O no­vo ‘Di­a­bo Loi­ro’

Correio da Bahia - - Front Page - Fe­nan­da Va­re­la

Ao ser con­tra­ta­do pe­lo Bahia, Wes­ley Na­tã che­gou co­mo um re­for­ço qual­quer. Sem ho­lo­fo­te, pou­ca es­pe­ran­ça de­po­si­ta­da e ní­vel bai­xo de co­bran­ça. Quan­do es­se mes­mo me­ni­no co­me­çou a trei­nar e mos­trar seu fu­te­bol, ga­nhou até um ape­li­do en­tre al­guns re­pór­te­res da editoria de es­por­te do COR­REIO: Wes­ley Sa­tã. Mas na­da pe­jo­ra­ti­vo, ju­ro. Era só uma for­ma ca­rac­te­rís­ti­ca do bai­a­nês pa­ra di­zer que o me­ni­no era um ‘di­a­bo’ em cam­po, de­sen­vol­to e en­tor­tan­do os marcadores.

On­tem, o ape­li­do usa­do es­po­ra­di­ca­men­te, se con­so­li­dou. An­tes mes­mo da par­ti­da, um dos re­pór­te­res anun­ci­ou: ‘se ga­nhar com gol de­le, o tí­tu­lo da ma­té­ria tem que ser Di­a­bo Loi­ro’. Fei­to. O ape­li­do já foi usa­do por mui­tos ata­can­tes loi­ros e abu­sa­dos, co­mo o eter­no Ma­ri­to, cam­peão bra­si­lei­ro em 1959 pe­lo Es­qua­drão, e, ul­ti­ma­men­te, o ex-ata­can­te Jú­ni­or, com pas­sa­gens tan­to pe­lo Bahia quan­to pe­lo Vi­tó­ria. Pois bem, ami­gos. Te­mos um no­vo ‘Di­a­bo Loi­ro’. Es­pe­ro que o me­ni­no en­ten­da. O cho­ro de Na­tã após mar­car de ca­be­ça pa­ra fa­zer 2x0 pa­ra o Bahia foi emo­ci­o­nan­te pa­ra quem as­sis­tiu e, prin­ci­pal­men­te, pa­ra ele. “É um sen­ti­men­to ma­ra­vi­lho­so. To­do atle­ta que co­me­ça e lu­ta até che­gar ao pro­fis­si­o­nal sa­be o que é is­so. É o me­lhor jei­to de co­me­çar. Es­tre­ar com gol não tem pre­ço. Lem­brei de tu­do que pas­sei, do tem­po to­do que vi­vi lon­ge de ca­sa, do que lu­tei pa­ra che­gar aqui. Foi um pre­sen­te”, de­cla­rou o ga­ro­to de 21 anos, nas­ci­do em Por­to Ale­gre.

Cla­ro, ain­da é ce­do pa­ra ava­li­ar Na­tã. Foi ape­nas o pri­mei­ro jo­go do ga­ro­to - e olhe que ele não jo­ga­va há dois me­ses e, jus­ta­men­te por is­so, saiu, exaus­to, aos 12 mi­nu­tos do se­gun­do tem­po. Mas é ine­gá­vel a ra­ça, a von­ta­de e o com­pro­me­ti­men­to do ga­ro­to. Mos­tra po­ten­ci­al.

O Bahia é so­men­te o se­gun­do clu­be pro­fis­si­o­nal do ata­can­te, vin­cu­la­do à Cha­pe­co­en­se e em­pres­ta­do ao tri­co­lor até o fim do ano. A chan­ce de atu­ar, me­re­ci­da pe­lo que vi­nha fa­zen­do nos trei­na­men­tos, veio após atu­a­ções ruins de Al­la­no e Mi­sa­el. Com o fu­te­bol apre­sen­ta­do on­tem, é bem pro­vá­vel que o ‘Di­a­bo Loi­ro’ te­nha fei­to o su­fi­ci­en­te pa­ra ga­ran­tir a va­ga no ti­me ti­tu­lar pa­ra o pró­xi­mo jo­go do Bahia, sex­ta, con­tra o Bra­sil de Pe­lo­tas.

Sem me­do, Wes­ley so­be pa­ra fa­zer seu pri­mei­ro gol pe­lo Bahia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.