Ho­je os Tí­tu­los do Te­sou­ro ofe­re­cem cer­ta se­gu­ran­ça e ren­ta­bi­li­da­de mais van­ta­jo­sa do que mui­tos in­ves­ti­men­tos. Qual o ris­co des­sa apli­ca­ção e em que si­tu­a­ção ain­da de­vo con­si­de­rar a Ca­der­ne­ta de Pou­pan­ça co­mo me­lhor al­ter­na­ti­va?

Correio da Bahia - - Mais -

Olá Iri­neu. A Ca­der­ne­ta de Pou­pan­ça foi e con­ti­nu­a­rá sen­do uma op­ção mui­to se­gu­ra, mas vem ofe­re­cen­do uma ren­ta­bi­li­da­de bai­xís­si­ma, che­gan­do a ter re­sul­ta­do re­al ne­ga­ti­vo. O Te­sou­ro Di­re­to che­ga a ren­der até 40% a mais que a pou­pan­ça com o mes­mo ní­vel de se­gu­ran­ça, pois se tra­ta de tí­tu­los do go­ver­no e não há de se ima­gi­nar al­gum ti­po de ca­lo­te, pois o País tem las­tro su­fi­ci­en­te. Eu re­co­men­do a pou­pan­ça se vo­cê for usar o di­nhei­ro no cur­tís­si­mo pra­zo, seis me­ses, por exem­plo. Pa­ra in­ves­ti­men­tos aci­ma de um ano, bus­que op­ções mais ren­tá­veis. Es­pe­ro ter aju­da­do.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.