Fa­chin ne­ga pe­di­do de Lu­la à can­di­da­tu­ra

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Omi­nis­tro ed­son fa­chin, re­la­tor da ope­ra­ção la­va Ja­to no su­pre­mo tri­bu­nal fe­de­ral (stf), de­ci­diu ne­gar um pe­di­do for­mu­la­do pe­la de­fe­sa do ex-pre­si­den­te luiz iná­cio lu­la da sil­va pa­ra afas­tar im­pe­di­men­to à can­di­da­tu­ra do pe­tis­ta ao Pa­lá­cio do Pla­nal­to.

Com ba­se no co­mu­ni­ca­do do co­mi­tê da ONU, a de­fe­sa de lu­la pre­ten­dia afas­tar os efei­tos da con­de­na­ção de lu­la no ca­so do tri­plex do Gu­a­ru­já ( sp), no qual o ex- pre­si­den­te foi con­de­na­do a 12 anos e um mês de pri­são por cor­rup­ção pas­si­va e la­va­gem de di­nhei­ro. Por con­ta des­sa con­de­na­ção, o pe­tis­ta foi en­qua­dra­do na lei da fi­cha lim­pa.

De acor­do com os ad­vo­ga­dos cris­ti­a­no Za­nin e Va­les­ka Za­nin, não ca­be aos ór­gãos ju­di­ciá­ri­os bra­si­lei­ros sin­di­car as de­ci­sões pro­fe­ri­das pe­lo co­mi­tê de Di­rei­tos Hu­ma­nos da ONU, mas, sim, dar cum­pri­men­to às obri­ga­ções in­ter­na­ci­o­nais as­su­mi­das pe­lo Bra­sil.

Até a pu­bli­ca­ção des­te tex­to, a ín­te­gra da de­ci­são de fa­chin não ha­via si­do di­vul­ga­da. Na quar­ta-fei­ra, a ex­pec­ta­ti­va den­tro do stf era de que o mi­nis­tro le­vas­se o te­ma ao ple­ná­rio.

Con­for­me tre­cho da de­ci­são de fa­chin pu­bli­ca­do no si­te ofi­ci­al do stf, o mi­nis­tro en­ten­deu que o pro­nun­ci­a­men­to do co­mi­tê de Di­rei­tos Hu­ma­nos da ONU não al­can­çou o efei­to de sus­pen­der a de­ci­são do trf-4 que con­de­nou lu­la.

“O pro­nun­ci­a­men­to do co­mi­tê dos Di­rei­tos Hu­ma­nos da or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das não al­can­çou o so­bres­ta­men­to do acór­dão re­cor­ri­do (do trf-4), re­ser­van­do-se à se­de pró­pria a te­má­ti­ca di­re­ta­men­te afe­ta à can­di­da­tu­ra elei­to­ral; ii) as ale­ga­ções vei­cu­la­das pe­la de­fe­sa não tra­du­zem plau­si­bi­li­da­de de co­nhe­ci­men­to e pro­vi­men­to do re­cur­so ex­tra­or­di­ná­rio, re­qui­si­to nor­ma­ti­vo in­dis­pen­sá­vel à ex­cep­ci­o­nal con­ces­são da tu­te­la cau­te­lar pre­ten­di­da”, de­ci­diu fa­chin.

“In­de­fi­ro o pe­di­do for­mu­la­do. Pu­bli­que-se. in­ti­me-se. após, ar­qui­vem-se”, de­ter­mi­nou o mi­nis­tro.

PENDÊNCIAS

Além do pe­di­do ne­ga­do por fa­chin, a de­fe­sa de lu­la ain­da con­ta com ou­tros dois pro­ces­sos que aguar­dam de­fi­ni­ção ju­di­ci­al - um re­cur­so ex­tra­or­di­ná­rio no tri­bu­nal su­pe­ri­or elei­to­ral (tse) e uma pe­ti­ção no su­pre­mo tri­bu­nal fe­de­ral (stf), que con­tes­tam a de­ci­são co­le­gi­a­da do tse, que, na ma­dru­ga­da do úl­ti­mo sábado, ne­gou o re­gis­tro de lu­la por 6 a 1. fa­chin foi o úni­co vo­to a fa­vor do re­gis­tro de lu­la no tse, sob a ale­ga­ção de que a po­si­ção do co­mi­tê de Di­rei­tos Hu­ma­nos da ONU afas­ta­va a ine­le­gi­bi­li­da­de do pe­tis­ta, abrin­do ca­mi­nho pa­ra sua can­di­da­tu­ra à Pre­si­dên­cia da re­pú­bli­ca. o co­mu­ni­ca­do, emi­ti­do no dia 17 de agos­to, so­li­ci­tou que o Bra­sil “tome to­das as me­di­das ne­ces­sá­ri­as pa­ra que o ex-pre­si­den­te luiz iná­cio lu­la da sil­va pos­sa des­fru­tar e exer­cer seus di­rei­tos po­lí­ti­cos, en­quan­to es­te­ja na pri­são, co­mo can­di­da­to pa­ra as elei­ções pre­si­den­ci­ais”.

FA­BIO RO­DRI­GUES POZZEBOM/AGÊN­CIA BRA­SIL

A de­fe­sa de Lu­la ain­da con­ta com ou­tros dois pro­ces­sos que aguar­dam de­fi­ni­ção ju­di­ci­al

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.