Um can­ti­nho para cha­mar de seu

To­ques pes­so­ais são ne­ces­sá­ri­os em dor­mi­tó­ri­os úni­cos

Casa Linda - - Índice - Tex­to: Ya­ra Lom­bar­di/Co­la­bo­ra­do­ra | De­sign: Mary El­len Ma­cha­do

Sen­tir-se em ca­sa tem tu­do a ver com a de­co­ra­ção pre­sen­te no am­bi­en­te. Por is­so, os pro­fis­si­o­nais do es­cri­tó­rio Antonio Ar­man­do de Araújo Ar­qui­te­tu­ra & De­sign fi­ze­ram o pos­sí­vel para que a es­tu­dan­te, do­na do dor­mi­tó­rio, se sen­tis­se bem ao en­trar no quar­to. “A cli­en­te nos pe­diu um lo­cal acon­che­gan­te, com pou­cos mó­veis e co­res ale­gres”, ex­pli­cam os ar­qui­te­tos.

Tons le­ves

O quar­to é to­do bran­co, por is­so, as co­res des­ta­que fi­cam por con­ta dos ob­je­tos de­co­ra­ti­vos. “O ama­re­lo e o ver­me­lho fo­ram as to­na­li­da­des dos de­ta­lhes do dor­mi­tó­rio. No pi­so, usa­mos o por­ce­la­na­to no tom be­ge, o mes­mo tom da per­si­a­na, para dar uma que­bra­da no ar mo­no­cro­má­ti­co”, afir­mam os pro­fis­si­o­nais.

Fu­gin­do do con­ven­ci­o­nal

A ca­be­cei­ra da ca­ma é ou­tro de­ta­lhe i nte­res­san­te do pro­je­to. “Ela foi co­lo­ca­da de for­ma que a mo­ra­do­ra pu­des­se usar, tam­bém, co­mo um so­fá”, in­di­cam os pro­fis­si­o­nais. Já a ban­ca­da para es­tu­dos re­ce­beu o ver­me­lho, cor mar­can­te e de pre­fe­rên­cia da mo­ra­do­ra.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.