Se­ca: es­pe­ci­a­lis­tas aler­tam so­bre cui­da­dos

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Com a che­ga­da do in­ver­no, em 21 de ju­nho, o Dis­tri­to Fe­de­ral co­me­ça a se pre­pa­rar pa­ra a tem­po­ra­da de se­ca. Fo­ra os cui­da­dos com a saú­de, a bai­xa umi­da­de e a es­cas­sez de chu­vas exi­gem aten­ção pa­ra o au­men­to dos ca­sos de in­cên­di­os flo­res­tais. De maio, con­si­de­ra­do o mês de iní­cio do pe­río­do de es­ti­a­gem, até sá­ba­do, o Cor­po de Bom­bei­ros re­gis­trou 847 ocor­rên­ci­as des­se ti­po. De acor­do com in­for­ma­ções da cor­po­ra­ção, a quan­ti­da­de de quei­ma­das nes­ta épo­ca do ano ten­de a che­gar a até 50 por dia. No ano pas­sa­do, en­tre os me­ses de maio e ju­lho, os mi­li­ta­res aten­de­ram 2.219 ca­sos de fo­go em flo­res­tas. A quan­ti­da­de de ve­ge­ta­ção de­vas­ta­da cor­res­pon­deu a uma área de 2,2 mil hec­ta­res, o equi­va­len­te a mais de 3 mil cam­pos de fu­te­bol.

Co­man­dan­te do Gru­pa­men­to de Pro­te­ção Am­bi­en­tal (Gpram) do CBMDF, o te­nen­te-co­ro­nel Ri­car­do Vi­an­na des­ta­cou que 90% dos in­cên­di­os flo­res­tais são cau­sa­dos por pes­so­as, in­ten­ci­o­nal­men­te ou não. “Es­ta­mos com 200 mi­li­ta­res pron­tos pa­ra atu­ar nes­ses ca­sos em áre­as afas­ta­das das ci­da­des. Na par­te ur­ba­na, con­ta­mos com 400 bom­bei­ros aten­den­do as so­li­ci­ta­ções”, de­ta­lhou. Além do au­men­to do efe­ti­vo, Vi­an­na in­for­mou que ór­gãos fe­de­rais e dis­tri­tais têm tra­ba­lha­do em con­jun­to, pro­mo­ven­do ações edu­ca­ti­vas nas pro­xi­mi­da­des de par­ques e uni­da­des de con­ser­va­ção do DF e En­tor­no.

ES­TA­DO DE ATEN­ÇÃO

Na sex­ta-fei­ra, após cin­co di­as de umi­da­de do ar abai­xo dos 30%, a De­fe­sa Ci­vil emi­tiu aler­ta de es­ta­do de aten­ção. Ape­sar de os ín­di­ces es­ta­rem em tor­no de 40% na par­te da ma­nhã, o pe­río­do en­tre as 14h e as 17h tem si­do mais crí­ti­co. “Qu­em mo­ra em Bra­sí­lia es­tá acos­tu­ma­do, mas é im­por­tan­te to­mar mui­to cui­da­do com a hi­dra­ta­ção”, res­sal­tou o co­or­de­na­dor de ope­ra­ções da Sub­se­cre­ta­ria de Pro­te­ção e De­fe­sa Ci­vil, te­nen­te-co­ro­nel Sin­frô­nio Lo­pes. Ele tam­bém fri­sou a im­por­tân­cia da ado­ção de cui­da­dos es­pe­ci­ais com a po­pu­la­ção in­fan­til e ido­sa. “O pe­río­do de se­ca é quan­do há mais ocor­rên­ci­as en­vol­ven­do do­en­ças do apa­re­lho res­pi­ra­tó­rio”, lem­brou. A pre­vi­são é de que a si­tu­a­ção nor­ma­li­ze en­tre os me­ses de se­tem­bro e ou­tu­bro, com o iní­cio do pe­río­do de chu­vas.

No sá­ba­do, di­an­te da que­da na umi­da­de re­la­ti­va do ar mí­ni­ma, o Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Me­te­o­ro­lo­gia (In­met) tam­bém emi­tiu aler­ta ama­re­lo pa­ra a re­gião, que sig­ni­fi­ca si­tu­a­ção me­te­o­ro­ló­gi­ca po­ten­ci­al­men­te pe­ri­go­sa. Is­so por­que a umi­da­de re­la­ti­va do ar es­ta­va abai­xo de 30%. Me­te­o­ro­lo­gis­ta do ins­ti­tu­to Ma­no­el Ran­gel des­ta­ca que, nes­te pe­río­do do ano, uma mas­sa de ar se­co cos­tu­ma atu­ar em cer­ca de 80% do país. Ela é res­pon­sá­vel por ini­bir a for­ma­ção de nu­vens de chu­va e re­sul­ta na que­da dos ín­di­ces de umi­da­de da at­mos­fe­ra. “A umi­da­de cos­tu­ma cair no in­ver­no e o mês de ju­nho ten­de a ser mais se­co. No ca­so de Bra­sí­lia, que es­tá a 1,2 mil m aci­ma do ní­vel do mar, is­so não se tra­ta de al­go in­co­mum e é bas­tan­te com­pre­en­sí­vel do pon­to de vis­ta cli­ma­to­ló­gi­co”, ex­pli­cou.

USDA

As­me­di­ções­do­gra­ce­fol­low-on­das­mu­dan­ças­naá­gua­ar­ma­ze­na­da­no­sub­so­lo­se­rãou­sa­das­na­pro­du­ção­dos­ma­pas­do­mo­ni­tor­de­se­cas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.