Es­co­lher é PRE­CI­SO (e di­fí­cil tam­bém)

Ciencia em foco - - EDITORIAL -

Ser ou não ser? Ca­sar ou com­prar uma bi­ci­cle­ta? Dar um li­ke ou ig­no­rar? Sa­la­di­nha le­ve ou fei­jo­a­da? Des­de as mais com­ple­xas até as mais tri­vi­ais, as de­ci­sões fa­zem par­te do nos­so dia a dia. O pro­ble­ma é que nem to­das são sim­ples, sen­do que al­gu­mas po­dem de­fi­nir o ru­mo de nos­sas vi­das. Além dis­so, quan­do es­co­lhe­mos uma coi­sa, dei­xa­mos ou­tra de la­do.

Se pen­sar em es­co­lhas já dei­xa vo­cê in­qui­e­to(a), Ci­ên­cia em Fo­co Es­pe­ci­al vai mos­trar que to­da es­co­lha é re­al­men­te com­ple­xa. Po­rém, se te­mos que fa­zê-las du­ran­te a vi­da to­da, é im­por­tan­te que a de­ci­são se­ja bem fei­ta, sem equí­vo­cos e sem ar­re­pen­di­men­tos.

Es­ta edi­ção tam­bém vai fa­lar so­bre uma coi­sa que der­ru­ba qual­quer ser hu­ma­no: a de­cep­ção. Quem nun­ca que­brou a ca­ra com uma pro­mes­sa de em­pre­go ou aque­le amor que se tor­nou ci­la­da? En­tre­tan­to, o mais im­por­tan­te nes­se ca­so é re­co­nhe­cer o pro­ble­ma e dar a vol­ta por ci­ma – e apren­der mui­to com a si­tu­a­ção.

Além dis­so, se vo­cê acha im­pos­sí­vel pas­sar um dia sem re­cla­mar de qual­quer coi­sa, sai­ba que es­se ti­po de com­por­ta­men­to não traz ne­nhum be­ne­fí­cio pa­ra sua vi­da. Por is­so, apre­sen­ta­mos os mo­ti­vos pa­ra vo­cê aca­bar de vez com a re­cla­ma­ção (sim, is­so é pos­sí­vel e nem um pou­co di­fí­cil).

Abor­da­mos ain­da a im­por­tân­cia de fi­car­mos tris­tes em meio à “di­ta­du­ra da fe­li­ci­da­de”, as lições de su­pe­ra­ção que os Jo­gos Olím­pi­cos do Rio nos en­si­na­ram e co­mo ad­mi­nis­trar me­lhor nos­so tem­po. Es­ses são as­sun­tos que mos­tram o quan­to nos­so pen­sa­men­to po­de mo­di­fi­car nos­sa vi­da. Bas­ta ali­nhá-lo com o que que­re­mos.

Boa lei­tu­ra! A re­da­ção

CA­PA Pro­du­ção Grá­fi­ca Mary El­len Ma­cha­do Ima­gem iS­tock.com/Getty Ima­ges

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.