Con­cen­tra­ção e be­le­za

Ele­men­tos de­co­ra­ti­vos fa­zem a di­fe­ren­ça no lo­cal mais só­brio

Casa Linda - - Índice - Tex­to: Ya­ra Lom­bar­di e Mo­ni­que Li­ma/ Co­la­bo­ra­do­ras | De­sign: An­ge­la A. So­a­res

Ele­men­tos de­co­ra­ti­vos fa­zem a di­fe­ren­ça no lo­cal mais só­brio

O uso de ar­má­ri­os aé­re­os e o ga­ve­tei­ro abai­xo da ban­ca­da aper­fei­ço­am o es­pa­ço

Qu­em bus­ca de­co­ra­ção pa­ra ho­me of­fi­ce sa­be que o pro­je­to não é dos mais fá­ceis, já que além de fun­ci­o­nal, o cô­mo­do de­ve pre­zar pe­lo con­for­to. Os pró­xi­mos três pro­je­tos pro­va­ram que, mes­mo com pou­co es­pa­ço, é pos­sí­vel fa­zer o lo­cal de con­cen­tra­ção das ca­sas ter um to­que de be­le­za.

To­do o ne­ces­sá­rio

A de­co­ra­ção do am­bi­en­te de 8m² foi de­sen­vol­vi­da pe­las ar­qui­te­tas Ga­bri­e­la Fer­rei­ra Ma­ri­a­no e Ga­bri­e­le Kne­bel Mar­tins, da INO­VA Ar­qui­te­tu­ra, con­si­de­ran­do as pre­fe­rên­ci­as da cli­en­te, uma se­nho­ra de 65 anos. “A ideia era que tu­do fi­cas­se bem aces­sí­vel, sem po­luir o cô­mo­do”, con­tam as pro­fis­si­o­nais. Os uten­sí­li­os usa­dos com mai­or frequên­cia fi­cam mais aces­sí­veis, fa­ci­li­tan­do o dia a dia e evi­tan­do a de­sor­ga­ni­za­ção da ban­ca­da.

Pa­le­ta ino­va­do­ra

Com co­res na­da usu­ais, as ar­qui­te­tas con­se­gui­ram ou­sar de ma­nei­ra cor­re­ta no pro­je­to. O tom ma­dei­ra da mar­ce­na­ria deu o to­que acon­che­gan­te, e as co­res vi­bran­tes

A ilu­mi­na­ção é fa­tor im­por­tan­te em um es­cri­tó­rio, por is­so, a lu­mi­ná­ria ao la­do da me­sa de tra­ba­lho faz to­da di­fe­ren­ça!

Co­res neu­tras

O ar in­ti­mis­ta do es­cri­tó­rio de­sen­vol­vi­do pe­la Mo­bly é fru­to das co­res cla­ras. A pa­re­de de ti­jo­los e a me­sa de tra­ba­lho bran­cas dão a li­ber­da­de de ou­sar nas co­res dos itens de de­co­ra­ção, co­mo a ca­dei­ra e ou­tros ob­je­tos. dos mo­bi­liá­ri­os e das pa­re­des que­bra­ram a apa­rên­cia só­bria do ho­me of­fi­ce.

Luz na me­di­da cer­ta

A ilu­mi­na­ção do am­bi­en­te foi mais pon­tu­al aci­ma da ban­ca­da, pa­ra fa­ci­li­tar o tra­ba­lho no es­pa­ço. As lâm­pa­das PAR20 for­ne­cem di­fe­ren­tes in­ten­si­da­des de luz e des­ta­cam os ob­je­tos de­co­ra­ti­vos.

Or­ga­ni­za­ção

Pra­te­lei­ras e ni­chos são es­sen­ci­ais em qual­quer es­cri­tó­rio. No pro­je­to, o ni­cho aco­pla­do à pa­re­de deu lu­gar aos li­vros e ob­je­tos de­co­ra­ti­vos, aju­dan­do tam­bém na or­ga­ni­za­ção do am­bi­en­te.

Ale­gre e vi­bran­te

O es­cri­tó­rio cri­a­do pe­la ar­qui­te­ta e de­sig­ner de in­te­ri­o­res Ta­ti­elly Zam­mar tem co­mo ca­rac­te­rís­ti­ca mar­can­te a com­bi­na­ção de co­res in­ten­sas na mo­bí­lia. “O uso equi­li­bra­do das co­res trans­for­mou o am­bi­en­te em um es­pa­ço com per­so­na­li­da­de”, afir­ma Ta­ti­elly.

Lem­bran­ças em or­dem

A fun­ção da es­tan­te ver­deá­gua é guar­dar li­vros e, prin­ci­pal­men­te, as lem­bran­ças das vi­a­gens dos mo­ra­do­res. “Ob­je­tos que me­re­cem des­ta­que de­vem fi­car apa­ren­tes e os que não agra­dam tan­to po­dem ser guar­da­dos em cai­xas de­co­ra­ti­vas”, re­co­men­da a pro­fis­si­o­nal.

Fo­tos: Da­ni­bat Fo­to­gra­fia/Ne­nad Ra­do­va­no­vi­ch/Di­vul­ga­ção

Pro­je­to 1: INO­VA Ar­qui­te­tu­ra, Por­to Ale­gre – RS

Pro­je­to 2: Mo­bly

Pro­je­to 3: Ta­ti­elly Zam­mar, Pon­ta Gros­sa – PR

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.