Pe­tro­lei­ros de­sa­fi­am TST e anun­ci­am iní­cio da gre­ve

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Os pe­tro­lei­ros de­sa­fi­a­ram o Tri­bu­nal Su­pe­ri­or do Tra­ba­lho (TST), que de­cla­rou ile­gal a gre­ve, e anun­ci­a­ram em no­ta nes­ta quar­ta-feira o iní­cio de uma pa­ra­li­sa­ção de 72 ho­ras em re­fi­na­ri­as, pla­ta­for­mas, ter­mi­nais e fá­bri­cas de lu­bri­fi­can­tes. Na ter­ça-feira, o Tri­bu­nal Su­pe­ri­or do Tra­ba­lho (TST) con­si­de­rou o mo­vi­men­to ile­gal e es­ti­pu­lou mul­ta de R$ 500 mil por dia aos sin­di­ca­tos, após ação ajui­za­da pe­la Pe­tro­bras e a Ad­vo­ca­cia-ge­ral da União (AGU).

De acor­do com os pe­tro­lei­ros, não há pa­ra­da na pro­du­ção nes­te mo­men­to. Se­gun­do in­for­ma­ções do G1, ca­mi­nhões de com­bus­tí­veis dei­xa­vam a Re­fi­na­ria de Du­que de Ca­xi­as (Re­duc) nes­ta ma­nhã.

A lista de rei­vin­di­ca­ções dos pe­tro­lei­ros in­clui a re­du­ção dos pre­ços do gás de co­zi­nha e dos com­bus­tí­veis e a saí­da ime­di­a­ta do atu­al pre­si­den­te da Pe­tro­bras, Pe­dro Pa­ren­te. O mo­vi­men­to tam­bém é con­trá­rio a uma pos­sí­vel pri­va­ti­za­ção da em­pre­sa. Co­mu­ni­ca­do da FUP pu­bli­ca­do pou­co de­pois da 1h re­la­ta que os fun­ci­o­ná­ri­os “não en­tra­ram pa­ra tra­ba­lhar” em re­fi­na­ri­as de São Pau­lo, Mi­nas Ge­rais, Pa­ra­ná, Rio Gran­de do Sul, Ama­zo­nas, Per­nam­bu­co e Rio de Ja­nei­ro.

Es­ta­ri­am pa­ra­li­sa­dos os se­guin­tes ter­mi­nais: Re­man ( AM), Abreu e Li­ma (PE), Re­gap ( MG), Du­que de Ca­xi­as (Re­duc, RJ), Pau­lí­nia (Re­plan), Ca­pu­a­va (Re­cap), Arau­cá­ria (Re­par), Re­fap (RS), além da Fá­bri­ca de Lu­bri­fi­can­tes do Ce­a­rá (Lub­nor), da Arau­cá­ria Ni­tro­ge­na­dos (Fa­fen-pr) e da uni­da­de de xis­to do Pa­ra­ná (SIX). Tam­bém não hou­ve tro­ca dos tur­nos, se­gun­do a FUP, nos ter­mi­nais de Su­a­pe (PE), Pa­ra­na­guá (PR) e Ba­cia de Cam­pos (RJ).

Se­gun­do o di­re­tor da Federação Úni­ca de Pe­tró­lei­ros (FUP) e Pre­si­den­te do Sindicato de Pe­tro­lei­ros de du­que de Ca­xi­as (Sin­di­pe­tro Ca­xi­as), Si­mão Za­nar­di Fi­lho, após a re­a­li- za­ção de uma as­sem­bleia, na noi­te des­ta ter­ça-feira, os fun­ci­o­ná­ri­os de­ci­di­ram ini­ci­ar a gre­ve. Os tra­ba­lha­do­res da re­fi­na­ria do grupo B, que é uma das tur­mas que tra­ba­lham em re­ve­za­men­to de tur­no, de­ci­di­ram que, nes­se mo­men­to, irão cor­tar a ren­di­ção. Ou se­ja, eles não vão en­trar pa­ra tra­ba­lhar. Irão aguar­dar os ôni­bus e re­tor­na­rão pa­ra ca­sa, e ago­ra co­me­ça a gre­ve na Re­duc. A nos­sa gre­ve, no mo­men­to, é uma gran­de ad­ver­tên­cia, não tem pa­ra­da de pro­du­ção. Que­re­mos com es­sa gre­ve le­var pa­ra a po­pu­la­ção a men­sa­gem de que é pre­ci­so abai­xar o pre­ço dos com- bus­tí­veis no país - afir­mou Si­mão, se re­fe­rin­do a ga­so­li­na, óleo di­e­sel e GNV.

Sobre a de­ci­são do TST, Si­mão afir­mou que ain­da não recebeu ne­nhu­ma no­ti­fi­ca­ção sobre a proi­bi­ção da gre­ve. Não des­co­nhe­ce­mos es­sa de­ci­são. Não fo­mos no­ti­fi­ca­dos ain­da. Se for­mos no­ti­fi­ca­dos, va­mos ex­por es­sa de­ci­são pa­ra os tra­ba­lha­do­res e pa­ra a nos­sa as­ses­so­ria ju­rí­di­ca, que tam­bém da­rá um po­si­ci­o­na­men­to. En­tão os tra­ba­lha­do­res te­rão que decidir, sa­ben­do que to­da de­ci­são tem uma con­sequên­cia - com­ple­tou Si­mão, que ain­da dis­se que a pro­du­ção não se­rá pa­ra­li­sa­da.

ROVENA RO­SA/AGÊN­CIA BRA­SIL

A Re­plan, re­fi­na­ria da Pe­tro­bras em Pau­lí­nia en­trou em gre­ve nes­te do­min­go

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.