Evi­te o pra­zer mo­men­tâ­neo

Coleção Almanaque da Saúde - - NEWS -

É nor­mal uma pes­soa de­pri­mi­da qu­e­rer co­mi­das açu­ca­ra­das ou gor­du­ro­sas. Es­ses ali­men­tos ati­vam o sis­te­ma de re­com­pen­sa do cé­re­bro, ou se­ja, pro­mo­vem o bem-es­tar. Po­rém, es­sa sen­sa­ção é mo­men­tâ­nea e, quan­do ela pas­sa, os sen­ti­men­tos ne­ga­ti­vos po­dem pi­o­rar, es­pe­ci­al­men­te em lon­go pra­zo, in­ten­si­fi­can­do de­pres­são, an­si­e­da­de e es­tres­se. “Açú­car, mel, re­fri­ge­ran­tes e pro­du­tos do­ces em ge­ral pro­vo­cam ex­ces­so de gli­co­se no san­gue e no cé­re­bro, com uma rá­pi­da al­ta de se­ro­to­ni­na e, em se­gui­da, uma bai­xa abrup­ta da mes­ma, o que provoca ânsia por con­su­mir mais açú­car. Além dis­so, a in­ges­tão des­ses ali­men­tos, que são mui­to ca­ló­ri­cos, au­men­ta o pe­so em pes­so­as se­den­tá­ri­as, o que po­de oca­si­o­nar pro­ble­mas com a au­to­es­ti­ma”, ex­pli­ca a nu­tri­ci­o­nis­ta Thaíz Maia.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.