Tem es­pa­ço pra tu­do

Am­bi­en­te ver­sá­til tem ban­ca­da em dois ní­veis, ni­chos e mui­tos es­pe­lhos

Casa Arrumada - - Índice - Tex­to Jus­sa­ra Te­ch Pro­du­ção Adri­a­na Pis­ci­ot­ta/colaboradora Fo­tos Fer­nan­do Gar­di­na­li/co­la­bo­ra­dor As­sis­ten­te de fo­to­gra­fia Lu­cas Ba­ro­lo/co­la­bo­ra­dor Exe­cu­ção Amil­ton Cha­vi­er/co­la­bo­ra­dor As­sis­ten­te de ce­no­gra­fia Ge­ro­nil­son Cha­vi­er/co­la­bo­ra­dor

Ba­nhei­ro tem ban­ca­da em dois ní­veis, ni­chos e mui­tos es­pe­lhos

Ees­te es­pa­ço con­se­guiu agre­gar tu­do o que um ba­nhei­ro pre­ci­sa e, o me­lhor, com me­di­das re­du­zi­das. A por­ta ca­ma­rão do bo­xe eco­no­mi­za es­pa­ço, além de ser um char­me. A de­co­ra­ção ro­mân­ti­ca con­tras­ta com a vi­va­ci­da­de do ro­sa e do la­ran­ja e os es­pe­lhos, além de pas­sa­rem a sen­sa­ção de am­pli­tu­de, dão um tom ir­re­ve­ren­te ao lo­cal. Acom­pa­nhe to­das as di­cas da Ca­sa Ar­ru­ma­da pa­ra con­se­guir um am­bi­en­te per­fei­to.

Cu­ba li­vre

Ou­tro de­ta­lhe im­por­tan­te des­se ba­nhei­ro é a cu­ba que não é com­ple­ta­men­te sol­da­da na ban­ca­da e tem um de­sign sim­ples e in­te­res­san­te. O su­por­te de to­a­lha, a tor­nei­ra e o si­fão em me­tal tam­bém agre­ga­rem de­li­ca­de­za ao am­bi­en­te.

Ban­que­ta

O ban­qui­nho co­lo­ri­do é um char­me e o des­ta­que vai pa­ra os pés pa­li­to que es­tão su­per em al­ta. Além do ban­co, eles são usa­dos em cri­a­dos-mu­dos, me­si­nhas e ca­dei­ras. Ou­tro item que es­tá na mo­da é o pat­chwork usa­do no es­to­fa­do da ban­que­ta, va­le a pe­na apos­tar.

As du­as ban­ca­das per­mi­tem que o ca­sal com­par­ti­lhe o ba­nhei­ro ao mes­mo tem­po. En­quan­to o ho­mem faz a bar­ba, a mu­lher se ar­ru­ma pa­ra ir ao tra­ba­lho.

Can­ti­nho da ma­qui­a­gem

Uma ban­ca­da um pou­co mais bai­xa, um ban­co co­lo­ri­do, um or­ga­ni­za­dor de cos­mé­ti­cos em acrí­li­co, es­co­vas or­ga­ni­za­das em um po­te e pron­to: o lo­cal dos so­nhos de to­da mu­lher es­tá mon­ta­do.

Pa­re­ce, mas não é!

O fi­le­te em ca­ra­me­lo que es­tá na pa­re­de do bo­xe e pas­sa por qua­se to­do o ba­nhei­ro na ho­ri­zon­tal pa­re­ce pas­ti­lhas, não é? Mas, na re­a­li­da­de, é um re­ves­ti­men­to ce­râ­mi­co de mo­sai­co 10x10cm. Sua apli­ca­ção é mui­to fá­cil e o aca­ba­men­to fi­cou su­per pa­re­ci­do com pas­ti­lhas.

Jo­go de es­pe­lhos

Ou­tra óti­ma ideia foi a apli­ca­ção de vá­ri­os es­pe­lhos em ta­ma­nhos di­fe­ren­tes, que dei­xa­ram o am­bi­en­te des­con­traí­do e mais am­plo. Nes­te ba­nhei­ro, pe­lo me­nos dois es­pe­lhos pre­ci­sa­ri­am ser co­lo­ca­dos, sen­do um so­bre a pia e ou­tro no can­ti­nho da ma­qui­a­gem. O uso de ou­tros es­pe­lhos en­tre eles deu um to­que di­ver­ti­do ao ba­nhei­ro.

Es­tam­pa ro­mân­ti­ca

Ou­tro item que apa­re­ce no ba­nhei­ro são as es­tam­pas flo­rais. Elas es­tão no ces­to de rou­pa su­ja, na ces­ta on­de fi­cam os pa­péis hi­gi­ê­ni­cos, nos va­si­nhos de flo­res na ban­ca­da e no ni­cho, além de um ro­sa su­a­ve que es­tá nos ta­pe­tes e no rou­pão. Es­se ti­po de es­tam­pa dá um as­pec­to ro­mân­ti­co ao ba­nhei­ro, que con­tras­ta com as co­res vi­vas e for­tes do ma­gen­ta e do la­ran­ja.

Ga­ve­tei­ros ver­sá­teis

Os dois ga­ve­tei­ros com ro­dí­zi­os que fi­cam em­bai­xo da pia são bem ver­sá­teis. Eles po­dem ser re­ti­ra­dos pa­ra lim­pe­za ou até mes­mo re­ce­be­rem ou­tro uso, ca­so não se­jam mais ne­ces­sá­ri­os no ba­nhei­ro.

Lo­cal ade­qua­do

Va­le des­ta­car que, por es­ta­rem no ba­nhei­ro, os cos­mé­ti­cos pre­ci­sam ser sem­pre bem fe­cha­dos e que os que tra­zem no ró­tu­lo “man­ter em lo­cal se­co” de­vem ser co­lo­ca­dos den­tro do ga­ve­tei­ro ou na ma­le­ta ro­sa.

A por­ta ar­ti­cu­la­da do bo­xe se adap­ta per­fei­ta­men­te a pe­que­nos es­pa­ços. Ela eco­no­mi­za es­pa­ço, além de ser char­mo­sa.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.