Mi­nis­tros do G20 aler­tam pa­ra ris­cos de ten­sões po­lí­ti­cas

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Os mi­nis­tros da Fa­zen­da e os pre­si­den­tes do Banco Cen­tral do G20 (que reú­ne as 19 mai­o­res eco­no­mi­as do mun­do e a União Eu­ro­peia) ma­ni­fes­ta­ram ho­je (22) a pre­o­cu­pa­ção com o au­men­to os “ris­cos de cur­to e mé­dio pra­zo” ao cres­ci­men­to da eco­no­mia glo­bal – en­tre eles, as “cres­cen­tes vul­ne­ra­bi­li­da­des fi­nan­cei­ras e o au­men­to das ten­sões co­mer­ci­ais e ge­o­po­lí­ti­cas”.

Em do­cu­men­to di­vul­ga­do após dois di­as de reu­niões na ca­pi­tal ar­gen­ti­na, Bu­e­nos Ai­res, os go­ver­nos re­co­nhe­cem a “ne­ces­si­da­de de in­ten­si­fi­car o di­a­lo­go e as ações” pa­ra for­ta­le­cer a con­fi­an­ça, em meio a uma guer­ra de ta­ri­fas en­tre as gran­des po­tên­ci­as.

O do­cu­men­to aler­ta que, ape­sar de as eco­no­mi­as emer­gen­tes es­ta­rem “mais bem adap­ta­das” pa­ra en­fren­ta­rem um con­tex­to in­ter­na­ci­o­nal mais ad­ver­so, “ain­da en­fren­tam de­sa­fi­os co­mo a vo­la­ti­li­da­de dos mer­ca­dos e a re­ver­são dos flu­xos de ca­pi­tal”. A Ar­gen­ti­na, pais que exer­ce a pre­si­dên­cia do G20 es­te ano e que se­di­ou o en­con­tro, te­ve que re­cor­rer a aju­da do Fun­do Mo­ne­tá­rio In­ter­na­ci­o­nal (FMI) pe­la pri­mei­ra vez em 13 anos, pa­ra fa­zer fren­te a uma cri­se cam­bi­al que le­vou à dis­pa­ra­da do dó­lar e ao au­men­to da in­fla­ção.

O mi­nis­tro da Fa­zen­da bra­si­lei­ro, Edu­ar­do Gu­ar­dia, dis­se que a “si­tua- ção ex­ter­na” bra­si­lei­ra é ro­bus­ta, mas dis­se que qua­se to­das as eco­no­mi­as emer­gen­tes, in­clu­si­ve o Bra­sil, so­fre­ram a des­va­lo­ri­za­ção de su­as mo­e­das. Di­an­te da im­pos­si­bi­li­da­de de in­ter­vir nu­ma guer­ra co­mer­ci­al en­tre po­tên­ci­as co­mo Es­ta­dos Uni­dos, Chi­na e União Eu­ro­peia, a saí­da pa­ra o Bra­sil, se­gun­do Gu­ar­dia, é avan­çar nas re­for­mas fis­cais que per­mi­tam ao país fa­zer fren­te a um ce­ná­rio pos­si­vel­men­te mais ad­ver­so.

GUER­RA CO­MER­CI­AL

Es­se foi o ter­cei­ro en­con­tro dos res­pon­sá­veis pe­las áre­as econô­mi­ca e fi­nan­cei­ra do G20, du­ran­te a pre­si­dên­cia ar­gen­ti­na do gru­po, que ter­mi­na no fim do ano. Mas foi a pri­mei­ra reu­nião des­de que os Es- ta­dos Uni­dos pas­sa­ram a apli­car ta­ri­fas às im­por­ta­ções da Chi­na e de ou­tros paí­ses. O go­ver­no nor­te­a­me­ri­ca­no apli­cou uma ta­xa de 25% a pro­du­tos chi­ne­ses no va­lor de US$ 34 bi­lhões. A Chi­na re­ta­li­ou em igual me­di­da, e os EUA

pro­me­te­ram ta­xar em 10% uma lis­ta adi­ci­o­nal de mer­ca­do­ri­as chi­ne­sas no to­tal de US$ 200 bi­lhões.

O pre­si­den­te dos Es­ta­dos Uni­dos, Do­nald Trump, tam­bém com­prou uma bri­ga com ali­a­dos da União Eu­ro­peia (UE) ao apli­car ta­ri­fas de 25% so­bre aço e 10% so­bre alu­mí­nio. Os eu­ro­peus re­tru­ca­ram, com ta­ri­fas as ex­por­ta­ções nor­te-ame­ri­ca­nas de mo­to­ci­cle­tas Har­ley-da­vid­son e de uís­que. Os Es­ta­dos Uni­dos ago­ra ame­a­çam co­brar um im­pos­to de 25% so­bre a im­por­ta­ção de au­to­mó­veis, que pre­ju­di­ca­ria o Ja­pão, além da UE.

No co­mu­ni­ca­do, os paí­ses re­a­fir­ma­ram o com­pro­mis­so de não pro­mo­ve­rem po­li­ti­cas cam­bi­ais ( des­va­lo­ri­zar as pró­pri­as mo­e­das) com o pro­pó­si­to de tor­nar su­as ex­por­ta­ções mais com­pe­ti­ti­vas. Es­sa tem si­do uma das quei­xas dos Es­ta­dos Uni­dos em re­la­ção à des­va­lo­ri­za­ção do yu­an chi­nês.

O do­cu­men­to, apro­va­do por con­sen­so, não faz re­fe­rên­cia de for­ma di­re­ta à guer­ra co­mer­ci­al. Ape­sar de in­sis­tir na ne­ces­si­da­de de di­a­lo­go pa­ra re­es­ta­be­le­cer a con­fi­an­ça nas re­gras do co­mér­cio e das fi­nan­ças in­ter­na­ci­o­nais, não hou­ve um en­con­tro bi­la­te­ral en­tre as au­to­ri­da­des nor­te-ame­ri­ca­nas e chi­ne­sas.

FAMILY PHOTO - 4TH MEETING OF FINANCE AND CEN­TRAL BANK DEPUTIES – BU­E­NOS AI­RES

Os lí­de­res do G20 po­sam pa­ra a fo­to de fa­mí­lia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.