CO­RA­ÇÃO PROTEGIDO

Coleção Almanaque da Saúde - - SUMÁRIO -

A ação an­ti­o­xi­dan­te da cou­ve é a prin­ci­pal ca­rac­te­rís­ti­ca pa­ra aju­dar no con­tro­le do co­les­te­rol

A cou­ve ain­da é apon­ta­da co­mo uma ex­ce­len­te fon­te de fi­bras, que apre­sen­tam be­ne­fí­ci­os em es­pe­ci­al pa­ra a di­ges­tão, tor­nan­do-a mais len­ta. Acon­te­ce que, en­quan­to tran­si­tam pe­lo in­tes­ti­no, es­sas mes­mas fi­bras são ca­pa­zes de ab­sor­ver par­te da gor­du­ra pro­ve­ni­en­te da ali­men­ta­ção, im­pe­din­do-a de che­gar até o sangue. As­sim, in­di­re­ta­men­te, tam­bém evi­tam pro­ble­mas de cir­cu­la­ção.

ATEN­ÇÃO AOS ALI­MEN­TOS

Se por um la­do a ali­men­ta­ção sau­dá­vel só faz bem ao or­ga­nis­mo, por ou­tro, ali­men­tos po­bres em nu­tri­en­tes e ri­cos em gor­du­ras e açú­car são uma ver­da­dei­ra bom­ba. Fri­tu­ras, do­ces, re­fri­ge­ran­tes, car­nes gor­das, en­tre ou­tros ali­men­tos de bai­xo va­lor nu­tri­ti­vo, for­ne­cem gor­du­ra e subs­tân­ci­as quí­mi­cas em ex­ces­so ao cor­po, co­mo só­dio, co­ran­tes e con­ser­van­tes. Tais in­gre­di­en­tes fa­vo­re­cem o apa­re­ci­men­to de di­ver­sas do­en­ças, es­pe­ci­al­men­te li­ga­das ao co­ra­ção, uma vez que são res­pon­sá­veis pe­lo ga­nho de pe­so e acú­mu­lo de gor­du­ra nas ar­té­ri­as.

COMBINE

A re­fei­ção fi­ca ain­da mais sau­dá­vel se houver a com­bi­na­ção de in­gre­di­en­tes be­né­fi­cos ao co­ra­ção. Con­fi­ra al­guns ali­men­tos que po­dem ser pre­pa­ra­dos jun­tos com a cou­ve: Aveia: ela po­de ir na mas­sa da pan­que­ca re­che­a­da de cou­ve ou no suco ver­de. O ce­re­al for­ne­ce a fi­bra be­ta­glu­ca­na, que ab­sor­ve gor­du­ras du­ran­te a di­ges­tão. Tam­bém é fon­te de vi­ta­mi­nas do com­ple­xo B, que pro­te­gem con­tra a for­ma­ção de coá­gu­los e o en­du­re­ci­men­to dos va­sos san­guí­ne­os, além de mi­ne­rais que re­gu­lam a pres­são san­guí­nea. Ba­na­na: tam­bém fon­te de fi­bras, a fru­ta ain­da é ri­ca em po­tás­sio. O mi­ne­ral é im­por­tan­te pa­ra as fun­ções mus­cu­la­res, in­clu­si­ve do co­ra­ção. Vai bem em su­cos e vi­ta­mi­nas. Cas­ta­nhas: ave­lã, no­zes, cas­ta­nha-do-pa­rá, en­tre ou­tras, são re­ple­tas de ôme­ga-3, uma gor­du­ra po­li-in­sa­tu­ra­da clas­si­fi­ca­da co­mo boa pa­ra to­do o sis­te­ma car­di­o­vas­cu­lar. Fru­tas vermelhas: amo­ra, mo­ran­go e fram­bo­e­sa têm a co­lo­ra­ção ver­me­lha gra­ças a uma subs­tân­cia cha­ma­da li­co­pe­no, um im­por­tan­te an­ti­o­xi­dan­te que afas­ta in­fla­ma­ções nas ar­té­ri­as. Lei­te de so­ja: a so­ja pos­sui iso­fla­vo­nas, hormô­ni­os fi­to­es­tró­ge­nos que tam­bém re­gu­lam os ín­di­ces de co­les­te­rol no or­ga­nis­mo. Uma ideia é substituir o lei­te de va­ca pe­lo de so­ja na vi­ta­mi­na com cou­ve. Sar­di­nha: o pei­xe de água fria é uma das me­lho­res fon­tes de ôme­ga-3, ex­tre­ma­men­te

