O AU­TO­CO­NHE­CI­MEN­TO CO­MO CHA­VE

Ciencia em foco - - ESCOLHAS -

Al­gu­mas pes­so­as de­fi­nem-se mais in­de­ci­sas que ou­tras, mas não há co­mo ne­gar. Hora ou ou­tra pas­sa­mos por um mo­men­to em que en­xer­gar além da si­tu­a­ção e pro­je­tar as con­sequên­ci­as é apa­ren­te­men­te im­pos­sí­vel. É em meio a tal fra­gi­li­da­de que o fan­tas­ma da in­de­ci­são de­ci­de nos as­som­brar.

Pa­ra li­dar me­lhor com es­ses mo­men­tos, ten­do em vis­ta o au­to­co­nhe­ci­men­to, o pro­fes­sor André Da­met­to su­ge­re al­guns ques­ti­o­na­men­tos que po­dem aju­dar a re­tor­nar ao seu pon­to de equi­lí­brio e, as­sim, re­pen­sar su­as es­co­lhas. “Ten­do uma mo­ti­va­ção bem de­fi­ni­da, tor­na-se mais fá­cil su­pe­rar as ad­ver­si­da­des que ocor­re­rão, des­de a in­de­ci­são até os con­fli­tos que cer­ta­men­te sur­gem du­ran­te o avan­ço”, ex­pli­ca.

O que vo­cê pen­sa­va que se­ria ou fa­ria quan­do cres­ces­se?

Quais fo­ram os even­tos (con­quis­tas, per­das, fa­tos ines­pe­ra­dos, ad­ver­si­da­des) mais sig­ni­fi­can­tes na sua his­tó­ria de vi­da? O que vo­cê apren­deu com es­sas si­tu­a­ções?

Se vo­cê ti­ves­se to­do o tem­po e di­nhei­ro do mun­do, mas sou­bes­se que só tem mais um ano de vi­da, o que vo­cê es­co­lhe­ria fa­zer?

Se vo­cê ti­ves­se que pas­sar um ano em uma ilha de­ser­ta, e lhe fos­se con­ce­di­do o di­rei­to de le­var cin­co pes­so­as re­ais ou ima­gi­ná­ri­as, e um te­le­fo­ne ce­lu­lar com ba­te­ria re­car­re­gá­vel, quem vo­cê le­va­ria? Por que es­sas pes­so­as?

Vo­cê es­tá ago­ra 20 anos à fren­te da da­ta atu­al e irá es­cre­ver um pa­rá­gra­fo con­tan­do quais fo­ram su­as mai­o­res vi­tó­ri­as. O que vo­cê di­ria?

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.