Das fe­ras

Correio da Bahia - - Esporte - Moysés Su­zart moy­ses.su­zart@re­de­bahia.com.br

O za­guei­ro Léo Xa­vi­er cus­tou a acre­di­tar que es­ta­ria ao la­do de Ney­mar na Se­le­ção Bra­si­lei­ra. A jo­vem pro­mes­sa do Vi­tó­ria já de­fen­deu a equi­pe na­ci­o­nal sub-20. Mas trei­nar ao la­do dos pro­fis­si­o­nais se­ria al­go sur­re­al pa­ra a ca­be­ça do me­ni­no de 19 anos, morador de Itin­ga.

Des­de quan­do o téc­ni­co Ti­te as­su­miu a se­le­ção, em ju­nho, vi­rou ro­ti­na que, além dos con­vo­ca­dos tra­di­ci­o­nais, jo­vens pro­mes­sas acom­pa­nhem os cra­ques bra­si­lei­ros e fa­çam par­te dos trei­nos. Na atu­al con­vo­ca­ção foi a vez do de­fen­sor ru­bro-ne­gro ser um dos es­co­lhi­dos.

Ain­da com a Se­le­ção, Léo Xa­vi­er con­ta que pen­sou que o te­le­fo­ne­ma da con­vo­ca­ção po­de­ria ser tro­te, ape­sar dos avi­sos que is­so po­de­ria acon­te­cer. “Fi­quei to­tal­men­te sur­pre­so. No trei­no an­tes da es­treia da Co­pa do Bra­sil sub-20, me fa­la­ram que eu po­de­ria ser con­vo­ca­do. Não es­ta­va li­ga­do nes­ta con­vo­ca­ção. Em ca­sa, re­ce­bi o te­le­fo­ne­ma da CBF me pe­din­do pa­ra tomar va­ci­na de fe­bre ama­re­la e con­fe­rir se es­ta­va tu­do bem com meu pas­sa­por­te. Só no ou­tro dia que o co­or­de­na­dor da ba­se, Car­lão, me con­fir­mou”, lem­bra, ain­da em Na­tal, on­de o Bra­sil en­fren­tou a Bo­lí­via, na quin­ta-fei­ra, pe­las Eli­mi­na­tó­ri­as.

Já na Se­le­ção, Léo Xa­vi­er se im­pres­si­o­nou com a ale­gria de Ney­mar. “O pri­mei­ro con­ta­to com as fe­ras foi tran­qui­lo. Eu es­ta­va no lan­che quan­do os jo­ga­do­res de fo­ra che­ga­ram. Ney­mar fa­lou com to­do mun­do. Gen­te boa. Ney­mar é aqui­lo que ve­mos em cam­po: ou­sa­dia e ale­gria. Já diz tu­do. Um ca­ra ale­gre, brin­ca­lhão. É o mais re­se­nhei­ro do gru­po. A ale­gria es­tá ne­le”, dis­se, im­pres­si­o­na­do.

Po­rém, du­ran­te os trei­nos, na­da de mo­le­za. “O Ti­te elo­gi­ou mui­to mi­nha seriedade no trei­no. O Ney­mar e o Ga­bri­el Je­sus são di­fe­ren­ci­a­dos. O al­to ní­vel téc­ni­co im­pres­si­o­na. Jun­to com a for­ça e in­te­li­gên­cia, são os di­fe­ren­ci­ais da Se­le­ção”, dis­se Léo, que tem a mes­ma ida­de do pal­mei­ren­se.

EX­PE­RI­ÊN­CIA

Pa­ra ele, trei­nar com os cra­ques bra­si­lei­ros tra­rá bons fru­tos pa­ra as jo­vens pro­mes­sas. Se­ria co­mo um es­tá­gio de lu­xo pa­ra os jo­vens jo­ga­do­res. “É uma ex­pe­ri­ên­cia no­va pa­ra jo­ga­do­res em for­ma­ção co­mo eu. Es­tar com as es­tre­las do fu­te­bol que jo­gam em al­to ní­vel é úni­co. Es­ta­mos apren­den­do co­mo é a ro­ti­na de trei­no de­les, prin­ci­pal­men­te da tur­ma que atua na Eu­ro­pa. Com­pro­me­ti­men­to, fo­co, a qua­li­da­de téc­ni­ca. Agre­guei co­nhe­ci­men­to e va­lo­res pa­ra mi­nha car­rei­ra que es­tá ini­ci­an­do, ain­da em cons­tru­ção. O que Ti­te es­tá fa­zen­do vai tra­zer um fu­tu­ro pa­ra mui­tos atle­tas co­mo eu”, dis­se Léo, que vi­a­ja ho­je com a Se­le­ção pa­ra a Ve­ne­zu­e­la.

Após o jo­go da pró­xi­ma ter­ça, con­tra os ve­ne­zu­e­la­nos, Léo “Bo­ca” vol­ta a sua ro­ti­na no Vi­tó­ria, mas pro­me­ten­do não ser mais o mes­mo Bo­ca de an­tes. Até o ape­li­do não com­bi­na­rá mais. “Eu sem­pre che­ga­va aos trei­nos de se­gun­da in­dis­pos­to, na­que­la pre­gui­ça de se­gun­da. A ga­le­ra di­zia que eu fi­ca­va to­man­do 51 no do­min­go, que eu pa­re­cia uma Bo­ca de Fu­mo. Aí fi­cou Léo Bo­ca (ri­sos)”, ex­pli­ca.

Mas o que o za­guei­ro mais quer é ves­tir a ca­mi­sa do pro­fis­si­o­nal do Vi­tó­ria. “Não ve­jo a hora. Es­tou no Leão des­de 2007 e que­ro dar mui­tas ale­gri­as ao meu ti­me de co­ra­ção”, com­ple­ta o mu­da­do Léo Xa­vi­er, o ex-Bo­ca.

Za­guei­ro da ba­se do Leão con­ta co­mo é a ro­ti­na com a Se­le­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.