be­né­fi­co pa­ra o co­ra­ção, pro­te­gen­do-o con­tra in­far­tos. A sar­di­nha tam­bém pos­sui um óti­mo de­sem­pe­nho con­tra in­fla­ma­ções, além de es­ti­mu­lar o sis­te­ma imu­no­ló­gi­co. Sar­di­nha as­sa­da na sa­la­da de cou­ve fi­ca mui­to sa­bo­ro­so. Azei­te: fei­to de oli­va, con­tém uma gran­de quan­ti­da­de de ôme­ga 9, que atua prin­ci­pal­men­te no con­tro­le do co­les­te­rol, pro­mo­ven­do o au­men­to do HDL (co­les­te­rol bom) e a re­du­ção do LDL (co­les­te­rol ruim), fa­zen­do as­sim com que os ris­cos de pro­ble­mas car­di­o­vas­cu­la­res se­jam me­no­res. Po­rém, pa­ra apro­vei­tar as pro­pri­e­da­des do azei­te é pre­ci­so usá-lo frio, em tem­pe­ro de sa­la­das, por exem­plo.

DIA A DIA SAU­DÁ­VEL

A ali­men­ta­ção ba­lan­ce­a­da co­la­bo­ra – e mui­to – na saú­de do co­ra­ção. No en­tan­to, ou­tras ações tam­bém são im­por­tan­tes pa­ra a pre­ven­ção de do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res. Be­ba bas­tan­te água. Ter um cor­po hi­dra­ta­do é ga­ran­tia n do bom fun­ci­o­na­men­to do or­ga­nis­mo co­mo um to­do, in­clu­si­ve da cor­ren­te san­guí­nea. O ide­al é con­su­mir cer­ca de oi­to co­pos (250ml ca­da) por dia. Exer­ci­te-se. A prá­ti­ca de ati­vi­da­des fí­si­cas ge­ra bem-es­tar n e saú­de. “Os exer­cí­ci­os fí­si­cos po­dem tan­to atu­ar na pre­ven­ção de do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res qu­an­to na me­lho­ria da con­di­ção do co­ra­ção em pa­ci­en­tes que já pos­su­em pro­ble­mas car­día­cos”, afir­ma a edu­ca­do­ra fí­si­ca Cláudia For­jaz. Quem pas­sa a pra­ti­car exer­cí­ci­os di­mi­nui em até 34% o ris­co de de­sen­vol­ver al­gum pro­ble­ma car­di­o­vas­cu­lar. Além dis­so, di­a­be­tes, hi­per­ten­são, co­les­te­rol al­to, obe­si­da­de e es­tres­se, do­en­ças di­re­ta­men­te li­ga­das à saú­de do co­ra­ção, tam­bém são me­lho­res con­tro­la­das quan­do se sua a ca­mi­sa. Re­la­xe. Afas­tar a pres­são da ro­ti­na de tra­ba­lho e afa­ze­res n aju­da o co­ra­ção a ba­ter mais de­va­gar. Me­di­ta­ção, prá­ti­ca de hobby ou pas­sei­os ao ar li­vre já aju­dam a con­tro­lar os batimentos car­día­cos e se sen­tir mais le­ve.

CON­SUL­TO­RIA Ana­lui­za No­guei­ra dos San­tos, nu­tri­ci­o­nis­ta; Cláudia For­jaz, edu­ca­do­ra fí­si­ca; Ta­ma­ra Ma­za­rac­ki, nu­tró­lo­ga e mé­di­ca or­to­mo­le­cu­lar; Vi­vi­a­ne Vei­ga, car­di­o­lo­gis­ta FOTOS Shut­ters­tock Ima­ges, Thinks­tock/Getty Ima­ges e Kelly Guer­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.