Ar­ce­bis­po ce­le­bra Mis­sa de 7º Dia do pa­dre Gas­par Sa­doc na Vi­tó­ria

Correio da Bahia - - Bahia -

LEMBRANÇA A ma­triz da pa­ró­quia Nos­sa Se­nho­ra da Vi­tó­ria abriu as por­tas, na noi­te de on­tem, pa­ra ce­le­brar a mis­sa de sé­ti­mo dia pe­la mor­te do mon­se­nhor Gas­par Sa­doc. Ele fi­cou à fren­te da igre­ja por 38 anos e mor­reu na úl­ti­ma quin­ta-fei­ra, aos 100 anos. A mis­sa foi ce­le­bra­da pe­lo ar­ce­bis­po de Sal­va­dor e pri­maz do Bra­sil, dom Murilo Kri­e­ger. Ele des­ta­cou a im­por­tân­cia da ce­le­bra­ção. “A mis­sa de sé­ti­mo dia sur­giu co­mo tra­di­ção por­que, na si­tu­a­ção dos en­ter­ros, es­tá to­do mun­do mui­to aba­la­do, as pes­so­as nem con­se­guem re­zar di­rei­to. Es­se é o mo­men­to pa­ra uma ora­ção cal­ma e pa­ra uma re­fle­xão so­bre o sig­ni­fi­ca­do da vi­da da­que­la pes­soa pa­ra nós”, afir­mou. O pa­dre Sa­doc de­di­cou 75 anos de vi­da ao sa­cer­dó­cio. A do­na de ca­sa Ida­li­na Au­gus­ta Ta­va­res, 67 anos, fez ques­tão de as­sis­tir a ce­rimô­nia. “Eu o co­nhe­ci nes­sa igre­ja e o re­co­nhe­cia pe­los ser­mões. Era uma pes­soa mui­to sim­ples e as pa­la­vras de­le nos to­ca­vam”, dis­se ela. Gas­par Sa­doc mor­reu em ca­sa, ví­ti­ma de uma pa­ra­da car­di­or­res­pi­ra­tó­ria. O cor­po do pa­dre foi se­pul­ta­do no ce­mi­té­rio do Cam­po San­to, sob gran­de co­mo­ção de fiéis e mem­bros da Igre­ja.

Fiéis acom­pa­nham a fa­la de dom Murilo Kri­e­ger na Igre­ja da Vi­tó­ria

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.