al­ta Dos Com­bus­tí­veis em ano elei­to­ral PÕE Go­ver­no te­mer em en­cru­zi­lha­da

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

OGo­ver­no Mi­chel Te­mer se en­con­tra em uma en­cru­zi­lha­da por con­ta das al­tas do pre­ço do pe­tró­leo e do dó­lar em ple­no ano elei­to­ral. O pre­si­den­te da Pe­tro­bras, Pe­dro Pa­ren­te, ne­gou pu­bli­ca­men­te nes­ta ter­ça-fei­ra a pos­si­bi­li­da­de de con­tro­lar os pre­ços do com­bus­tí­vel ar­ti­fi­ci­al­men­te. Do ou­tro la­do, o mi­nis­tro da Fa­zen­da, edu­ar­do Gu­ar­dia, diz que não há es­pa­ço pa­ra re­du­ção de im­pos­tos no se­tor. en­quan­to is­so, o au­men­to no pre­ço dos com­bus­tí­veis le­va­va os ca­mi­nho­nei­ros bra­si­lei­ros às ro­do­vi­as pa­ra pro­tes­tar pe­lo se­gun­do dia con­se­cu­ti­vo. Des­ta vez, a pa­ra­li­sa­ção ge­rou im­pac­tos em ae­ro­por­tos e por­tos e, se­gun­do a as­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Ca­mi­nho­nei­ros (ab­cam), vai con­ti­nu­ar ape­sar da pro­mes­sa de ze­rar a co­bran­ça da Ci­de [Con­tri­bui­ção de in­ter­ven­ção no Do­mí­nio econô­mi­co] so­bre o di­e­sel — o im­pos­to cor­res­pon­de a ape­nas 1% do pre­ço do com­bus­tí­vel.

en­quan­to o Pa­lá­cio do Pla­nal­to bus­ca­va um ca­mi­nho em reu­niões fe­cha­das, o Con­gres­so na­ci­o­nal se or­ga­ni­za­va pa­ra dar sua res­pos­ta. Os pre­si­den­tes da Câ­ma­ra e do Se­na­do pro­me­te­ram re­du­zir o pre­ço do di­e­sel com os re­cur­sos da fu­tu­ra re­o­ne­ra­ção da fo­lha de pa­ga­men­to, que isen­ta­va des­de 2011 em­pre­sas de 56 se­to­res de uma con­tri­bui­ção pre­vi­den­ciá­ria de 20%. “Já fe­cha­mos a apro­va­ção da re­o­ne­ra­ção. a ar­re­ca­da­ção da re­o­ne­ra­ção vai to­da pa­ra a re­du­ção do [pre­ço do] di­e­sel”, dis­se o pre­si­den­te da Câ­ma­ra, ro­dri­go Maia (DEM-RJ), em ví­deo gra­va­do ao la­do do pre­si­den­te do Se­na­do, eu­ní­cio Oli­vei­ra (MDB-CE), e pu­bli­ca­do em su­as re­des so­ci­ais. “es­ta­mos tra­ba­lhan­do jun­to com o Go­ver­no, já ti­ve­mos reu­nião com o mi­nis­tro Gu­ar­dia, pa­ra ze­rar a Ci­de do di­e­sel e da ga­so­li­na, pa­ra que a gen­te pos­sa mi­ni­mi­zar os efei­tos do au­men­to dos com­bus­tí­veis na vi­da de vo­cês”, com­ple­tou Maia. Oli­vei­ra fa­la na sequên­cia pa­ra di­zer que eles tra­ba­lham nes­sa pro­pos­ta des­de do­min­go. Pa­ra au­men­tar a pres­são so­bre o Go­ver­no, os se­na­do­res opo­si­ci­o­nis­tas Jor­ge Vi­a­na (PT- ac) e Va­nes­sa Graz­zi­o­tin (PCDOBam) pre­ten­dem con­vi­dar os mi­nis­tros da Fa­zen­da e de Mi­nas e ener­gia pa­ra fa­lar so­bre os re­a­jus­tes dos com­bus­tí­veis na Co­mis­são de as­sun­tos econô­mi­cos do Se­na­do. “a pa­ra­li­sa­ção dos ca­mi­nhões afe­ta a eco­no­mia bru­tal­men­te. a pro­du­ção de pe­tró­leo aumenta, o pre­ço cres­ce e a Pe­tro­bras des­con­ta no bol­so de quem po­de me­nos es­sa iló­gi­ca dos pre­ços”, re­cla­mou Vi­a­na. Se­gun­do ele, na ci­da­de de San­ta ro­sa do Pu­rus, no acre, o bo­ti­jão de gás es­tá cus­tan­do 250 re­ais, en­quan­to o li­tro da ga­so­li­na che­gou a 10 re­ais.

