Pa­ra Glei­si, vi­rar ré é ‘uma opor­tu­ni­da­de de pro­var sua ino­cên­cia’

Correio da Bahia - - Brasil -

SE­NA­DO A se­na­do­ra Glei­si Hoff­mann (PT-PR), que se tor­nou ré na in­ves­ti­ga­ção da La­va Ja­to após de­ci­são do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral

(STF), dis­se on­tem en­ca­rar a de­ci­são co­mo uma opor­tu­ni­da­de de pro­var sua ino­cên­cia. “Ve­jo a de­ci­são des­sa ter­ça-fei­ra co­mo uma no­va opor­tu­ni­da­de de pro­var a nos­sa ino­cên­cia. Des­de o iní­cio des­se la­men­tá­vel epi­só­dio in­sis­ti­mos a exaus­tão que não há uma pro­va que mos­tre o re­ce­bi­men­to de re­cur­sos ilí­ci­tos pa­ra mi­nha cam­pa­nha em 2010”, afir­mou a se­na­do­ra no ple­ná­rio do Se­na­do. Ela res­sal­tou que o mi­nis­tro re­la­tor da de­nún­cia, Te­o­ri Za­vasc­ki, dis­se não ter cer­te­za da ocor­rên­cia dos fa­tos mas, jus­ta­men­te por is­so, in­di­cou o pros­se­gui­men­to do pro­ces­so. Glei­si fez crí­ti­cas à de­nún­cia di­zen­do te­rem si­do ba­se­a­das ape­nas em de­la­ções. De acor­do com a se­na­do­ra, mui­tos dos de­la­to­res da La­va Ja­to são ori­en­ta­dos por um mes­mo ad­vo­ga­do, o que com­pro­me­te­ria a isen­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.