­o­sa se a em­pre­sa ten­tar ex­pan­dir a ideia e cri­ar um ser­vi­ço co­mer­ci­al ple­no em di­ver­sas ci­da­des. No en­tan­to, Kraf­cik dis­se que man­ter os car­ros em operação re­sul­ta em ga­nhos de efi­ci­ên­cia. “Uma pe­que­na fro­ta de car­ros ple­na­men­te au­to­gui­a­dos po­de­ria aten­der a to­da uma co­mu­ni­da­de”, dis­se.

A Way­mo acre­di­ta que se­ja a pri­mei­ra em­pre­sa a atin­gir aqui­lo que o mun­do dos car­ros au­to­gui­a­dos de­fi­ne co­mo Ní­vel 4, o que sig­ni­fi­ca que seus car­ros po­dem ope­rar de ma­nei­ra ple­na­men­te autô­no­ma em áre­as que te­nham si­do cui­da­do­sa­men­te ma­pe­a­das e tes­ta­das. “É uma de­ci­são que re­ve­la mui­ta con­fi­an­ça”, dis­se Mi­cha­el Har­ley, edi­tor do “Ke­ley Blue Bo­ok” e da “Au­to Tra­der”, du­as pu­bli­ca­ções so­bre co­mér­cio de au­to­mó­veis.

“A van­ta­gem da Way­mo é que eles têm li­te­ral­men­te mi­lhões de quilô­me­tros ro­da­dos”, dis­se, por es­ta­rem tes­tan­do car­ros au­to­gui­a­dos há anos e já te­rem re­co­lhi­do da­dos “so­bre 99% das coi­sas que po­dem acon­te­cer nas ru­as”.

Ele acres­cen­tou que is­so ha­via le­va­do a Way­mo a “dei­xar pa­ra trás” mar­cas co­mo a Au­di, que es­tá a pon­to de co­lo­car no mer­ca­do uma tec­no­lo­gia me­nos avan­ça­da de as­sis­tên­cia a mo­to­ris­tas co­nhe­ci­da co­mo Ní­vel 3. Uber, Ge­ne­ral Mo­tors, Delphi, BMW e ou­tros vêm con­du­zin­do tes­tes pa­ra che­gar ao Ní­vel 4, mas to­dos ain­da man­têm um mo­to­ris­ta nos seus car­ros de tes­te.

Crí­ti­cas

Os crí­ti­cos ar­gu­men­tam que não se sa­be mui­to so­bre a tec­no­lo­gia da Way­mo.

“Re­al­men­te não sa­be­mos o que es­tá acon­te­cen­do, pe­lo me­nos não com ba­se em da­dos sig­ni­fi­ca­ti­vos”, dis­se John Simp­son, do gru­po de de­fe­sa do con­su­mi­dor nor­te-ame­ri­ca­no Con­su­mer Wat­ch­dog.

“Pre­o­cu­pa-me que eles es­te­jam se­guin­do o ca­mi­nho cos­tu­mei­ro do Va­le do Si­lí­cio, de lan­çar al­gu­ma coi­sa em ver­são be­ta e cor­ri­gir os de­fei­tos ao lon­go do ca­mi­nho.”

O Ari­zo­na é um dos di­ver­sos Es­ta­dos nor­te-ame­ri­ca­nos que con­cor­da­ram em per­mi­tir tes­tes de car­ros au­to­gui­a­dos em su­as ru­as e es­tra­das, des­de que eles res­pei­tem os pa­drões fe­de­rais de se­gu­ran­ça. O Go­o­gle sa­tis­fez es­se re­qui­si­to re­cen­te­men­te, ao con­cluiu um pro­ces­so de au­to­cer­ti­fi­ca­ção. Kraf­cik dis­se que “ob­je­ti­vo fi­nal” de sua em­pre­sa era le­var a tec­no­lo­gia a “mais ci­da­des nos Es­ta­dos Uni­dos e em to­do o mun­do”.

AFP

John Kraf­cik, pre­si­den­te-exe­cu­ti­vo da Way­mo, em­pre­sa de car­ros autô­no­mos do Go­o­gle

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.