MÁFIAS DAS NOTÍCIAS FAL­SAS INTENSIFICA AÇÕES na ELEI­ÇÃO

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

No­ven­ta ho­ras. en­tre os pri­mei­ros mi­nu­tos da quin­ta­fei­ra, 4 de ou­tu­bro, e o úl­ti­mo vo­to com­pu­ta­do no do­min­go, dia 7, os pro­du­to­res de fa­ke news en­con­tra­rão um ter­ri­tó­rio aber­to e sem lei. se­rá o pe­río­do do va­le-tu­do elei­to­ral, quan­do os úl­ti­mos pro­gra­mas de rá­dio e te­le­vi­são es­ta­rão fe­cha­dos, e a Jus­ti­ça não con­se­gui­rá res­pon­der a tem­po as ações das ví­ti­mas. ao lon­go da úl­ti­ma se­ma­na, o cor­reio en­tre­vis­tou in­ves­ti­ga­do­res, ma­gis­tra­dos, po­li­ci­ais, mar­que­tei­ros, aca­dê­mi­cos, mi­li­ta­res, agen­tes de in­te­li­gên­cia e po­lí­ti­cos.

em co­mum, uma res­pos­ta: nin­guém sa­be a di­men­são dos es­tra­gos, mas a pro­fu­são de notícias fal­sas se­rá iné­di­ta e ser­vi­rá de mar­co pa­ra re­gu­la­ções. se o pe­río­do crí­ti­co es­tá de­fi­ni­do, os ata­ques se in­ten­si­fi­ca­ram, co­mo já é pos­sí­vel ve­ri­fi­car nas men­sa­gens de What­sapp e nos con­teú­dos das re­des so­ci­ais. De­ve au­men­tar o uso de robôs, al­go que si­na­li­za a dis­se­mi­na­ção de in­for­ma­ções sus­pei­tas.

as máfias atu­am de to­dos os la­dos, sem pre­fe­rên­cia par­ti­dá­ria ou mes­mo ide­o­ló­gi­ca. os mai­o­res pro­du­to­res de fa­ke news tra­ba­lham pe­ri­fe­ri­ca­men­te às cam­pa­nhas ofi­ci­ais, cri­an­do de sim­ples sá­ti­ras até es­tra­té­gi­as de dis­se­mi­na­ção de con­teú­dos in­ve­rí­di­cos, fei­tas pa­ra en­ga­nar o elei­tor, num ata­que di­re­to à de­mo­cra­cia. “os ata­ques au­men­ta­rão num rit­mo cres­cen­te nes­tas du­as se­ma­nas, mas na­da se­rá com­pa­ra­do aos três di­as fi- nais”, dis­se um mar­que­tei­ro. as cam­pa­nhas têm trei­na­do equi­pes pa­ra ten­tar neu­tra­li­zar os ata­ques, num tra­ba­lho de de­fe­sa. “Nos úl­ti­mos di­as, não ha­ve­rá ca­nais tra­di­ci­o­nais pa­ra de­fe­sa, e se­rá impossível con­fi­ar na res­pos­ta dos juí­zes. Não vai dar tem­po”, afir­mou o ho­mem, con­tra­ta­do por um can­di­da­to a go­ver­na­dor e um de­pu­ta­do fe­de­ral que ten­ta a re­e­lei­ção.

em en­tre­vis­ta ao cor­reio na noi­te da úl­ti­ma quin­ta-fei­ra, fá­bio ma­li­ni, pro­fes­sor da Uni­ver­si­da­de fe­de­ral do es­pí­ri­to san­to e co­or­de­na­dor do la­bo­ra­tó­rio so­bre ima­gem e ci­ber­cul­tu­ra (la­bic), dis­se que a ação de pla­ta­for­mas co­mo o twit­ter e o fa­ce­bo­ok der­ru­ban­do pá­gi­nas com material frau­du­len­to ao lon­go dos úl­ti­mos me­ses de­ve di­mi­nuir as fa­ke news com for­ma­to no­ti­ci­o­so. “são aque­las es­cri­tas com téc­ni­ca jor­na­lís­ti­ca, que pa­re­cem uma no­tí­cia re­al, alo­ja­das em si­tes. Não é que elas não vão con­ti­nu­ar, vão sur­gir em me­nor nú­me­ro”, afir­mou ma­li­ni. só em se­tem­bro, o fa­ce­bo­ok re­mo­veu 196 pá­gi­nas e 87 per­fis acu­sa­dos de es­pa­lhar notícias fal­sas. a es­tra­té­gia foi uma ten­ta­ti­va de neu­tra­li­zar re­des co­or­de­na­das de fa­ke news a par­tir de con­tas fal­sas.

