Go­ver­no per­de 63 pre­fei­tu­ras

Correio da Bahia - - Mundo - Ju­li­a­na Mons­ta­nha e Sau­lo Mi­guez mais@cor­rei­o24ho­ras.com.br

Os re­sul­ta­dos das ur­nas do úl­ti­mo do­min­go al­te­ra­ram o nú­me­ro de pre­fei­tos que fa­zem par­te dos par­ti­dos da ba­se do go­ver­na­dor Rui Cos­ta. O PT foi o que mais re­du­ziu – qua­se 58% - ven­do o to­tal de pre­fei­tu­ras go­ver­na­das pe­la le­gen­da pas­sar de 92 (2012) pa­ra as atu­ais 39. En­tre os par­ti­dos de opo­si­ção, o DEM, do pre­fei­to de Sal­va­dor, ACM Ne­to, foi o que mais se des­ta­cou, cres­cen­do 277%. Em 2012, o par­ti­do ele­geu no­ve pre­fei­tos. Nes­te ano, 34.

Além de re­e­le­ger os co­man­dan­tes dos dois mai­o­res co­lé­gi­os elei­to­rais bai­a­nos – além de Sal­va­dor, Fei­ra de San­ta­na, com Jo­sé Ro­nal­do – o par­ti­do to­mou ci­da­des elei­to­ral­men­te es­tra­té­gi­cas da ba­se de Rui, co­mo Ala­goi­nhas e Ca­ma­ça­ri. O PSDB, que tam­bém faz opo­si­ção ao go­ver­no es­ta­du­al, sal­tou de 9 pa­ra pa­ra 19 pre­fei­tos elei­tos. O PMDB tam­bém cres­ceu, po­rém, em pro­por­ção me­nor. Em 2012, a le­gen­da ven­ceu em 44 pre­fei­tu­ras e, no do­min­go, em 48. Em con­jun­to, as le­gen­das opo­si­ci­o­nis­tas - DEM, PSDB, PMDB, PTB, PV, SD, PSC, PRB, PHS, PTC - ele­ge­ram 46 pre­fei­tos a mais do que em 2012, qu­an­do ven­ce­ram em 85 ci­da­des.

ALI­A­DOS

En­tre os par­ti­dos go­ver­nis­tas, o PT foi o que mais so­freu bai­xas. Em 2012, o par­ti­do ele­geu 92 pre­fei­tos. An­te­on­tem, o to­tal de pre­fei­tu­ras ven­ci­das foi de 39. O PDT tam­bém viu seu nú­me­ro de pre­fei­tos cair, pas­san­do de 42 elei­tos em 2012 pa­ra 22, no do­min­go. O PSD, do se­na­dor Ot­to Alen­car, foi a úni­ca le­gen­da que viu seu quan­ti­ta­ti­vo de pre­fei­tos au­men­tar Em re­la­ção à elei­ção mu­ni­ci­pal an­te­ri­or, a le­gen­da so­mou mais 12 pre­fei­tu­ras, pas­san­do de 70 pa­ra 82 en­tre 2012 e 2016. As si­glas que dão apoio a Rui Cos­ta - PT, PC­doB, PP, PSD, PSB, PDT, PR, PTN - per­de­ram 20% das pre­fei­tu­ras - de 320 pa­ra 257. Na prá­ti­ca, a que­da po­de até ser mai­or, uma vez que, a de­pen­der do mu­ni­cí­pio, par­ti­dos co­mo PP, PSD, PDT e PR tam­bém têm ali­an­ças com a opo­si­ção. Os de­mais par­ti­dos, que con­quis­ta­ram 27 pre­fei­tu­ras, a exem­plo do PSL, es­tão nes­ta mes­ma si­tu­a­ção.

De acor­do com o ci­en­tis­ta po­lí­ti­co Ca­mi­lo Ag­gio, o mo­ti­vo da que­da ver­ti­gi­no­sa do Par­ti­do dos Tra­ba­lha­do­res no co­man­do das pre­fei­tu­ras bai­a­nas - e bra­si­lei­ras - se deu, prin­ci­pal­men­te, pe­lo sen­ti­men­to an­ti­pe­tis­ta que aflo­rou nos elei­to­res com o de­sen­ro­lar das fa­ses da Ope­ra­ção La­va Ja­to e com a cri­se econô­mi­ca. "A La­va Ja­to foi o prin­ci­pal ca­bo elei­to­ral do an­ti­pe­tis­mo, so­bre­tu­do nas úl­ti­mas fa­ses da La­va Ja­to, que acon­te­ce­ram em mo­men­tos mui­tos pró­xi­mos às elei­ções,trans­for­mou o ex-pre­si­den­te Lu­la em réu e cul­mi­nou com as pri­sões dos ex-mi­nis­tros An­to­nio Pa­loc­ci e Gui­do Man­te­ga”, afir­mou.

Ca­mi­lo Ag­gio atri­buiu as per­das so­fi­ra­da pe­los PT e ali­a­dos, ain­da, ao fa­to da cri­se econô­mi­ca es­tar mui­to atre­la­da ao go­ver­no Dil­ma Rous­seff e ao des­gas­te das ima­gem do ex-pre­si­den­te Lu­la; o que, se­gun­do ele, é mais uma con­sequên­cia do mo­do co­mo a La­va Ja­to vem sen­do con­du­zi­da. “Gra­ças ao des­gas­te que a La­va Ja­to pro­vo­cou, os can­di­da­tos do PT per­de­ram a for­ça de Lu­la co­mo pu­xa­dor de vo­tos”, dis­se.

Ba­se de Rui Cos­ta per­de ter­re­no pa­ra le­gen­das de opo­si­ção

A DE­FI­NIR

Em dois mu­ni­cí­pi­os a elei­ção ain­da es­tá in­de­fi­ni­da. Em Vi­tó­ria da Con­quis­ta ha­ve­rá se­gun­do tur­no en­tre o PT, de Zé Rai­mun­do, e o PMDB, de Her­zem Gus­mão. Em San­ta Cruz da Vi­tó­ria, o re­sul­ta­do de­pen­de do Tri­bu­nal Su­pe­ri­or Elei­to­ral, pois as can­di­da­tu­ras de Car­los An­dré (PTC) e de Ge­a­zi (PP) fo­ram in­de­fe­ri­das com ba­se na Lei da Fi­cha Lim­pa e aguar­dam jul­ga­men­to de re­cur­sos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.