In­cer­te­za elei­to­ral le­va dó­lar a R$ 4,20

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

a s in­cer­te­zas em tor­no do pro­ces­so elei­to­ral le­va­ram o dó­lar 4,1957 re­ais, uma al­ta de 1,2% em re­la­ção ao pre­gão de quar­ta-fei­ra. É o mai­or va­lor de fe­cha­men­to da his­tó­ria – o re­cor­de an­te­ri­or ti­nha sido ba­ti­do em 21 de ja­nei­ro de 2016, quan­do a mo­e­da ame­ri­ca­na foi ven­di­da por 4,1655 re­ais.

De acor­do com ana­lis­tas, vá­ri­os fa­to­res pres­si­o­na­ram a al­ta do dó­lar no mer­ca­do in­ter­no. o prin­ci­pal de­les é a ex­pec­ta­ti­va de que o can­di­da­to do Pt, fer­nan­do Had­dad, cres­ça for­te­men­te nas pró­xi­mas pes­qui­sas. “exis­tem son­da­gens in­ter­nas que as cam­pa­nhas fa­zem que apon­ta­ri­am pa­ra es­se cres­ci­men­to”, afir­mou fer­nan­do Ber­gal­lo, di­re­tor de câm­bio da fb ca­pi­tal.

ou­tro mo­ti­vo que trou­xe alar­me pa­ra o mer­ca­do é o es­ta­do de saú­de do can­di­da­to do Psl, Jair Bolsonaro, que de­ve fi­car fora da cam­pa­nha de rua do primeiro tur­no após so­frer uma fa­ca­da no abdô­men. “a pa­ci­ên­cia do mer­ca­do es­tá por um fio. exis­te um mal es- tar com o ce­ná­rio elei­to­ral que es­tá se pro­lon­gan­do por tem­po de­mais e nin­guém es­tá sa­tis­fei­to com is­so”, dis­se an­dré Perfeito, eco­no­mis­ta-che­fe da spi­nel­li cor­re­to­ra.

re­por­ta­gem pu­bli­ca­da no fim da tar­de pe­lo jor­nal o es­ta­do de s. Pau­lo ci­tan­do en­tre­gas de 1,5 milhão de re­ais pa­ra ex-assessores do tu­ca­no Ge­ral­do alck­min tam­bém con­tri­buí­ram pa­ra a es­ca­la­da da mo­e­da ame­ri­ca­na. “o ce­ná­rio es­tá mui­to de­li­ca­do. Nin­guém quer fi­car ven­di­do nes­te mo­men- to. se sai uma de­nún­cia, nin­guém quer dor­mir apos­tan­do no mer­ca­do bra­si­lei­ro”, diz Pe­dro Pau­lo sil­vei­ra, eco­no­mis­ta-che­fe da No­va fu­tu­ra in­ves­ti­men­tos.

a cam­pa­nha tu­ca­na in­for­mou que alck­min nun­ca re­ce­beu ou au­to­ri­zou que re­ce­bes­sem do­a­ções ile­gais em seu no­me.

o dó­lar es­ta­va na ca­sa dos 4,16 re­ais até as 14h30. o sal­to pa­ra 4,20 re­ais acon­te­ceu pou­co an­tes do fim do pre­gão, por vol­ta das 16h20. Pa­blo spyer, di­re­tor da cor­re­to­ra mi­rae as­set, diz que o dó­lar es­tá en­fren­tan­do o mai­or pe­río­do de vo­la­ti­li­da­de dos úl­ti­mos três anos. “es­ta­mos vi­ven­do a era dos es­pe­cu­la­do­res. os es­pe­cu­la­do­res ado­ram a vo­la­ti­li­da­de. es­ses sal­tos só ocor­rem quan­do a vo­la­ti­li­da­de es­tá mui­to al­ta.”

Ber­gal­lo afir­ma que o te­to pa­ra o dó­lar po­de ser mai­or que o atu­al pa­ta­mar de 4,20. “o re­cor­de de 4,16 re­ais não le­va em con­ta a in­fla­ção do pe­río­do. is­so abre es­pa­ço pa­ra a mo­e­da su­pe­rar os 5 re­ais.”

Fer­nan­da carvalho/ fo­tos Pú­bli­cas

O re­cor­de an­te­ri­or ti­nha sido ba­ti­do em 21 de ja­nei­ro de 2016, quan­do a mo­e­da ame­ri­ca­na foi ven­di­da por 4,1655 re­ais

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.