ma­li­ni acre­di­ta que os mai­o­res ata­ques se­rão fei­tos por meio de ví­de­os e áu­di­os fal­sos. “is­so, sim, vai se tor­nar vi­ral a par­tir de ago­ra”, dis­se o pro­fes­sor, um dos mai­o­res pes­qui­sa­do­res de pa­drões de da­dos nas re­des so­ci­ais bra­si­lei­ras. Um dos áu­di­os fal­sos foi di­vul­ga­do na se­ma­na pas­sa­da e en­vol­via o pre­si­den­ciá­vel Jair Bol­so­na­ro (Psl), que su­pos­ta­men­te gri­ta­va e cha­ma­va pa­la­vrões den­tro do hos­pi­tal. a fa­mí­lia do po­lí­ti­co e o Hos­pi­tal al­bert eins­tein se apres­sa­ram em ne­gar o fa­to. a voz era a de um bom imi­ta­dor do ca­pi­tão re­for­ma­do. en­tre os in­te­gran­tes de uma equi­pe de pro­du­to­res de fa­ke news, há ar­tis­tas, du­bla­do­res, ex-jor­na­lis­tas in­ves­ti­ga­ti­vos, téc­ni­cos em in­for­má­ti­ca e até po­li­ci­ais, co­mo lem­brou um pro­du­tor de notícias fal­sas en­tre­vis­ta­do pe­lo cor­reio ao lon­go da sé­rie de re­por­ta­gens es­pe­ci­ais so­bre o te­ma. “Não é qual­quer po­li­ci­al, tem de ser um ofi­ci­al da Pm pa­ra ga­ran­tir a se­gu­ran­ça do bun­ker. caso ocor­ra al­gu­ma de­nún­cia, ele pre­ci­sa ma­tar a investigação no iní­cio”, afir­mou ele, que à épo­ca atu­a­va em Goiás.

ou­tro caso re­cen­te e em­ble­má­ti­co foi dis­se­mi­na­do pe­lo ve­re­a­dor do rio de Ja­nei­ro car­los Bol­so­na­ro (Psc), fi­lho de Jair Bol­so­na­ro. en­quan­to o pai ques­ti­o­na a se­gu­ran­ça das ur­nas ele­trô­ni­cas — uma es­tra­té­gia pa­ra des­le­gi­ti­mar o pro­ces­so elei­to­ral caso se­ja der­ro­ta­do —, car­los tui­tou uma fa­ke news que in­di­ca­ria o en­vio de có­di­gos de se­gu­ran­ça das ur­nas bra­si­lei­ras pa­ra a Ve­ne­zu­e­la. Des­ta vez, quem des­men­tiu a in­for­ma­ção foi o

ge­ne­ral Ha­mil­ton mou­rão, vi­ce na cha­pa do ca­pi­tão re­for­ma­do. Du­ran­te uma pa­les­tra em são Pau­lo, ao ser ques­ti­o­na­do so­bre a far­sa, mou­rão foi ve­e­men­te: “is­so é fa­ke news, ló­gi­co. mi­nha gen­te, pe­lo amor de Deus”. ao lon­go da se­ma­na, res­pon­den­do às pró­pri­as con­jec­tu­ras de Jair Bol­so­na­ro, os pre­si­den­tes do su­pre­mo tri­bu­nal fe­de­ral (stf), Di­as tof­fo­li, e do tri­bu­nal su­pe­ri­or elei­to­ral (tse), ro­sa We­ber, fi­ze­ram a de­fe­sa das ur­nas e do pro­ces­so elei­to­ral.

