A men­te faz A ida­de?

Coleção Almanaque da Saúde - - FASE ESPECIAL -

de acor­do com a psi­có­lo­ga e neu­rop­si­có­lo­ga Elai­ne di sar­no, nos di­as de ho­je, os es­pe­ci­a­lis­tas no es­tu­do do en­ve­lhe­ci­men­to re­fe­rem-se a três gru­pos de pes­so­as mais ve­lhas. “são eles os ‘idosos jo­vens’, os ‘idosos ve­lhos’ e os ‘idosos mais ve­lhos’. o ter­mo ‘idosos jo­vens’ ge­ral­men­te se re­fe­re às pes­so­as de 65 a 74 anos, que cos­tu­mam es­tar ati­vas, chei­as de vi­da e vi­go­ro­sas. os ‘idosos ve­lhos’ es­tão na fai­xa etá­ria de 75 a 84 anos, e os ‘idosos mais ve­lhos’, de 85 anos ou mais. Es­sa dis­tin­ção en­tre eles po­de au­xi­li­ar no en­ten­di­men­to de que o en­ve­lhe­ci­men­to não é al­go de­ter­mi­na­do pe­la ida­de cro­no­ló­gi­ca, mas, sim, uma in­te­gra­ção en­tre as vi­vên­ci­as pes­so­ais e o con­tex­to so­ci­al e cul­tu­ral em de­ter­mi­na­da épo­ca, e ne­le es­tão en­vol­vi­dos di­fe­ren­tes as­pec­tos: bi­o­ló­gi­co, cro­no­ló­gi­co, psi­co­ló­gi­co e so­ci­al”, sa­li­en­ta.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.