Téc­ni­cas de re­pi­ca­do

Con­fi­ra os di­ver­sos ti­pos de re­pi­ca­do e apos­te na­que­le que mais com­bi­na com sua per­so­na­li­da­de

Cabelo e Visual Especial - - Índice - Tex­to: Ju­li­a­na Borges/ Co­la­bo­ra­do­ra

Quer mu­dar a ca­ra do seu cur­ti­nho? An­tes de to­mar es­sa de­ci­são, é im­por­tan­te sa­ber o que ca­da técnica de re­pi­ca­do pro­por­ci­o­na às ma­dei­xas e pa­ra qual ti­po de ca­be­lo é mais in­di­ca­da. As­sim, vo­cê po­de­rá ino­var sem me­do e ain­da ob­ter o efei­to de­se­ja­do!

O BÊ-Á-BÁ DO RE­PI­CA­DO

Es­se cor­te é ver­sá­til e con­sis­te em dar mo­vi­men­to e le­ve­za aos fi­os. “Ele é fei­to pa­ra que o cai­men­to e o mo­vi­men­to fi­quem em evi­dên­cia, va­lo­ri­zan­do o for­ma­to do ros­to ou o tom da co­lo­ra­ção, por exem­plo”, afir­ma Ro­dri­go Al­ves, hairsty­list do sa­lão Blend Your Mind. Se­gun­do o pro­fis­si­o­nal, o cor­te re­pi­ca­do é in­di­ca­do pa­ra to­do ti­po de fio, e o efei­to vai de­pen­der do grau em que a me­cha é cor­ta­da – quan­to mais ele­va­do for, mai­or é o efei­to de mo­vi­men­to apa­ren­te.

1. TEXTURIZADO

Atu­al­men­te é o que­ri­di­nho dos sa­lões, pois ele con­se­gue ofe­re­cer vo­lu­me e, ao mes­mo tempo, di­mi­nuí-lo em de­ter­mi­na­das áre­as do ca­be­lo. “O re­pi­ca­do texturizado é per­fei­to pa­ra fa­zer no fi­nal do cor­te, já com os fi­os se­cos e es­co­va­dos”, su­ge­re Ro­dri­go Al­ves. Es­sa técnica po­de ser re­a­li­za­da em qual­quer ti­po de fio, des­de os mais gros­sos, on­du­la­dos e cres­pos, até os mais fi­nos e li­sos.

2. PERFILADO

A técnica é fei­ta des­li­zan­do a te­sou­ra so­bre a me­cha ao lon­go do ca­be­lo, e é ide­al pa­ra re­du­zir o vo­lu­me das ma­dei­xas. “O perfilado é o cor­te apli­ca­do na parte da fren­te do ca­be­lo e acom­pa­nha o con­tor­no do ros­to. Pa­ra con­se­guir um perfilado per­fei­to, é in­di­ca­do que o cor­te se­ja re­a­li­za­do com te­sou­ra fio a la­ser”, ex­pli­ca Ma­ri­a­na Mar­tins, edu­ca­do­ra da Soft Hair Cos­me­ti­cos.

“A point cut é uma técnica que con­sis­te

em cor­tar os fi­os com o bi­co da te­sou­ra, fa­zen­do

com que o ca­be­lo fi­que com um cai­men­to na­tu­ral e

unin­do as se­ções dos cor­tes fa­cil­men­te”, ex­pli­ca o hairsty­list

Ro­dri­go Al­ves

3. PICOTADO

Es­se es­ti­lo ofe­re­ce na­tu­ra­li­da­de aos fi­os, além de au­men­tar o vo­lu­me e dar mo­vi­men­to. “O re­pi­ca­do picotado é di­fe­ren­te do cor­te de li­nha re­ta, pois, na ho­ra do cai­men­to, ele ofe­re­ce mui­to mais le­ve­za. O cor­te re­pi­ca­do po­de ser fei­to di­re­to ou, até mes­mo, co­me­çar com um cor­te re­to e, em se­gui­da, fa­zer a pi­co­ta­gem dos fi­os”, ale­ga o hairsty­list Ro­dri­go Al­ves. Es­sa técnica é fei­ta com a pon­ta da te­sou­ra na ver­ti­cal e de­ve ser evi­ta­da por quem pro­cu­ra con­tro­lar o vo­lu­me dos ca­be­los.

4. EM CA­MA­DAS

Se vo­cê de­se­ja ob­ter vo­lu­me e ba­lan­ço nos fi­os, co­me­ce com as ca­ma­das! “O es­ti­lo na­da mais é do que a ele­va­ção da me­cha a ser cor­ta­da. E ele pro­por­ci­o­na mo­vi­men­to aos ca­be­los. Mas, se ele­var de­mais a me­cha em um ca­be­lo vo­lu­mo­so, por exem­plo, vo­cê po­de dar ain­da mais den­si­da­de às ma­dei­xas”, aler­ta o hairsty­list Ro­dri­go Al­ves. Se­gun­do ele, exis­tem qua­tro ti­pos de ele­va­ções nes­se cor­te: bai­xa, mé­dia, al­ta e su­pe­ral­ta.

Con­sul­to­ria: Ma­ri­a­na Mar­tins, edu­ca­do­ra da Soft Hair Cos­me­ti­cos; Ro­dri­go Al­ves, hairsty­list do sa­lão Blend Your Mind, de São Pau­lo | Fo­tos: Shut­ters­tock Ima­ges e iS­tock.com/Getty Ima­ges

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.