No ga­bi­ne­te no 9º an­dar no pré­dio prin­ci­pal e sun­tu­o­so do tse, o se­cre­tá­rio-ge­ral es­tê­vão car­do­so Wa­ter­loo se ajei­ta na ca­dei­ra, faz uma pau­sa e res­pon­de: “a tra­ta­ti­va das notícias fal­sas pa­ra fins de pro­pa­gan­da é uma coi­sa gra­ve, mas quan­do se ata­ca a ur­na com notícias fal­sas, quan­do a cre­di­bi­li­da­de da Jus­ti­ça elei­to­ral é ata­ca­da, a ins­ti­tui­ção é ata­ca­da. e pre­ci­sa se de­fen­der”, dis­se ele. Um dos pri­mei­ros in­te­gran­tes do con­se­lho con­sul­ti­vo so­bre in­ter­net e elei­ções, cri­a­do ain­da em de­zem­bro de 2017, Wa­ter­loo acom­pa­nhou to­dos os de­ba­tes so­bre fa­ke news fei­tos na cor­te ao lon­go dos úl­ti­mos me­ses. “o pro­ble­ma é vo­cê ter ata­ques às vés­pe­ras das elei­ções. se es­ta­mos tran­qui­los, fi­ze­mos um excelente tra­ba­lho. mas te­mos cons­ci­ên­cia de tu­do que es­tá acon­te­cen­do nes­te mo­men­to”, dis­se ele. “acho que é uma ideia de li­ber­da­de de ex­pres­são mui­to for­te. É uma li­nha mui­to tê­nue, ten­do os li­mi­tes que a pró­pria cons­ti­tui­ção im­põe.” a dis­cus­são so­bre li­mi­tes e li­ber­da­de es­tá em to­do o de­ba­te so­bre fa­ke news.

em con­ver­sa com o cor­reio, ofi­ci­ais do cen­tro de De­fe­sa ci­ber­né­ti­ca, que in­te­gra o con­se­lho con­sul­ti­vo do tse, se mos­tram pre­o­cu­pa­dos com a dis­se­mi­na­ção de fa­ke news e acre­di­tam que a so­ci­e­da­de se­rá tes­ta­da. “a gran­de ques­tão é a quem po­de­re­mos atri­buir os cri­mes. mas é im­por­tan­te tam­bém a re­pon­sa­bi­li­da­de de ca­da ci­da­dão”, afi­mou o ge­ne­ral Gui­do amin Na­ves, co­man­dan­te do cen­tro, du­ran­te en­tre­vis­ta ao cor­reio. a res­pon­sa­bi­li­da­de pe­la investigação das fa­ke news na dis­pu­ta pre­si­den­ciá­vel é da Po­lí­cia fe­de­ral, dei­xan­do as for­ças ar­ma­das com atri­bui­ções re­la­ci­o­na­das à de­fe­sa do es­ta­do con­tra, pe­lo me­nos nes­te mo­men­to, ata­ques im­pro­vá­veis de ou­tras na­ções.

ROBÔS

À me­di­da que as elei­ções se apro­xi­mam, as ações ro­bo­ti­za­das au­men­tam. le­van­ta­men­to da Di­re­to­ria de aná­li­se de Po­lí­ti­cas Pú­bli­cas da FGV re­ve­lou que per­fis li­ga­dos a Bol­so­na­ro e a fer­nan­do Had­dad (Pt) apre­sen­tam os mai­o­res per­cen­tu­ais de robôs que in­te­ra­gem com apoi­a­do­res, res­pec­ti­va­men­te 43% e 28% das cer­ca de três mil con­tas sus­pei­tas. Há três se­ma­nas, um dos le­van- ta­men­tos da FGV — que tra­ta­va do aten­ta­do a Bol­so­na­ro — foi al­te­ra­do nas re­des por su­pos­tos sim­pa­ti­zan­tes do can­di­da­to. co­mo lem­bra mai­li­ni, os da­dos ini­ci­ais so­bre a fa­ca­da apon­ta­vam mais dú­vi­da do que so­li­da­ri­e­da­de en­tre in­ter­nau­tas, po­rém, a vi­ra­li­za­ção fa­ke aca­bou mos­tran­do o con­trá­rio.

Wa­ter­loo, do tse, é prá­ti­co so­bre a de­fe­sa em re­la­ção aos pró­xi­mos pas­sos das fa­ke news: “Nes­te mo­men­to, não dá pa­ra fi­car­mos fa­zen­do es­tu­dos so­bre de­ter­mi­na­do fenô­me­no. Nes­te mo­men­to, o juiz tem que de­ci­dir.” o mai­or de to­dos os tes­tes da de­mo­cra­cia es­tá pa­ra co­me­çar.

Ar­qui­vo

Mar­ce­lo ca­mar­go agên­cia Bra­sil

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.