re­du­ção

nes­ta quar­ta-fei­ra, o con­su­mi­dor bra­si­lei­ro de­ve re­ce­ber um pe­que­no alen­to após 11 au­men­tos con­se­cu­ti­vos (um to­tal de 16%) em ape­nas 17 di­as. a Pe­tro­bras anun­ci­ou re­du­ções de 2,08% no pre­ço da ga­so­li- na e de 1,54% no pre­ço do di­e­sel — es­te úl­ti­mo, o cau­sa­dor da in­dig­na­ção dos ca­mi­nho­nei­ros. O que per­mi­tiu a pe­que­na tré­gua foi o dó­lar, que caiu após in­ter­ven­ção do Ban­co Cen­tral. e o pre­si­den­te da Pe­tro­bras fez ques­tão de des­ta­car is­so: “Hou­ve uma re­du­ção im­por­tan­te de câm­bio. É a pro­va de que es­sa po­lí­ti­ca tan­to fun­ci­o­na na di­re­ção de su­bir os pre­ços quan­to de cair os pre­ços. O Ban­co Cen­tral in­ter­veio com mais in­ten­si­da­de no mer­ca­do on­tem, hou­ve uma re­du­ção

de câm­bio e is­so foi re­fle­ti­do no pre­ço de ho­je”, dis­se Pa­ren­te após reu­nião com os mi­nis­tros da Fa­zen­da e das Mi­nas e ener­gia, Mo­rei­ra Fran­co. Se­gun­do ele, o Go­ver­no não pe­diu “qual­quer mu­dan­ça na po­lí­ti­ca de pre­ços da Pe­tro­bras”.

“não é jus­to que o con­su­mi­dor se­ja o úni­co a pa­gar a con­ta”, diz adri­a­no Pi­res, di­re­tor do Cen­tro Bra­si­lei­ro de in­fra­es­tru­tu­ra (Cbie). O es­pe­ci­a­lis­ta no se­tor ener­gé­ti­co diz que o pri­mei­ro a fa­zer é tor­cer pa­ra o pre­ço do pe­tró­leo pa­rar de su­bir, pa­ra não pi­o­rar a si­tu­a­ção da en­cru­zi­lha­da, por­que “não tem ca­mi­nho bom”. “Fa­zer in­ter­ven­ção na Pe­tro­bras é re­tro­ce­der, vol­tar pa­ra a po­lí­ti­ca da [ex-pre­si­den­ta] Dil­ma, que que­brou a em­pre­sa”, ava­lia Pi­res, que, as­sim co­mo ro­dri­go Maia, su­ge­re me­xer nos três im­pos­tos que in­ci­dem so­bre os com­bus­tí­veis.

no cur­to pra­zo, o Go­ver­no pre­ci­sa­ria abrir mão de par­te de sua ar­re­ca­da­ção e con­ven­cer os go­ver­na­do­res dos es­ta­dos a dis­pen­sar par­te do ar­re­ca­da­do pe­lo ICMS. a PIS e a Co­fins re­pre­sen­tam 14% do pre­ço da ga­so­li­na e 12% do di­e­sel, en­quan­to o ICMS va­le 28% da pri­mei­ra e 14% do se­gun­do, de acor­do com a Fe­de­ra­ção na­ci­o­nal do Co­mér­cio de Com­bus­tí­veis e lu­bri­fi­can­tes (Fe­com­bus­tí­veis). Já a Ci­de in­flui ape­nas em 2% da ga­so­li­na e 1% do di­e­sel. “Uma pau­ta im­por­tan­te pa­ra o pró­xi­mo Go­ver­no é dis­cu­tir mudanças na po­lí­ti­ca tri­bu­tá­ria de com­bus­tí­vel. a atu­al não se co­a­du­na com a au­to­no­mia da Pe­tro­bras. O pre­ço do pe­tró­leo é mui­to vo­lá­til, es­tá su­jei­to a mudanças ge­o­po­lí­ti­cas mui­to fre­quen­tes. É pre­ci­so uma po­lí­ti­ca tri­bu­tá­ria com hed­ge [co­ber­tu­ra pa­ra ris­cos] pa­ra agir”, su­ge­re Pi­res.

Cres­ci­men­to

O Mi­nis­té­rio da Fa­zen­da ele­vou nes­ta ter­ça-fei­ra a es­ti­ma do pre­ço do pe­tró­leo pa­ra o ano. a co­ta­ção do bar­ril do ti­po Brent se­rá de 68,30 dó­la­res na mé­dia anu­al, um au­men­to de 5,1% em re­la­ção ao bi­mes­tre an­te­ri­or, de 64,98 dó­la­res. Ou se­ja, o pe­tró­leo, cu­jo bar­ril co­me­çou o ano na fai­xa dos 60 dó­la­res e ho­je ron­da os 80 dó­la­res, não de­ve dar tré­gua tão ce­do.

Já pre­vi­são de cres­ci­men­to do Pro­du­to in­ter­no Bru­to (PIB) caiu de 3% pa­ra 2,5%. a re­du­ção foi atri­buí­da à que­da no con­su­mo de ser­vi­ços no pri­mei­ro tri­mes­tre. Se­gun­do o se­cre­tá­rio de Po­lí­ti­ca econô­mi­ca da Fa­zen­da, Fá­bio Kank­zuc, con­tu­do, a pre­vi­são de cres­ci­men­to da eco­no­mia pa­ra 2019 foi re­a­jus­ta­da pa­ra ci­ma, de 3% pa­ra 3,3%.

Pa­ra­ná On­li­ne

Ca­mi­nho­nei­ros es­ta­ci­o­nam pró­xi­mo ao Con­gres­so Na­ci­o­nal du­ran­te pro­tes­to con­tra o au­men­to do pre­ço do com­bus­tí­vel, na se­gun­da-fei­ra

An­to­nio CRUZ agên­cia Bra­sil

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.