MP-BA apu­ra es­que­ma de pro­pi­na pa­ra fa­vo­re­cer de­ci­são ju­di­ci­al

Correio da Bahia - - Bahia - THIAGO FREI­RE

TRI­BU­NAL DE JUS­TI­ÇA Dois de­sem­bar­ga­do­res apo­sen­ta­dos do Tri­bu­nal de Jus­ti­ça da Bahia (TJ-BA) e três ad­vo­ga­dos fo­ram con­du­zi­dos co­er­ci­ti­va­men­te, on­tem, pa­ra pres­tar de­poi­men­to na Ope­ra­ção Le­o­pol­do, do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Es­ta­du­al (MP-BA), que in­ves­ti­ga um es­que­ma de co­bran­ça de pro­pi­nas em um jul­ga­men­to en­vol­ven­do uma fa­mí­lia da ca­pi­tal e dois ban­cos. Os no­mes dos cin­co sus­pei­tos, que ne­ga­ram as acusações, e das ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras não fo­ram di­vul­ga­dos pe­lo ór­gão. A par­tir de um pro­ces­so de in­ven­tá­rio, a fa­mí­lia ve­ri­fi­cou que um dos en­tes, já fa­le­ci­do, ti­nha tí­tu­los de cré­di­to de um ban­co fa­li­do e que so­freu aqui­si­ção de um gran­de ban­co bra­si­lei­ro. Ain­da na dé­ca­da de 1990, a fa­mí­lia en­trou na Jus­ti­ça pa­ra re­a­ver o va­lor e, após uma sé­rie de re­cur­sos, o ca­so che­gou ao TJ-BA. O pe­di­do de pro­pi­na fei­to por dois de­sem­bar­ga­do­res do Tri­bu­nal foi de­nun­ci­a­do pe­la pró­pria fa­mí­lia que de­ve­ria efe­tu­ar o pa­ga­men­to, se­gun­do o MP-BA. O ór­gão ini­ci­ou a in­ves­ti­ga­ção con­tra os ma­gis­tra­dos em fe­ve­rei­ro des­te ano. A pro­pi­na, exi­gi­da des­de 2012 pa­ra ace­le­rar o jul­ga­men­to do ca­so e pro­fe­rir de­ci­são fa­vo­rá­vel à fa­mí­lia, pre­via um pa­ga­men­to de 5% do va­lor da ação pa­ra ca­da de­sem­bar­ga­dor, apo­sen­ta­dos em 2014 e 2015. A es­ti­ma­ti­va do MP é que a fa­mí­lia re­ce­bes­se o pa­ga­men­to de R$ 500 mi­lhões, po­den­do che­gar a R$ 1 bi­lhão. Os ma­gis­tra­dos, en­tão, re­ce­be­ri­am de R$ 25 a R$ 50 mi­lhões ca­da um. Ain­da se­gun­do o MP, os ad­vo­ga­dos atu­a­ram co­mo in­ter­me­diá­ri­os e ce­de­ram seus no­mes pa­ra con­tra­tos de ho­no­rá­ri­os fic­tí­ci­os, pa­ra ga­ran­tir o pa­ga­men­to do va­lor da pro­pi­na. “Uma de­sem­bar­ga­do­ra era a re­la­to­ra des­se ca­so. O ou­tro de­sem­bar­ga­dor não atu­a­va nes­sa de­man­da ju­di­ci­al. Mas, da­da a pro­xi­mi­da­de de­le com a re­la­to­ra, ele ser­viu de pon­te pa­ra que pu­des­se ser fei­ta a so­li­ci­ta­ção da van­ta­gem ilí­ci­ta”, ex­pli­cou o pro­mo­tor de Jus­ti­ça Lu­ci­a­no Ta­ques, que che­fi­ou a in­ves­ti­ga­ção. Ain­da con­for­me Ta­ques, a pro­pi­na per­deu a va­li­da­de por­que hou­ve um re­cur­so em uma cor­te su­pe­ri­or. “Con­tra­ri­a­men­te à von­ta­de de­les (dos de­sem­bar­ga­do­res), es­sa cau­sa aca­bou sen­do ob­je­to de um ou­tro re­cur­so jun­to ao STJ (Su­pe­ri­or Tri­bu­nal de Jus­ti­ça). To­da­via, o não pa­ga­men­to não dei­xa de con­fi­gu­rar o ilí­ci­to”, com­ple­men­tou o pro­mo­tor. A ação foi de­fla­gra­da pe­lo Gru­po de Atu­a­ção Es­pe­ci­al de Com­ba­te às Or­ga­ni­za­ções Cri­mi­no­sas e In­ves­ti­ga­ções Cri­mi­nais (Ga­e­co), do MP-BA, com apoio da Po­lí­cia Ro­do­viá­ria Fe­de­ral. Fo­ram cum­pri­dos ain­da qua­tro man­da­dos de bus­ca e apre­en­são nas ca­sas dos in­ves­ti­ga­dos, na Pi­tu­ba, Sti­ep, Cam­po Gran­de e tam­bém em Lau­ro de Frei­tas.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.